Archive for the ‘Eco-Escolas’ Category

Foi na passada quinta-feira, 4 de outubro de 2018, que uma comitiva da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), da qual faziam parte estudantes e docentes, representando a comunidade académica, participou em mais um Dia das Bandeiras Verdes, que este ano decorreu na cidade de Pombal e onde recebeu o oitavo galardão Eco-Escolas, a Bandeira Verde, atribuído à ESTeSL.

Tal como já havia ocorrido em edições anteriores, a ESTeSL foi responsável por, em conjunto com a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra, dinamizar uma atividade de fotografias criativas que garantiu animação aos milhares de participantes no Dia das Bandeiras Verdes.

Fomos receber mais uma Bandeira Verde...

Muito do trabalho desenvolvido ao longo do ano, e que culminou com a atribuição da Bandeira Verde, foi da responsabilidade de estudantes e docentes de Saúde Ambiental, tendo-se recebido ainda os prémios correspondentes aos lugares conseguidos nos projetos/desafios:

O momento mais esperado do dia teve lugar quando a estudante do curso de licenciatura em Imagem Médica e Radioterapia, Daniela Pasat, membro do conselho Eco-Escolas e da Comissão Baixo Carbono, recebeu a Bandeira Verde, em nome representação de toda a comunidade académica da ESTeSL.

A delegação da ESTeSL que se deslocou a Pombal numa viatura gentilmente cidade pelo Instituto Politécnico de Lisboa, levou consigo a marca do projeto Interreg Sudoe ClimACT e regressou a Lisboa já no fim do dia, trazendo na bagagem aquela que é a sua oitava Bandeira Verde, perspetivando-se para breve o respetivo hastear na Praça da Saúde.

Parabéns a toda a comunidade académica, em especial ao Conselho Eco-Escolas e à equipa de docentes e estudantes que têm vindo a contribuir de forma inegável para uma educação ambiental para a sustentabilidade, de mérito, na nossa escola.

Dia das Bandeiras Verdes 2018 (Pombal)Depois de ter sido tornado público a atribuição de mais uma Bandeira Verde (Galardão Eco-Escolas) à Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), podemos então confirmar a nossa presença, mais uma vez, na cerimónia do Dia das Bandeiras Verdes 2018.

Desde o ano letivo passado que a atribuição do Galardão Eco-Escolas surge também na sequência daquela que tem sido a nossa participação no projeto Interreg Sudoe ClimACT e de todo o trabalho entretanto desenvolvido.

A “aventura” começou ano letivo de 2010/2011 e desde então nunca mais parou. Este ano conseguiu-se, pelo oitavo ano consecutivo, conquistar mais um galardão que uma comitiva representativa da comunidade académica da ESTeSL irá receber no Encontro Nacional “Dia das Bandeiras Verdes”, no dia 4 de outubro, em Pombal,

A atribuição deste oitavo galardão vem reconhecer o trabalho de mérito que temos vindo a desenvolver ao longo destes anos, em prol de uma educação para a sustentabilidade, de qualidade, e que este ano foi também, à semelhança dos anos anteriores, objeto da atribuição de vários prémios (ver  ESTeSL é premiada no desafio “Alimentação Saudável e Sustentável” e ESTeSL volta a vencer uma das atividades criativas da Geração Depositrão).

Parabéns a toda a comunidade académica da ESTeSL!…

Prepara-te para a maior aventura da tua vida… na ESTeSL!

Todos os anos, os estudantes da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) recebem a Agenda e Guia ESTeSL. Na edição respeitante ao ano letivo 2018/2019, que entretanto foi distribuída aos estudantes caloiros e que em breve chegará a toda a comunidade académica, poderão encontrar mais uma vez o Código Climático e o Eco-Código ESTeSL, através da reprodução do respetivo poster, referente ao ano de 2018 e que tenderá a refletir-se ao longo deste ano letivo.

