A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) foi convidada do programa Carbono Zero do Canal S+ (posição 125 da NOS), a propósito da sua participação no projeto Interreg Sudoe ClimACT e no programa Jovens Repórteres para o Ambiente.

Na sequência do convite que nos foi endereçado pela produtora Mediapro, uma equipa de jornalistas deslocou-se à ESTeSL para a recolha de testemunhos associados aos temas a abordar. A reportagem contou com a participação do Hugo Silva, estudante do curso de licenciatura em Saúde Ambiental e Jovem Repórter para o Ambiente, elemento dos grupos de trabalho responsáveis pelas video-reportagens “Beatas no chão… NÃO!” e a participação da ESTeSL na Litter Less Campaign e Sistema de Recolha de Resíduos Sólidos Urbanos: a singularidade do Parque das Nações, assim como da Ana Sabino, dos Serviços de Logística, Ambiente e Segurança e membro da Comissão Baixo Carbono do projeto ClimACT.

Em estúdio esteve Pedro Pena, também ele estudante do curso de licenciatura em Saúde Ambiental e Jovem Repórter para o Ambiente que, em função do artigo “O teu plástico não me é estranho!“, foi um dos selecionados a nível nacional para participar na Missão Rock in Rio, para Jovens Repórteres para o Ambiente, que irá decorrer entre os dias 28 de junho e 1 de julho. Esteve também Vítor Manteigas, professor e coordenador dos Programas Eco-Escolas e Jovens Repórteres para o Ambiente, assim como coordenador Baixo Carbono no âmbito do projeto Interreg Sudoe ClimACT.

Esta foi mais uma experiência que vem reforçar o trabalho de qualidade que temos vindo a desenvolver e cuja contribuição de toda a comunidade académica tem sido fundamental e a qual agradecemos. Muito obrigado!!

Os prémios REGIOSTARS identificam boas práticas no desenvolvimento regional e destacam projetos originais e inovadores que são interessantes e inspiradores para outras regiões.

REGIOSTARS 2018

Em 2018, as categorias são: (i) apoiar a transição industrial inteligente; (ii) alcançar a sustentabilidade através de baixas emissões de carbono; (iii) criar melhor acesso a serviços públicos; (iv) e enfrentar os desafios da migração. sendo que o tópico deste ano é “investir no património cultural”.

Um júri de 15 membros, co-presidido pelo deputado do Parlamento Europeu Lambert Van Nistelrooij e pela eurodeputada Kerstin Westphal, avaliou as 102 candidaturas submetidas ao concurso deste ano, para distinguir os projetos mais relevantes da Europa apoiados pela política de coesão da União Europeia.

Os 21 finalistas selecionados são provenientes de 20 estados membros e cinco outros países parceiros e o projeto Interreg Sudoe ClimACT, do qual a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) é uma das escolas-piloto, é finalista na categoria 2 (alcançar a sustentabilidade através de baixas emissões de carbono) do REGIOSTARS 2018!

Hoje, dia 8 de junho, na celebração do Dia Mundial dos Oceanos, deixamos algumas sugestões para que se mantenham informados e em alerta para as questões da poluição nos mares e oceanos.

Sugestões para o Dia Mundial dos Oceanos

Sugerimos o visionamento de seis documentários sobre o ambiente marinho que se diz serem histórias polémicas, verdadeiras e inspiradoras, sendo temas que precisam ser falados, debatidos e divulgados para que a mensagem de como podemos minimizar os efeitos devastadores que potenciam as alterações climáticas possa ser entendida e colocada em ação.

Deixamos ainda uma sugestão de leitura para o mês de junho. Falamos da edição deste mês da National Geographic, cuja capa é já considerada uma das melhores e mais impactantes de sempre, e que por si só acaba por ser reveladora do tema em destaque.

Planet or Plastic? is National Geographic’s multiyear initiative aimed at raising awareness about the global plastic crisis and reducing the amount of single-use plastic that enters the world’s oceans. Using the power of storytelling and science, National Geographic is encouraging its audiences around the world to help tackle the crisis, beginning with the release of the June issue of National Geographic magazine, which takes an in-depth look at the impact of plastic on ocean health and is available on newsstands now. The multiyear effort includes a major research and scientific initiative; a continued consumer education and engagement campaign; updated internal corporate sustainability commitments; and innovative partnerships with like-minded corporations and non-governmental organizations from all over the world.

 

Hoje, a propósito do Dia Mundial do Ambiente, onde o tema é os plásticos e a “poluição plástica”, deixamos aqui o artigo “ironicamente” de opinião, escrito pelos estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), Pedro Pena e Cristiana Costa, que lhes valeu a participação enquanto Jovens Repórteres para o Ambiente na Missão Rock in Rio, que terá lugar entre os dias 28 de junho e 1 de julho.

Com base nas poucas vivências, na inocência da tenra idade de pouco mais que um século empreendedor, uma noção de realidade irreverente às (novas) normas sociais em vigor: “gastar plástico”.

O plástico!…

São indiscutíveis as vantagens da sua utilização. A hipocrisia não tem limite neste tema devido às “desculpas” que ninguém clama ter para tão grande “problema”, a seus olhos.

Pois bem, um descarte de responsabilidade, e um “punhado” de velhos costumes (e como há “modas” que nunca se perdem), mais fácil é atirar um saco de plástico ao chão, que o separar para fins de reciclagem.

O teu plástico não me é estranho

Não julguemos o pobre indivíduo que tão arduamente procurou pela forma mais sensata de se desfazer do produto. Julguemos antes as alterações climáticas! Se não fosse essa “invenção” dos ambientalistas, ninguém reclamaria de ação tão simples e que tão pouco mal faz ao mundo. “Um saco de plástico é só um saco de plástico!”

