Archive for the ‘Mares e Oceanos’ Category

O programa Jovens Repórteres para o Ambiente (JRA) é um programa internacional da Foundation for Environmental Education implementado em Portugal pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), que pretende contribuir para o treino do exercício de uma cidadania ativa e participativa, enfatizando a vertente do jornalismo ambiental.

O Concurso Nacional JRA tem como objetivo premiar as melhores reportagens sobre sustentabilidade efetuadas pelos jovens portugueses ao longo do ano letivo, sendo que cada escola pode participar apresentando até duas reportagens em cada categoria. Este ano a ABAE recebeu 274 trabalhos, distribuídos pelas 4 categorias: artigos (137), fotorreportagem (105) e vídeos (43), fotocampanha (44) e vídeo-campanha (15).

A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) submeteu trabalhos em cada uma das categorias, fruto do empenho dos estudantes da nossa escola e que acabou por se materializar na atribuição de vários prémios, nomeadamente:

Menção honrosa na categoria de videorreportagem (“Greve Estudantil pelo Clima” das estudantes Ana Santos, Bruna Silva, Inês Rocha e Rita Relvas do 1.° ano de Saúde Ambiental)

Segundo lugar na categoria de artigo (“Criadouros de mosquitos colocam a saúde pública em alerta!” das estudantes Fabiana Clérigo, João Anjos e Sandra Ferreira do 1.° ano de Saúde Ambiental).

Segundo lugar na categoria de vídeo-campanha (“A natureza está de olho em ti…” dos estudantes Adriana Porto, Andreia Silva, João Pinto e Luís Araújo do 2.° ano de Saúde Ambiental).

Primeiro lugar na categoria de fotocampanha (“Somos o que comemos!” dos estudantes Adriana Porto, Andreia Silva, Catarina Teixeira, Joana Azevedo, João Pinto, Leonor Amaro, Luís Araújo, Mauro Batista, Mónica Figueira, Nuno Pires, Patrícia Fernandes, Raquel Bacalhau e Vladimir Silva do 2.° ano de Saúde Ambiental).Somos o que comemos

Conscientes do esforço suplementar que lhes é exigido para a realização destes trabalhos, muitas das vezes à margem das atividade académicas e que não raras vezes implicam metodologias diferenciadoras, deixamos aqui os nossos parabéns (e o nosso obrigado!) pelo excelente desempenho.

Associado à campanha Planet or Plastic da National Geographic, o desafio #PlanetorPlastic,pretende dar expressão à modalidade “campanha”, propondo a apresentação de uma fotografia  que apele à redução, substituição e correta manipulação dos plásticos, por forma a evitar a crescente contaminação dos oceanos.

Seguindo essa premissa, alguns estudantes da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) realizaram trabalhos no decurso do ano letivo, devidamente enquadrados em diferentes unidade curriculares. Das mais de cinquenta fotografias submetidas a nível nacional, as três da autoria de estudantes da ESTeSL foram selecionadas e figuram agora na lista dos treze trabalhos finalistas, cujos vencedores serão divulgados no site da National Geographic, assim como na revista Fórum Estudante.

#PlanetorPlastic by ESTeSL

Independentemente do resultado final, damos, desde já, os parabéns aos estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da ESTeSL, Adriana Porto, Andreia Silva, Catarina Teixeira, Cristiana Costa, Dalila Gonçalves, Elisabete Santos, Joana Azevedo, João Pinto, Leonor Amaro, Luís Araújo, Mauro Batista, Mónica Figueira, Nuno Pires, Patrícia Fernandes, Raquel Bacalhau, Suazilene Sacramento e Vladimir Silva, pelo mérito dos seus trabalhos (ver publicações originais no portal Jovens Repórteres para o Ambiente “Os rios: a porta de entrada das toneladas de plástico“, “A Refeição Diário da nossa Fauna Marinha” e “Somos o que comemos“)

Estamos em plena época de avaliações e a poucos dias de terminar mais um ano de intenso de trabalho associado à implementação do Programa Eco-Escolas e do Projeto Interreg Sudoe ClimACT na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), mas ainda com muito para fazer.

Após a adoção da metodologia de trabalho subjacente à efetiva implementação do Programa/Projeto, que culmina com a elaboração do Eco-Código ou Código Climático, apresentamos-vos aquele que é o Eco-Código e o respetivo poster concebido este ano e cujo conteúdo vai de encontro àquilo que havia sido definido no Plano de Ação, aprovado no início do ano em reunião plenária do Conselho Eco-Escola/Comissão Baixo Carbono.

Eco-Código 2019 (ESTeSL)

Este é o último Eco-Código (ou Código Climático) apresentado ainda no âmbito também do projeto Interreg Sudoe ClimACT. Contudo, não lhe fazemos referência porquanto no decurso do próximo ano letivo, período no qual este “código de conduta” irá vigorar, o projeto já terá terminado.

Este ano o nosso Poster Eco-Código será submetido a concurso apenas na versão digital, sendo que em breve vos iremos mobilizar para a respetiva votação.

A “poluição plástica” e o desperdício alimentar são fenómenos frequentes da atualidade e que muito se devem aos hábitos de consumo. Uma forma de obviar estes fenómenos passa, por exemplo, pela venda e compra de produtos a granel, enquanto opção mais sustentável. Em Portugal, as lojas a retalho que optam por este tipo de comércio têm proliferado um pouco por todo o país e os Jovens Repórteres para o Ambiente da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) foram descobrir um pouco mais desta realidade.

