Posts Tagged ‘Conselho Eco-Escola’

Estamos a pouco dias (semanas!) de terminar mais um ano de intenso trabalho associado à implementação do Programa Eco-Escolas na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL). Após a adoção da metodologia de trabalho subjacente à efetiva implementação do Programa, que culmina com a elaboração do Eco-Código (Conselho Eco-Escola, Auditoria Ambiental, Plano de Ação, Monitorização, Trabalho Curricular, Informação e Envolvimento da Comunidade Local e Eco-Código), apresentamos-vos aquele que é o Eco-Código e o respetivo Poster Eco-Código ESTeSL concebido este ano e cujo conteúdo (“código de conduta”) vai de encontro àquilo que havia sido definido no Plano de Ação, aprovado no início do ano em reunião plenária do Conselho Eco-Escola e decorrente da Auditoria Ambiental.

Poster Eco-Código ESTeSL (2016)

A “eco-árvore” apresenta como “frutos” o Programa Eco-Escolas e os nove cursos de licenciatura ministrados na ESTeSL (representando o compromisso da ESTeSL para com a educação para a cidadania e para o desenvolvimento sustentável e a relevância do envolvimento de todos os estudantes de todos os cursos, nestes processos). O póster é encimado pelo mandamento que atribui a cada um dos elementos da comunidade académica a responsabilidade pela mudança que urge fazer (“Não esperes pela mudança. TU ÉS A MUDANÇA que precisas e este é o teu… ECO-CÓDIGO!”). Os restantes mandamentos estão associados aos ramos e troncos da “eco-árvore”, sendo que a maioria das frases está na parte inferior, simbolizando de alguma forma as raízes, condição necessária para alimentar e fazer perdurar a “eco-árvore”.

Política Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL)Os Conselhos Eco-Escolas têm um papel relevante a desempenhar, devendo ser entendidos como a força motriz do Programa Eco-Escolas em cada uma das escolas proponentes, e devem assegurar a execução dos outros seis elementos subjacentes à metodologia própria do Programa, nomeadamente: (i) Auditoria Ambiental; (ii) Plano de Ação; (iii) Monitorização; (iv) Trabalho Curricular; (v) Informação e Envolvimento da Comunidade Local; e (vi) Eco-Código.

De acordo com o definido no Guia Eco-Escola, as competências dos Conselhos Eco-Escolas passam por: (i) implementar a auditoria ambiental; (ii) discutir o plano de acção; (iii) monitorizar e avaliar as atividades; (iv) e coordenar as formas de divulgação do Programa na escola e comunidade mas onde, naturalmente, os professores coordenadores do Programa tendem a agilizar os processos sendo que na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) os estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental têm também um papel relevante a desempenhar.

Hoje tornamos público a constituição do Conselho Eco-Escola da ESTeSL para o ano letivo em curso que é, mais uma vez, representativo da comunidade académica (de acordo com o regime de funcionamento) e que também está disponível no sítio institucional da nossa escola,  na área dedicada à Política Ambiental (divulgada pela Circular Informativa n.º 27, de 3 de junho de 2011).

E os “eco-guerreiros” que este ano irão liderar o Programa Eco-Escolas são:

  • Alexandra Domingos, ESTeSL (Estudante de Dietética e Nutrição)
  • Ana Almeida, ESTeSL (Docente)
  • Ana Cambão, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Ana Cristina Perdigão, IPL (Vice-Presidente do IPL)
  • Ana Monteiro, ESTeSL (Docente)
  • Ana Rodrigues, ESTeSL (Estudante de Radiologia)
  • Ana Sabino, ESTeSL (Não-docente)
  • Catarina Machado, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Cláudia Guerreiro, ESTeSL (Não docente)
  • Cláudia Vilares, ESTeSL (Estudante de Farmácia)
  • Fábio Teixeira, ESTeSL (Estudante de Cardiopneumologia)
  • Fátima Gomes, ESTeSL (Estudante de Medicina Nuclear)
  • Inês Fernandes, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Inês Pires, ESTeSL (Estudante de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica)
  • Jorge Farromba, Parque das Nações (Residente)
  • Luís Lança, ESTeSL (Vice-Presidente da ESTeSL)
  • Margarida Matias, ESTeSL (Estudante de RT)
  • Maria Filomena Abreu de Sousa, ESEL
  • Cristina Pinto, Câmara Municipal de Lisboa
  • Maria João Ferreira, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Mariana Rito, ESTeSL (Estudante de Ortoprotesia)
  • Rodrigo Batalha, ESTeSL (Estudante de Fisioterapia)
  • Sara Pinto, ESTeSL (Estudante de Ortóptica)
  • Sara Venâncio, ESTeSL (AEESTeSL)
  • Vanda Martins, Câmara Municipal de Lisboa
  • Vanessa dos Santos, ESTeSL (Estudante de Análises Clínicas e Saúde Pública)
  • Vítor Manteigas, ESTeSL (Docente)

