Em Portugal não existe um sistema coletivo de gestão de resíduos de construção e demolição, não havendo, por isso, uma entidade gestora deste fluxo de resíduos, cabendo o seu encaminhamento para destino adequado aos respetivos produtores, com todos os custos que lhe estão associados

Como forma de obviar os custos decorrentes daquela que deverá ser a gestão a acautelar pelo produtor, muitos são aqueles que depositam ilegalmente os seus resíduos em qualquer lugar.

De acordo com informação veiculada pela Agência Lusa, a Câmara Municipal de Loures reconhece este problema anunciando que irá reforçar a fiscalização, adquirindo mais viaturas e criando um Ponto Municipal de Entrega de Resíduos, na expectativa de assim promover a diminuição deste tipo de infrações.

Todo o resíduo tem um destino adequado… AQUI NÃO!” é uma fotorreportagem da autoria das estudantes do primeiro ano do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), Catarina Duarte de Freitas, Eduarda Rodrigues e Sérgio Santos, publicado no portal Jovens Repórteres para o Ambiente.

Deixe um Comentário




Introduza o seu e-mail


Novembro 2019
S T Q Q S S D
« Jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Categorias