Archive for the ‘Mares e Oceanos’ Category

Na próxima sessão das “Conversas na Aldeia Global“, dedicadas ao caminho para um futuro sustentável e à Agenda 2030, que terá lugar já amanhã, dia 14 de setembro, às 21h30m, no Auditório da Biblioteca Municipal de Oeiras, com moderação de Vasco Trigo, Luísa Schmidt irá falar sobre “Ambientes de Mudança

Conversas na Aldeia Global | Futuro Sustentável: Ambientes de Mudança, com Luísa Schmidt

Pretende-se discutir em que medida estão a surgir «Ambientes de Mudança» e com enfoque nas nove áreas do ambiente abordadas no seu mais recente livro — águas, resíduos, ar, alterações climáticas, energia, território, conservação da Natureza, mar e cidadania.

Numa perspetiva ambiental, recuperam-se alguns dos problemas que compõem as agendas nacionais e internacionais e de difícil resolução, caso dos grandes incêndios deste verão que cíclica e tragicamente devastam o país, da poluição dos rios, da ocupação do litoral ou da suburbanização imparável.

Luisa Schmidt é investigadora no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, onde leciona e desenvolve vários projetos que articulam ciências sociais e ambiente. Membro do Conselho Nacional de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável e do European  Environment Advisory Council. Faz parte do núcleo de fundadores do OBSERVA: Observatório de Ambiente, Sociedade e Opinião Pública. É autora da série televisiva «Portugal, um Retrato Ambiental» e de diversos livros na área do ambiente. Com a coluna «Qualidade Devida» que mantém no Jornal Expresso desde 1990, tem contribuído para a divulgação e debate dos problemas ambientais.

De acordo com um artigo recentemente publicado no periódico Science of The Total Environment, a solução para o problema ambiental dos microplásticos nos oceanos, pode muito bem ter sido descoberta por uma equipa de investigação do Departamento de Química e do Centro de Estudos do Ambiente e do Mar, da Universidade de Aveiro, a quem deixamos, desde já, os nossos parabéns.

Biodegradation of polyethylene microplastics by the marine fungus Zalerion maritimum

A solução passa pelo uso do Zalerion maritimum, um fungo marítimo que consegue, não só, degradar o microplástico como o faz de forma rápida e eficiente. Esta terá sido, segundo os autores,  “a primeira solução ecológica alguma vez descoberta para combater os plásticos nos oceanos já que ao otimizar-se o raro apetite do fungo recorre-se a uma solução oferecida pelo próprio mar.”

Aos potencialmente interessados, sugerimos a leitura do artigo Biodegradation of polyethylene microplastics by the marine fungus Zalerion maritimum.

Em pleno Dia Mundial do Ambiente, evento que se celebra anualmente a 5 de junho e que tem como objetivo alertar as populações e os governos para a necessidade de garantir a proteção e a preservação do ambiente, divulgamos o nosso Eco-Código que é cumulativamente o Código Climático, dando assim cumprimento a uma das atividades previstas no projeto ClimACT (#InterregSudoeClimACT).

Poster Eco-Código e Código Climático da ESTeSL (2017)
Estamos a pouco dias de começar uma longa época de avaliações (último momento de avaliação e exames) e a semanas de terminar mais um ano de intenso trabalho associado à implementação do Programa Eco-Escolas e do projeto Interreg Sudoe ClimACT na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL). Após a adoção da metodologia de trabalho subjacente à sua efetiva implementação, que culmina com a elaboração e divulgação do Eco-Código | Código Climático (Conselho Eco-Escola/Comissão Baixo Carbono, Auditoria Ambiental, Plano de Ação, Monitorização, Trabalho Curricular, Informação e Envolvimento da Comunidade Local e, por último, Eco-Código/Código Climático), apresentamos-vos aquele que é o Poster Eco-Código e Código Climático concebido este ano e cujo conteúdo vai de encontro àquilo que havia sido definido no Plano de Ação.

Feliz Dia Mundial do Ambiente!…

Foi na passada sexta-feira, dia 2 de junho, que uma comitiva da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) participou na Missão Litter Less Ericeira, tal como já havíamos anunciado (ver Estudantes da ESTeSL participam na limpeza de praias da Ericeira).

ESTeSL na Missão Litter Less (Ericeira, Portugal)

O convite para a ESTeSL participar nesta missão decorreu do reconhecimento da qualidade do trabalho desenvolvido pelos estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental, Beatriz Luz, Hugo Silva e Sofia Coelho, no âmbito da Litter Less Campaign, e que foi entretanto escolhido para representar Portugal no concurso internacional (ver ESTeSL representa Portugal no concurso internacional Litter Less Campaign). Em substituição daqueles estudantes que, por motivos académicos, não puderam marcar presença na Ericeira, participaram as estudantes Cristiana Costa, Jéssica Moreira e Laura Fernandes que foram acompanhadas pelo professor Vítor Manteigas, coordenador Eco-Escolas e coordenador Baixo Carbono.