Neste momento estamos a últimar a Auditoria Ambiental que implica, no caso da ESTeSL, e dentre outras coisas, a determinação da Pegada Ecológica da comunidade académica, sendo este um passo de especial relevância para a elaboração do Plano de Ação. É nesse sentido que contamos com a colaboração de toda a comunidade académica (discentes, docentes, não-docentes e trabalhadores dos fornecedores a tempo inteiro), no preenchimento do questionário cuja divulgação foi garantida pelos conselheiros.

Política Ambiental da ESTeSLAssociado ao Programa Eco-Escolas, os Conselhos Eco-Escolas de cada uma das instituições de ensino (independentemente do nível de ensino de que estamos a falar) devem ser entendidos como a força motriz do Programa, garantindo a aplicação da metodologia subjacente à sua implementação, nomeadamente: Conselho-Eco-Escolas, Auditoria Ambiental, Plano de Ação, Monitorização, Trabalho Curricular, Informação e Envolvimento da Comunidade Local e Eco-Código, tendo já sido garantida, na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) a constituição do Conselho Eco-Escolas, de acordo com o regime de funcionamento e com os seguintes elementos:

  • Aldenir Semedo, ESTeSL (Estudante de Ortóptica)
  • Ana Almeida, ESTeSL (Docente)
  • Ana Cambão, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Ana Cristina Perdigão, IPL (Vice-Presidente do IPL)
  • Ana Monteiro, ESTeSL (Docente)
  • Ana Raposo, ESTeSL (Não-docente)
  • Ana Rita Pereira, ESTeSL (Estudante de Dietética e Nutrição)
  • Ana Rodrigues, ESTeSL (Estudante de Radiologia)
  • Ana Sabino, ESTeSL (Não-docente)
  • Catarina Adegas, ESTeSL (Estudante de Análises Clínicas e Saúde Pública)
  • Catarina Machado, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Cláudia Vilares, ESTeSL (Estudante de Farmácia)
  • Cristiana Monteiro, ESTeSL (Estudante de Cardiopneumologia)
  • Fátima Gomes, ESTeSL (Estudante de Medicina Nuclear)
  • Iolanda Martins, ESTeSL (Estudante de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica)
  • Jorge Farromba, AMCPN (Associação de Moradores e Comerciantes do Parque das Nações)
  • Luís Lança, ESTeSL (Vice-Presidente da ESTeSL)
  • Margarida Matias, ESTeSL (Estudante de Radioterapia)
  • Maria Filomena Abreu de Sousa, ESEL (Escola Superior de Enfermagem de Lisboa)
  • Maria Frias, CML (Câmara Municipal de Lisboa)
  • Mateus dos Santos, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Raquel Silva, ESTeSL (Estudante de Ortoprotesia)
  • Rodrigo Batalha, ESTeSL (Estudante de Fisioterapia)
  • Sara Venâncio, ESTeSL (AEESTeSL)
  • Tiago Faria, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Vanda Martins, CML (Câmara Municipal de Lisboa)
  • Vítor Manteigas, ESTeSL (Docente)

Depois da constituição do Conselho Eco-Escolas, entra-se na fase da Auditoria Ambiental que implica, no caso da ESTeSL, e dentre outras coisas, a determinação da pegada ecológica da comunidade académica, sendo este um passo de especial relevância para a elaboração do Plano de Ação.

Mantenham-se atentos!!… Teremos, em breve, uma pegada ecológica para determinar.