Tanta poesia numa frase tão simples. Analisemos as metáforas presentes em cada palavra e ignoremos a quantidade de animais extintos, por exemplo. Estes não são nada comparado com a supremacia do Homem! Ignoremos a desertificação, a fome, a dizimação de culturas e o assassinato da verdade. Tudo mentiras! Preferíveis são os interesses do Homem, seguir tendências. Curioso que salvar o mundo do Homem nunca foi tendência. Talvez porque nunca houve necessidade, dizem os eruditos na matéria.

O ignorante ainda diz que é impossível uma ilha de plástico no meio do oceano. Tem toda a razão, até parece que a ida ao espaço alguma vez foi possível! Calúnias! Foquemo-nos no importante, deixemo-nos de atrocidades e preparem-se os “ricos”, que as políticas de sustentabilidade são completamente desnecessárias e poluir é um direito.

(In)feliz do Homem que assim pensa. Que a ironia não sirva de sátira à verdade, mas reforce o bom senso. “Um saco de plástico é só um saco de plástico”. Então que o Homem seja Homem e assuma a sua responsabilidade para com a Natureza que o sustenta.

No passado dia 28 de maio, e tal como já havíamos referido (ver “Vida Verde”, uma nova rubrica com a colaboração da Eco-Escola ESTeSL), a metodologia Eco-Escolas que temos vindo a implementar na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) foi tema de conversa no programa Manhãs na TV.

O professor Vítor Manteigas, coordenador dos Programas Eco-Escolas e Jovens Repórteres para o Ambiente da ESTeSL e Coordenador Baixo Carbono no âmbito do projeto Interreg Sudoe ClimACT, foi convidado a participar a rubrica “Vida Verde” do programa Manhãs na TV da Kuriakos TV, onde fez alusão ao trabalho que tem vindo a ser feito no âmbito da Educação Ambiental para a Sustentabilidade e onde, naturalmente, os estudantes têm tido um papel de destaque.

Neste “Vida Verde”, para além da apresentação da rubrica, fez-se uma primeira abordagem à problemática dos resíduos plásticos que voltará, certamente, a ser abordada numa próxima edição desta rubrica.

Irá ter lugar, no próximo dia 12 de junho, aquele que será o primeiro Encontro Virtual Campus Sustentável.

Este evento, em formato workshop virtual, será enquadrado na EUSEW – European Union Sustainable Energy Week e aberto ao público, envolvendo todas as instituições de ensino superior do país, dispostas a compartilhar experiências em atividades e projetos no âmbito do “Campus Sustentável”.

Encontro Virtual Campus Sustentável

A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), fruto do seu trabalho associado ao programa Eco-Escolas e ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, foi convidado a participar para ali relatar aquela que tem sido a sua experiência nestas matérias.

Considerando que o grau de envolvimento em atividades “Campus Sustentável” varia muito entre instituições, este encontro ambiciona criar um ambiente de encorajamento e de cooperação, em que as instituições de ensino mais experientes possam apoiar as que começaram há menos tempo, antecipando dificuldades identificadas e já ultrapassadas.

O objetivo consiste em transmitir às instituições de ensino superior, no geral, a mensagem “faça como ensina”, com intenção de criar uma base para um movimento “Campus Sustentável” nacional, assim como em comunicar com o público em geral de forma a potenciar a divulgação das atividades, projetos e resultados no uso e na gestão sustentável de energia.

O primeiro Encontro Virtual Campus Sustentável, que integra o professor Vítor Manteigas na respetiva Comissão Organizadora, terá início às 14h15m e contará com o relato das experiências de diversas instituições de ensino superior, nomeadamente, e para além da ESTeSL, a University of Nottingham Trent, o Instituto Superior Técnico da Universidade de Lisboa, a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, a Universidade Aberta, o Instituto Politécnico de Leiria, a Universidade de Aveiro e a Universidade de Coimbra (ver programa).

Sendo um encontro virtual, tem uma pegada de carbono mínima por evitar deslocação física dos participantes para um local centralizado, funcionando em modo distribuído pelo país, embora com todos os pontos sincronizados. A ESTeSL será, seguramente um dos locais onde poderão assistir ao Encontro Virtual Campus Sustentável e sobre o qual em breve daremos mais informações.

 

Hoje deu-se início a um novo desafio proposto pela equipa de produção da Kuriakos TV e que conta com a participação do professor Vítor Manteigas, coordenador dos Programas Eco-Escolas e Jovens Repórteres para o Ambiente da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) e Coordenador Baixo Carbono no âmbito do projeto Interreg Sudoe ClimACT.

A Eco-Escola ESTeSL na "Vida Verde"
Hoje deu-se início à “Vida Verde“, uma nova rubrica do programa Manhãs na TV, onde se irão promover boas práticas ambientais, assim como divulgar algum do trabalho de mérito que se tem feito de forma continuada ao longo dos últimos anos e que poderá servir de exemplo para melhorar o ambiente.

O mote para este primeiro episódio (que em breve divulgaremos) foi a problemática dos resíduos plásticos e aquilo que estará na sua génese, assim como qual poderá ser o contributo de cada um de nós para obviar este problema. Contudo, e porque se começou por fazer uma “sinopse” do trabalho que temos vindo a fazer nos últimos anos, muito (quase tudo!) ficou por dizer e certamente que iremos, num futuro próximo, recuperar este tema.




Introduza o seu e-mail


Julho 2018
S T Q Q S S D
« Jun    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
Categorias
Parceiros