A missão teve início logo pelas 9 horas, com o ponto de encontro marcado para o Parque da Campismo da Ericeira (onde haviam pernoitado alguns dos participantes). A partir daí seguiu-se a pé até à praia dos Pescadores onde teve lugar uma sessão sobre lixo marinho e microplásticos com a Dra. Paula Sobral da Associação Portuguesa de Lixo Marinho, seguida da limpeza da praia e da visita ao Centro de Interpretação da Reserva Mundial de Surf. Depois do almoço, e já na praia do Algodio, teve lugar uma sessão (entrevista) com elementos do Ericeira Surf Club que culminou com uma aula de iniciação ao surf na praia do Matadouro.

O fim da missão aconteceu já perto das 17 horas, com o regresso a Lisboa e à ESTeSL, em carpool, na companhia do Rúben de Matos, vencedor do Me and YRE (YRE Short Video Competition).

O trabalho dos estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), Beatriz Luz, Hugo Silva e Sofia Coelho, associado à Litter Less Campaign (ver “Beatas no chão… NÃO!” e a participação da ESTeSL na Litter Less Campaign), do qual resultou uma fotorreportagem e vídeo-reportagem, foi selecionado para representar Portugal no concurso internacional Litter Less do Young Reporters for the Environment, no escalão 19-21 anos, categoria de fotorreportagem.

Independentemente do resultado que se venha a obter no concurso internacional, este resultado é já uma “vitória” só possível em função do empenho e dedicação dos estudantes e da prestimosa colaboração do Miguel Faria, do “Portugal Sem Beatas”, a quem deixamos  o nosso muito obrigado.

Litter Less Campaign (fotorreportagem ESTeSL, Portugal)

CIGARETTE BUTTS ARE ONE OF THE CORNERSTONES OF THE PROBLEM…

It is known that cigarette butts are the type of waste most frequently found in our beaches.

The microplastics, as well as the heavy metals in cigarette butts, usually enter a cycle that affects the whole ecosystem: earth, sea, air and, naturally, animals and human beings.

In the campaign of collecting cigarette butts, performed by three Environmental Health students on the campus of the Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) and at the beach of Costa da Caparica, near Lisbon, in just one hour was collected the equivalent volume of five liters.

Litter Less Campaign é um projeto internacional coordenado pela Foundation for Environmental Education (FEE), que desafia jovens de 9 países da rede Jovens Repórteres para o Ambiente a observar, interpretar, reportar e encontrar soluções mais sustentáveis para a problemática dos resíduos e que em Portugal vai já na sua terceira edição.

Depois das participações anteriores (ver #LitterLessCampaign), este ano os estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), Beatriz Luz, Hugo Silva e Sofia Coelho, decidiram explorar um dos problemas ambientais que assolam a orla costeira portuguesa, realizando uma pequena vídeo-reportagem sobre os resíduos de cigarros e as nossas praias (Beatas no chão… NÃO!), entretanto submetida a concurso.

Estima-se que por minuto, o mercado mundial produza perto de 11 milhões de cigarros para dar resposta ao consumo de cerca de 4,5 triliões de cigarros em todo o mundo. Em Portugal, são vendidos mil milhões de cigarros por mês e, assumindo-se que 30% das beatas destes cigarros vão parar ao chão, significa que teremos, a cada minuto, mais 7000 beatas nas ruas portuguesas. Atualmente, sabe-se que as beatas de cigarro são o resíduo que podemos encontrar em maior quantidade nas nossas praias, sendo que as micropartículas, assim como os metais pesados existentes nas beatas, tendem a entrar num ciclo que afeta todo o ecossistema: terra, mar, ar e naturalmente, os animais e os seres humanos. Por todos estes motivos, importa sensibilizar a população em geral, e os fumadores em particular, fazendo-se o diagnóstico daquela que é a realidade nas praias portuguesas, identificando as causas e apontando soluções que tendem a ser estruturais mas que implicam, invariavelmente, a educação para a cidadania.

No âmbito da Exposição Clima Expo 360º, sobre as Alterações Climáticas, patente no Museu Nacional de História Natural e de Ciência  (MUHNAC) até 28 de fevereiro de 2017, vai ser exibido amanhã, dia 31 de janeiro às 17h30m na sala Vandelli, do MUHNAC, o documentário coproduzido e apresentado por Leonardo DiCaprio “Before the Flood“.

Before the Flood

Neste documentário, com a chancela da National Geographic, Leonardo DiCaprio viaja pelos cinco continentes e o Ártico testemunhando as alterações climáticas que estão a ocorrer no mundo e contribuindo para divulgar ações que podem ser feitas por todos para prevenir eventos climáticos catastróficos. Durante a jornada, DiCarpio fala com cientistas, líderes mundiais, ativistas mas também residentes locais.

Após a exibição do documentário haverá um debate com a participação de Catarina Albuquerque (ONU), Susana Fonseca (ZERO) e Carlos da Câmara(FCUL) e moderado por João Mourato (ICS Lisboa).




Introduza o seu e-mail


Outubro 2017
S T Q Q S S D
« Set    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
Categorias
Parceiros