Hoje, dia 25 de fevereiro, e de forma a garantir a discussão e eventual aprovação do Plano de Ação para este ano letivo, a submeter na Plataforma Eco-Escolas até ao fim deste mês, o Conselho Eco-Escola da ESTeSL (2012/2013), teve mais uma das suas reuniões plenárias.

O Conselho Eco-Escola da ESTeSL é constituído por 27 elementos voluntários, de entre a comunidade académica (docentes, não docentes e estudantes), e elementos externos à ESTeSL representantes da comunidade local, nomeadamente: da Câmara Municipal de Lisboa, da Associação de Moradores e Comerciantes do Parque das Nações, do Instituto Politécnico de Lisboa e da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, dando-se assim cumprimento ao estipulado no Regime de Funcionamento do Conselho Eco-Escola, que para todos os efeitos, neste reunião foi objeto de alteração.

Conselho Eco-Escolas ESTeSL (2012/2013)

O Conselho Eco-Escola da ESTeSL conta com a participação dos seguintes elementos:

  • Ana Almeida, docente da área científica de Análises Clínicas e Saúde Pública da ESTeSL;
  • Ana Cristina Perdigão, Vice-Presidente do IPL;
  • Ana Martins, estudante de Ortóptica da ESTeSL;
  • Ana Monteiro, docente da área científica de Saúde Ambiental da ESTeSL (que coordena);
  • Ana Raposo, do Gabinete de Comunicação da ESTeSL;
  • Ana Rodrigues, estudante de Radiologia da ESTeSL;
  • Ana Sabino, dos Serviços de Ambiente, Saúde e Segurança da ESTeSL;
  • André Falé, estudante de Saúde Ambiental (1.º Ano) da ESTeSL;
  • Andreia Pedroso, estudante de Saúde Ambiental (4.º Ano) da ESTeSL;
  • Carolina Antunes, estudante de Dietética e Nutrição da ESTeSL;
  • Cláudia Vilares, estudante de Farmácia da ESTeSL;
  • Daniela Ribeiro, estudante de Medicina Nuclear da ESTeSL;
  • Filomena Sousa, docente de Enfermagem da ESEL;
  • Iryna Leskiv, estudante de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica da ESTeSL;
  • João de Almeida Pedro, vice-presidente da ESTeSL;
  • João Vaz, estudante de Fisioterapia da ESTeSL;
  • Jorge Farromba, Vogal do Conselho Fiscal da AMCPN;
  • Margarida Matias, estudante de Radioterapia da ESTeSL;
  • Maria Frias, Téc. Sup. da Divisão de Sensibilização e Educação Sanitária e Ambiental (CML);
  • Mateus dos Santos, estudante de Saúde Ambiental (2.º Ano) da ESTeSL;
  • Miguel Quintino, Presidente da Associação de Estudantes da  ESTeSL;
  • Salomé Lopes Silva, estudante de Ortoprotesia da ESTeSL;
  • Tiago Cardoso, estudante de Análises Clínicas e Saúde Pública da ESTeSL;
  • Tiago Faria, estudante de Saúde Ambiental (3.º Ano) da ESTeSL;
  • Vanda Martins, Téc. Sup. da Divisão de Sensibilização e Educação Sanitária e Ambiental (CML);
  • Vítor Manteigas, docente da área científica de Saúde Ambiental (que coordena); e
  • Vítor Morgado, estudante de Cardiopneumologia da ESTeSL.

Para além dos conselheiros presentes, contou-se ainda com a participação do Professor João Lobato, Presidente da ESTeSL, que nos acompanhou nesta sessão de trabalho, que culminou com a aprovação do Plano de Ação da ESTeSL.

Foi no passado dia 16 de dezembro, após o hastear da Bandeira Verde, que o Conselho Eco-Escola da ESTeSL (2011/2012) promoveu a sua primeira reunião plenária deste ano letivo.

O Conselho Eco-Escola da ESTeSL é constituído por 26 elementos voluntários, de entre a comunidade académica (docentes, não docentes e estudantes), e elementos externos à ESTeSL representantes da comunidade local, nomeadamente: da Câmara Municipal de Lisboa, da Parque EXPO, da Associação de Moradores e Comerciantes do Parque das Nações, do Instituto Politécnico de Lisboa e da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, dando-se assim cumprimento ao estipulado no Regime de Funcionamento do Conselho Eco-Escola.

