Posts Tagged ‘Espaços Verdes’

Estamos a pouco dias (semanas!) de terminar mais um ano de intenso trabalho associado à implementação do Programa Eco-Escolas na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL). Após a adoção da metodologia de trabalho subjacente à efetiva implementação do Programa, que culmina com a elaboração do Eco-Código (Conselho Eco-Escola, Auditoria Ambiental, Plano de Ação, Monitorização, Trabalho Curricular, Informação e Envolvimento da Comunidade Local e Eco-Código), apresentamos-vos aquele que é o Eco-Código e o respetivo Poster Eco-Código ESTeSL concebido este ano e cujo conteúdo (“código de conduta”) vai de encontro àquilo que havia sido definido no Plano de Ação, aprovado no início do ano em reunião plenária do Conselho Eco-Escola e decorrente da Auditoria Ambiental.

Poster Eco-Código ESTeSL (2016)

A “eco-árvore” apresenta como “frutos” o Programa Eco-Escolas e os nove cursos de licenciatura ministrados na ESTeSL (representando o compromisso da ESTeSL para com a educação para a cidadania e para o desenvolvimento sustentável e a relevância do envolvimento de todos os estudantes de todos os cursos, nestes processos). O póster é encimado pelo mandamento que atribui a cada um dos elementos da comunidade académica a responsabilidade pela mudança que urge fazer (“Não esperes pela mudança. TU ÉS A MUDANÇA que precisas e este é o teu… ECO-CÓDIGO!”). Os restantes mandamentos estão associados aos ramos e troncos da “eco-árvore”, sendo que a maioria das frases está na parte inferior, simbolizando de alguma forma as raízes, condição necessária para alimentar e fazer perdurar a “eco-árvore”.

Decorria o ano de 2012 quando, na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), uma nova espécie foi dada a conhecer ao mundo. Falamos da TetraPakis ESTeSLiana, uma árvore de características muito especiais, plantada pelos estudantes do 1.º Ano do Curso de Licenciatura em Saúde Ambiental, no âmbito do passatempo “Sim, vamos criar uma árvore!”, promovido pela Tetra Pak Portugal, SA sobre o tema “A proteção das florestas” e divulgado pela Associação Bandeira Azul da Europa.

Este ano, é expectável que um novo exemplar da mesma espécie venha a ser plantado, à margem daquilo que já foi reflorestação dos espaços verdes e que tornou a ESTeSL mais verde!…

Sim, criar uma árvore dá frutos

Estamos a falar da participação da ESTeSL, enquanto Eco-Escola, no concurso “Sim, criar uma árvore dá frutos!“, uma atividade promovida pela Compal (marca da  SUMOL+COMPAL) e pela Tetra Pak em parceria com o Programa Eco-Escolas da Associação Bandeira Azul da Europa e que visa chamar a atenção para a importância de deposição das embalagens para alimentos líquidos no ecoponto amarelo e ainda para o símbolo FSC® constante das embalagens da Tetra Pak 1L utilizadas pela marca Compal.

O desafio que para já deixamos à comunidade académica é que nos ajudem na recolha de embalagens Tetra Pak. Queremos que a árvore a criar resulte do esforço conjunto em garantir um destino adequado para este tipo de resíduos. Tendo embalagens desta natureza, tragam-nas até nós… ajudem-nos a plantar esta árvore!

Sim, vamos criar uma árvore!” é uma atividade que tem como tema “A conservação da Floresta” e onde os participantes têm de construir uma árvore original a partir de embalagens da Tetra Pak (preferencialmente com o selo FSC) e registar fotograficamente a evolução do projeto. Este é um desafio que nos foi apresentado pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) e pelo Programa Eco-Escolas e ao qual a Eco-Escola ESTeSL não ficou indiferente.

Tal como já aconteceu noutras ocasiões, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa irá participar no escalão do ensino secundário/profissional e ensino superior.

logo_tetrapak

O passatempo “Sim, vamos criar uma árvore!” é da responsabilidade da Tetra Pak Portugal SA e as árvores a concurso têm obrigatoriamente de ser construídas com embalagens da Tetra Pak e pelo menos duas das embalagens da Tetra Pak utilizadas têm de ser certificadas pelo FSC.

A árvore que nos propomos construir será edificada no dia 22 de maio, Dia Internacional da Diversidade Biológica, no átrio principal do piso 1 e contamos com o contributo de toda a comunidade académica para a angariação de embalagens e para a construção desta árvore que se pretende venha a ser um “hino” à floresta.

Depois de vos termos apresentado o projeto Mãos à Obra! Limpar Portugal 2012…, eis então que é chegado o momento de formalizar o desafio.

No dia 24 de março, vamos todos sair à rua e participar na limpeza de Portugal. Vamos ajudar a Eco-Escolas ESTeSL a Limpar Portugal!

Inscrevam-se nas freguesias da vossa residência. Participem e relatem-nos o vosso dia, ou inscrevam-se na freguesia onde a ESTeSL está localizada (Santa Maria dos Olivais) e, todos juntos, façamos um “mar” de voluntários.

Para aqueles que queiram começar a participar desde já, voluntariem-se e colaborem na identificação das áreas a limpar. Esta é uma atividade primordial para que no dia 24 de março haja locais pré-definidos para a limpeza.

