Durante a Semana da Ciência e da Tecnologia, que teve início a 21 de novembro e que terminará a 27, daqui a três dias, muitas são as instituições científicas, universidades, escolas, associações, museus e Centros Ciência Viva que, um pouco por todo o país, abrem as suas portas ao público em geral, promovendo uma viagem pelo conhecimento.

O Dia Nacional da Cultura Científica, que se comemora hoje, dia 24 de novembro, foi instituído em 1997 para comemorar o nascimento de Rómulo de Carvalho e divulgar o seu trabalho na promoção da cultura científica e no ensino da ciência.

Sendo a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) uma instituição de ensino superior que tem como missão a excelência do ensino, da investigação e da prestação de serviços no âmbito das ciências da saúde, a cultura científica é algo que lhe é intrínseco. Diríamos até que é algo que lhe corre nas veias do saber que a cada dia alimenta, mais e melhor, o conhecimento daqueles que com ela privam. Falamos dos estudantes.

Façamos então uso dessa cultura e desse conhecimento para promover uma utilização mais consciente dos recursos que nos são disponibilizados.

Entretanto, já ouviram falar do Relatório Brundtland “Our Common Future” (descarregar documento original em pdf)?

O relatório “Our Common Future” (Nosso Futuro Comum) mais conhecido como o Relatório Brundtland, resultou do trabalho de uma comissão presidida por Mansour Khalid e Gro Harlem Brundtland (está explicado o nome pelo qual é comummente conhecido) e que foi divulgado em abril de 1987. Esta comissão, composta por organizações não-governamentais (ONG) e investigadores de todo o mundo, foi criada em 1983 pela Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento, da Organização das Nações Unidas. O seu trabalho durou quatro anos e envolveu a realização de discussões a nível mundial.

Aquele relatório apresentou uma visão complexa das causas dos problemas socioeconómicos e ecológicos da sociedade e as inter-relações entre a economia, a tecnologia, a sociedade e a política e chama a atenção para aquela que era na altura uma nova postura moral que se caracterizava pela responsabilidade tanto entre as gerações como entre os membros da sociedade atual. É a partir daqui que se difunde o conceito de desenvolvimento sustentável que é mundialmente conhecido como “o desenvolvimento que satisfaz as necessidade da geração presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras satisfazerem as suas próprias necessidades” (Relatório Brundtland, 1987:24).

Deixe um Comentário




Introduza o seu e-mail


Novembro 2019
S T Q Q S S D
« Jul    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  
Categorias