Para além dos conselheiros presentes, contou-se ainda com a participação da Dra. Margarida Gomes, da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) e Coordenadora Nacional do Programa Eco-Escolas, e da Dra. Vanda Martins da Câmara Municipal de Lisboa.

O Conselho Eco-Escola da ESTeSL conta com a participação dos seguintes elementos:

  • Ana Almeida, docente de Análises Clínicas e Saúde Pública da ESTeSL
  • Ana Carrasquinho, estudante de Análises Clínicas e Saúde Pública (3.º ano)
  • Ana Monteiro, docente de Saúde Ambiental da ESTeSL (que coordena)
  • Ana Raposo, do Gabinete de Comunicação da ESTeSL
  • Ana Sabino, do Serviço de Ambiente, Saúde e Segurança da ESTeSL
  • Ana Sofia Rodrigues, estudante de Farmácia (4.º ano)
  • Bruno Águas, estudante de Ortóptica (3.º ano)
  • Cláudia Martins, estudante de Saúde Ambiental (4.º ano)
  • Cristina Dias, do Departamento de Ambiente Urbano da Parque Expo
  • Daniela Ribeiro, estudante de Medicina Nuclear (2.º ano)
  • Diogo Monteiro, estudante de Cardiopneumologia (4.º ano)
  • Joana Cordeiro, estudante de Radiologia (2.º ano)
  • Joana Faustino, estudante de Dietética e Nutrição (3.º ano)
  • João de Almeida Pedro, Vice-Presidente da ESTeSL
  • Jorge Farromba, Vogal do Conselho Fiscal da AMCPN
  • Jorge Silva, estudante de Saúde Ambiental (1.º ano) da ESTeSL
  • Leonor Vaz Pimentel, estudante de Ortoprotesia (2.º ano)
  • Margarida Augusto Rato, estudante de Radioterapia (2.º ano)
  • Maria Frias, Divisão de Sensibilização e Educação Sanitária e Ambiental da CML
  • Maria de Lurdes Serrazina, Vice-Presidente do Instituto Politécnico de Lisboa
  • Maria Filomena Abreu de Sousa, docente de Enfermagem da ESEL
  • Mariana Barbosa, estudante de Anatomia Patológica, Citológica e Tanatológica (3.º ano)
  • Pedro Varela de Matos, estudante de Fisioterapia (2.º ano)
  • Sara Francisco, estudante de Saúde Ambiental (3.º ano)
  • Tiago Faria, estudante de Saúde Ambiental (2.º ano)
  • Vítor Manteigas, docente de Saúde Ambiental da ESTeSL (que coordena)

A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) apresentou no ano lectivo 2010/2011 a sua proposta de implementação do Programa Eco-Escolas, considerando aquelas que são as suas preocupações associadas ao Desenvolvimento Sustentável e à Preservação do Meio Ambiente. Este é um Programa Internacional, que pretende encorajar acções e reconhecer o trabalho de qualidade desenvolvido pelas instituições de ensino, no âmbito da Educação Ambiental, Sustentabilidade e Cidadania.

Decorreu no dia 30 de Março de 2011, a primeira reunião plenária do Conselho Eco-Escola, um grupo de trabalho da ESTeSL, de carácter consultivo, que tem em vista garantir a implementação do Programa Eco-Escolas e promover a participação activa da Comunidade Académica.

Segundo as directrizes do referido Programa, o Conselho Eco-Escola deve ser a força motriz do mesmo, assegurando a execução deste e devendo incluir representantes da Comunidade Escolar e local, com especial ênfase nos estudantes.

O Conselho Eco-Escola da ESTeSL é constituído por 21 elementos voluntários, de entre a comunidade académica (docentes, não docentes e estudantes), e elementos externos à ESTeSL representantes da comunidade local, nomeadamente: da Câmara Municipal de Lisboa, da Parque EXPO, da Associação de Moradores e Comerciantes do Parque das Nações, do Instituto Politécnico de Lisboa, e da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa.