O nosso Código Climático na Agenda e Guia 2018 da ESTeSL

A toda a eco-comunidade académica da ESTeSL, e em particular aos estudantes,  desejamos um excelente ano letivo.

Bom trabalho!

O Humans of Sudoe, um projeto de testemunhos cujo primeiro objetivo é recolher as experiências daqueles que usufruem e estão implicados nos projetos financiados através do Programa Interreg Sudoe, ilustrando como estes contribuem para a melhoria do dia-a-dia, criando dessa forma um reportório de testemunhos na primeira pessoa, relativo à construção de uma Europa por e para os cidadãos, recebeu o contributo do professor Vítor Manteigas, docente da área de Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), coordenador dos programas Eco-Escolas e Jovens Repórteres para o Ambiente e coordenador Baixo Carbono, no âmbito do projeto  Interreg Sudoe ClimACT.

A participação da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) enquanto escola-piloto do projeto ClimACT, levou-me a assumir as funções de coordenador Baixo Carbono, sendo o elemento de ligação da escola com a equipa técnica do projeto.
Com o projeto ClimACT tenho tido a oportunidade de, em conjunto com a comunidade académica, incluindo docentes, não docente e estudantes, identificar situações que têm melhorado o desempenho ambiental e energético da ESTeSL, contribuindo significativamente para a redução das emissões de carbono. Esta minha participação no projeto ClimACT possibilitou-me ainda o trabalho em rede com outras escolas de Portugal, Espanha, França e Gibraltar, onde a partilha de experiências tem passado por momentos únicos de aprendizagem. O ClimACT tem contribuído para a aquisição de conhecimentos e competências que tenho vindo aplicar no âmbito do programa Eco-Escolas, do qual sou coordenador, e naquelas que são minhas atividades enquanto professor de Saúde Ambiental. Tem-se tornado mais interessante e motivador abordar as questões energéticas e, naturalmente, as questões ambientais e relacioná-las com a saúde.

ClimACT é um projeto financiado no âmbito do Programa Interreg Sudoe 2014-2020. Através da gestão energética inteligente, as energias renováveis e a alteração de comportamentos, ClimACT melhora a eficiência energética dos edifícios escolares. Também realiza atividades formativas para sensibilizar os estudantes sobre a importância da economia baixa em carbono.

ClimACT… http://www.climact.net

Este ano, na sequência do desafio lançado a todas as Eco-Escolas, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) participou pela primeira vez no projeto “Alimentação Saudável e Sustentável”.

O projeto “Alimentação Saudável e Sustentável” concretizou-se através de um conjunto de desafios, que pretendia motivar as crianças, jovens, professores e família para um maior conhecimento acerca das questões que se relacionam com a alimentação saudável e sustentável por forma a que estes se tornem recetivos à introdução de mudanças de hábitos no dia-a-dia. O enfoque deste ano letivo foi, para além da Alimentação Saudável e Sustentável, o combate ao Desperdício Alimentar.

ESTeSL é premiada no desafio Alimentação Saudável e Sustentável

As estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental, Catarina Ricardo, Felícia Silva, Inês César e Joana Ferreira participaram no projeto, idealizando uma “eco-ementa” completa para quatro pessoas, com alimentos da época de Primavera/ Verão e que lhes valeu o terceiro lugar no concurso nacional. Parabéns!

Os alimentos foram adquiridos localmente, tendo-se optado por produtos frescos biológicos, na sua maioria não embalados e não processados, assim como por alimentos rios em fibras, pobres em hidratos de carbono e açucares artificiais. Pela proximidade aos locais de produção, foram comprados sem recurso a uso de transportes, tendo sido confecionados nas instalações da ESTeSL e consumidos pelas estudantes, numa das refeições principais.

A ementa foi pensada pelas estudantes, após um trabalho de pesquisa acerca das frutas e vegetais da época e da região, calculando-se também o valor energético total da ementa, tendo por base a tabela de composição nutricional do Instituto Dr. Ricardo Jorge, assim como a informação inclusa nos rótulos de alguns alimentos. Para a concretização deste trabalho contou-se com a colaboração da Mariana Pereira, recém licenciada em Dietética e Nutrição pela ESTeSL, a quem agradecemos. Deixamos também um agradecimento ao curso de Dietética e Nutrição pela cedência do laboratório onde se procedeu à preparação e confeção da refeição.