A coordenação concelhia de Lisboa, que está sob a responsabilidade da freguesia de Santa Maria dos Olivais, agradece toda a nossa colaboração. Nós vamos Limpar Portugal na freguesia de Santa Maria dos Olivais. E tu?

As Ciências e Tecnologias da Saúde compreendem um conjunto de áreas de conhecimento que têm como matriz a utilização de técnicas de base científica com fins de promoção da saúde e de prevenção, diagnóstico e tratamento da doença, ou de reabilitação.

Com os objectivos de (i) promover o conhecimento das Ciências e Tecnologias da Saúde em torno do corpo humano, (ii) fomentar o interesse dos participantes para as áreas das Tecnologias da Saúde, (iii) promover o papel da Ciência e da Tecnologia face ao desenvolvimento, competitividade e cidadania (iv) e desenvolver a adopção de Estilos de Vida Saudáveis, está a decorrer nesta segunda quinzena de Julho, na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), o Verão com as Ciências e Tecnologias da Saúde de Lisboa.

A ESTeSL, associado à implementação do Programa Eco-Escolas, tem estado no último ano a desenvolver esforços no sentido de que a comunidade académica reconheça a importância do desenvolvimento sustentável, da necessidade de gerir adequadamente os recursos e, de uma forma geral, de promover a conservação da natureza. É nesse sentido que todos os intervenientes na edição deste ano do Verão com as Ciências e Tecnologias da Saúde de Lisboa, quer sejam eles participantes, monitores das actividades das Áreas Científicas ou tutores, ostentam o símbolo do Ano Internacional das Florestas, porque a importância das florestas é inegável.

Associado ao Eco-Código ESTeSL (2011), entretanto definido e divulgado também no decurso dos Eco-Abraços, apresentamos-vos o Poster Eco-Código ESTeSL (2011).

O Poster Eco-Código ESTeSL (2011), naquilo que diz respeito às imagens representadas,  pretende dar enfoque aos eco-gestos definidos e que compõem o Eco-Código deste ano.

E a verdade é que se um eco-cidadão queremos ser, eco-gestos teremos que fazer… e urge começar já!

No âmbito do Programa Eco-Escolas, em implementação na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), e associado ao Dia Mundial da Saúde 2011, desafiou-se toda a comunidade académica a trilhar os caminhos rumo ao verde do Parque das Nações, numa caminhada que acabou por percorrer mais de 5 quilómetros.

A caminhada, marcada para as 10 horas, iniciou-se na ESTeSL e seguiu para a zona ribeirinha do Parque das Nações, passando-se pela Torre Vasco da Gama. A primeira paragem aconteceu nos Jardins Garcia d’Orta, no Talhão de África (1) com flora representativa de Angola e Moçambique. De seguida rumou-se para a Macaronésia (2), com flora originária dos arquipélagos da Madeira, Açores e Cabo Verde.



A paragem seguinte foi por terras de São Tomé e Brasil (3) onde a paisagem se encontrava pejada de palmeiras, orquídeas, fetos e begónias.

Goa (4), antiga colónia portuguesa, faz-se representar pela densa vegetação de palmares, além de plantas mais pequenas com fins medicinais como é o caso do durião, o camomim e a laranjeira e que muito aludem às Tecnologias da Saúde. A viagem pelos Jardins Garcia d’Orta culminou no Talhão de Coloane (5), a ilha mais a sul do território de Macau. É aqui que podemos encontrar vegetação que indicia um clima sub-tropical, de floresta temperada e quente, com arbustos de cores vivas e onde as magnólias e as camélias ocupam lugar de destaque e onde as formas estranhas da orelha-de-elefante e do alfinheiro-da-china nos surpreendem.

A próxima paragem teve lugar já no Cabeço das Rolas (6), naquela que é a maior elevação do Parque das Nações, 33 metros acima no nível do rio Tejo e donde se pode contemplar toda a Av. Dom João II. É aqui, no Cabeço das Rolas, que o antigo integra o novo, com o aproveitamento do antigo tanque de combate a incêndios da refinaria, agora um lago de 2500m2 com várias espécies aquáticas.

A caminhada não poderia ser feita sem uma passagem obrigatória pelos Jardins d’Água (7) e onde nos é permitido acompanhar ao vivo um percurso de água, desde a nascente até ao estuário, com toda a vegetação que lhe está associada. É nos Jardins d’Água que podemos encontrar algumas máquinas e engenhos que ilustram um sem número de actividades ligadas à água.

Emblemática é a Alameda dos Oceanos (8), com mais de 2 quilómetros e os seus característicos vulcões. Esta alameda, composta por três troços distintos (troço Sul, troço da Estação do Oriente e troço Norte) é um espaço de eleição para o repouso, o passeio e a contemplação. As alamedas laterais encontram-se compostas com Azinheiras e os Carvalhos, de várias espécies, são predominantes.

De regresso à ESTeSL, cerca de duas horas depois, ficou a promessa de repetir a experiência com a certeza de que muito verde ainda ficou por descobrir. Da próxima vez o destino será o Parque Tejo, na zona Norte do Parque das Nações.

Da próxima vez, contamos ser acompanhados por um grupo maior!




Introduza o seu e-mail


Abril 2017
S T Q Q S S D
« Mar    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
Categorias
Parceiros