Neste encontro do Conselho foi apresentando o Programa a todos os presentes, bem como aprovado o Regime de Funcionamento do Conselho e o Plano de Acção da ESTeSL.

Ao longo dos próximos meses, e na sequência do que já vem sendo feito, tendo em vista a obtenção do galardão do Programa Eco-Escolas, a bandeira verde, irão continuar a ser desenvolvidas na ESTeSL diversas iniciativas tendo em vista a melhoria do seu desempenho ambiental, da gestão do espaço escolar e da sensibilização da comunidade, ao nível de 7 temas chave: água, resíduos, energia, florestas, transportes, ruído e qualidade do ar.

Os Conselhos Eco-Escolas devem ser entendidos como a força motriz do projecto, a desenvolver no âmbito do Programa Eco-Escolas em cada uma das escolas proponentes, e devem assegurar a execução dos outros seis elementos subjacentes à metodologia própria do Programa, nomeadamente:

  1. Auditoria Ambiental;
  2. Plano de Acção;
  3. Monitorização;
  4. Trabalho Curricular;
  5. Informação e Envolvimento da Comunidade Local; e
  6. Eco-Código.

De acordo com o definido no Guia Eco-Escola, as competências dos Conselhos Eco-Escolas passam por: (i) implementar a auditoria ambiental; (ii) discutir o plano de acção; (iii) monitorizar e avaliar as actividades; (iv) e coordenar as formas de divulgação do Programa na escola e comunidade.

Face à relevância que os Conselhos Eco-Escolas têm, e atendendo à necessária adaptação ao ensino superior, estes devem ser constituídor por:

  1. Professor coordenador do Programa (que preside às reuniões);
  2. Representantes dos estudantes;
  3. Representantes dos docentes;
  4. Representantes do pessoal não docente;
  5. Representantes dos órgãos de governo; e
  6. Representantes da comunidade (elementos externos à escola).

Foi a partir destes pressupostos que se definiu a constituição do Conselho Eco-Escola da ESTeSL, que conta com a participação dos seguintes elementos:

  • Ana Almeida, docente de Análises Clínicas e Saúde Pública da ESTeSL
  • Ana Monteiro, docente de Saúde Ambiental da ESTeSL
  • Ana Raposo, do Gabinete de Comunicação da ESTeSL
  • Ana Rita Ferreira, estudante de Ortóptica (3.º ano) da ESTeSL
  • Ana Sabino, do Serviços de Infra-Estruturas, Instalações e Equipamentos da ESTeSL
  • Ana Sofia Rodrigues, estudante de Farmácia (3.º ano) da ESTeSL
  • Camila Machado, estudante de Saúde Ambiental (4.º ano) da ESTeSL
  • Célia Sousa, estudante de Saúde Ambiental (4.º ano) da ESTeSL
  • Cláudia Martins, estudante de Saúde Ambiental (3.º ano) da ESTeSL
  • Cristina Dias, do Departamento de Ambiente Urbano da Parque Expo
  • Diogo Monteiro, estudante de Cardiopneumologia (3.º ano) da ESTeSL
  • Isabel Caçador, da Divisão de Educação e Sensibilização Ambiental da CML
  • João de Almeida Pedro, Vice-Presidente da ESTeSL
  • José Manuel Rodrigues Moreno, Presidente da Direcção da AMCPN
  • Liliana Gonçalves, estudante de Saúde Ambiental (4.º ano) da ESTeSL
  • Maria de Lurdes Serrazina, Vice-Presidente do IPL
  • Maria Filomena Abreu de Sousa, docente de Enfermagem da ESEL
  • Nádia Santos, estudante de Saúde Ambiental (4.º ano) da ESTeSL
  • Pedro Varela de Matos, estudante de Fisioterapia (1.º ano) da ESTeSL
  • Tânia Silva, estudante de Dietética e Nutrição (3.º ano) da ESTeSL
  • Vítor Manteigas, docente de Saúde Ambiental da ESTeSL

A todos os conselheiros desejamos… bom trabalho!




Introduza o seu e-mail


Junho 2017
S T Q Q S S D
« Mai    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
Categorias
Parceiros