A Associação Bandeira Azul da Europa convida toda a comunidade Eco-Escolas a votar no(s) poster(es) Eco-Código que mais forem do vosso agrado para que, em cada escalão, os que vierem a ter mais mais “LIKES” sejam premiados com o Prémio Comunidade Virtual.

A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), sendo escola-piloto do projeto Interreg Sudoe ClimACT, tem a concurso um poster com o seu Código Climático e o vosso “voto” pode fazer a diferença.

Para poderem contribuir para o sucesso do Código Climático da ESTeSL neste desafio na comunidade virtual, basta terem um perfil registado no Facebook e, depois de acederem ao nosso poster Eco-Código e Código Climático (clicar AQUI), deixar o vosso “LIKE”. Em alternativa poderão “GOSTAR” fazendo uso da imagem incorporada nesta publicação.

Contamos convosco!

Para a realização do projeto submetido ao Concurso Nacional Poster Eco-Código / Código Climático 2018, foi proposto a um grupo específico de estudantes que, no âmbito do Programa Eco-Escolas e unidade curricular de Estágio em Saúde Ambiental I e, em conjunto com o professor responsável, a elaboração de um póster Código Climático em que estivessem contemplados os temas-base no âmbito do projeto Interreg Sudoe ClimACT (água, resíduos, energia, espaços verdes/floresta, mobilidade e compromisso verde) e pelo menos um dos temas facultativos (alimentação saudável e sustentável), indo de encontro também ao Plano de Ação previamente definido.

Foi pedido a cada um dos membros da Comissão Baixo Carbono que, com a colaboração dos colegas dos respetivos cursos de licenciatura (no caso dos estudantes), sugerissem frases tendo em conta os pressupostos anteriores, visando a criação ou alteração de atitudes e comportamentos conducentes à melhoria do ambiente tanto na escola como em casa. As inúmeras frases propostas foram sujeitas a votação e seriação, das quais resultaram as apresentadas no poster.

Este ano, e de forma a garantir uma vinculação efetiva ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, optou-se por fazer-se uso da imagem do projeto, depois da devida autorização por parte de equipa coordenadora. Ambas as etapas foram realizadas sob orientação do professor responsável pelo grupo de trabalho e coordenador Eco-Escolas/Baixo Carbono, e sendo igualmente sujeita à “ratificação” dos elementos do Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono.

Foi publicada na passada sexta-feira, dia 6 de julho, a Resolução da Assembleia da República n.º 158/2018, que recomenda ao Governo que realize uma avaliação de impacto do programa Eco-Escolas.

No ponto 1 do documento, aprovado no dia 6 de abril, pode ler-se que a Assembleia da República propõe ao Governo que “elabore um estudo de avaliação de impacto do Programa Eco-Escolas, nomeadamente ao nível dos projetos realizados e do seu efeito transformador, e da alteração de atitudes e práticas das comunidades educativas que participaram no programa”.

No ponto dois, a Assembleia da República sugere que “na sequência dos resultados dessa avaliação [proposto no ponto anterior], pondere a expansão da rede Eco-Escolas a todos os agrupamentos de escolas, bem como às instituições de ensino superior”.

A Assembleia da República recomenda ao Governo que realize uma avaliação de impacto do Programa Eco-Escolas

A confirmar-se a sugestão enunciada no ponto 2, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) já leva, pelo menos, oito anos “de avanço”, com trabalho efetivo no âmbito do Programa Eco-Escolas. Esperemos que num futuro próximo, tenhamos muitas mais instituições de ensino superior a integrar a rede Eco-Escolas.




Introduza o seu e-mail


Novembro 2018
S T Q Q S S D
« Out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
Categorias
Parceiros