Compra e venda a granel: uma opção sustentável” é uma videorreportagem da autoria das estudantes do primeiro ano do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), Andreia Coelho, Catarina Carvalho e Marta Amaral, publicada no portal Jovens Repórteres para o Ambiente.

Vídeo campanha realizada por estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), no âmbito da unidade curricular de Gestão de Resíduos, e que pretende chamar a atenção para a forma como fazemos uso dos mares e oceanos, promovendo a sua poluição com resíduos plásticos e resíduos de cigarros (beatas), sendo que essas práticas terão, invariavelmente, consequências para o Homem.

Sê consciente. Usa os mares e oceanos de forma diferente. A natureza está de olho em ti…

A natureza está de olho em ti…” é uma vídeo-campanha da autoria dos estudantes do segundo ano do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), Adriana Porto, Andreia Silva, João Pinto e Luís Araújo, publicado no portal Jovens Repórteres para o Ambiente.

No âmbito da unidade curricular de Gestão de Resíduos II, do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), os estudantes Cátia Rodrigues, Manuel Gonçalves e Mauro Batista realizaram um trabalho para o Projeto “Uma Gota de Água, Uma Gota de Óleo”, um desafio resultante de uma parceria entre a ABAE | Eco-Escolas e a PRIO.

Depois de abordados os conteúdos teóricos relativos aos Óleos Alimentares Usados (OUA), o grupo de trabalho responsável pelo desenvolvimento do projeto fez mais alguma pesquisa que servisse de base para o vídeo a realizar, nomeadamente dos riscos ambientais e para a saúde, assim como da existência de pontos de recolha na área envolvente à ESTeSL. Posteriormente foi elaborado um guião e uma storyboard para o vídeo que o grupo se propôs a fazer. Após discussão dos instrumentos de apoio à realização do trabalho final, foi estabelecido contacto com a Junta de Freguesia do Parque das Nações, a quem se solicitou autorização para o uso e recolha de imagens do oleão existente na Piscina Municipal do Oriente. A recolha de imagens e edição final do vídeo foi da responsabilidade dos estudantes envolvidos, com o apoio do docente responsável pela unidade curricular.

Este desafio resultante de uma parceria entre ABAE | Eco-Escolas e a PRIO, pretende com o projeto PRIO Top Level motivar as crianças, jovens, professores e família para um maior conhecimento acerca das questões que se relacionam com a importância da correto encaminhamento dos  óleos alimentares usados no local adequado e particularmente para os impactos negativos na qualidade da água, para que estes estejam recetivos à introdução de mudanças de hábitos no dia-a-dia.

Integrado no Interreg Sudoe ClimACT, projeto onde a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) tem vindo a participar na qualidade de escola-piloto, aplicando a metodologia de trabalho que lhe está subjacente, numa perspectiva de transição para uma economia de baixo carbono, teve lugar nos dias 9 e 10 de maio, o evento final que juntou todas as entidades parceiras, stakeholders e escolas de Portugal, Espanha, França e Gibraltar, com a presença de cerca de 150 participantes.

ESTeSL acolheu evento final do projeto Interreg Sudoe ClimACT

No primeiro dia do evento, que teve lugar da ESTeSL, houve comunicações asseguradas pelos elementos representantes das entidades beneficiárias e membros da equipa técnica, distribuídas pelas várias sessões (ferramentas para a gestão de energia nas escolas; boas práticas em escolas baixo carbono; educação para sustentabilidade; e soluções baixo carbono), assim como comunicações de várias entidades convidadas a partilhar a sua experiência, conhecimento e competência nas temáticas do projeto.

Paralelamente, os estudantes das escolas integrantes no projeto, tiveram a oportunidade de participar em workshops temáticos (dança, teatro, cenários e música), que serviram de base para a performance final deste primeiro dia de trabalhos, que contou ainda com Filipe Pinto, músico, compositor e intérprete que partilhou o palco com os cerca de 70 estudantes. No fim das sessões em auditório, houve ainda lugar para uma visita a algumas das zonas características do Parque das Nações e desconhecidas para a generalidade dos participantes estrangeiros.

O segundo dia foi passado no Parque Urbano de Santa Iria da Azóia, Loures, onde as escolas dos países participantes partilharam algumas das suas experiências dos três anos de projeto e onde tiveram ainda a oportunidade de participar em várias atividades temáticas.

Muito do sucesso que foi reconhecido ao evento final do projeto Interreg Sudoe ClimACT, deve-se também à nossa Presidência, que desde o primeiro momento se mostrou disponível para acolher na ESTeSL este evento. Igualmente importante foi todo o contributo dos estudantes da ESTeSL que se voluntariaram para trabalhar afincadamente para o sucesso desta iniciativa, nomeadamente: Catarina Anastácio, Diana Narciso, Eduarda Rodrigues, Fabiana Clérigo, Inês Andrade, Inês César, Irene Morais, João Anjos, Mariami Gasviani, Marta Amaral, Pedro Pena e Sandra Ferreira.

Para terminar, deixamos também um agradecimento sentido à Carla Marques, representante dos Serviços de Ação Social do Instituto Politécnico de Lisboa no Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono, que em muito contribuiu para a ementa vegetariana e ovolactovegetariana disponibilizada a todos os participantes.

Muito obrigado a tod@s!

 




Introduza o seu e-mail


Outubro 2019
S T Q Q S S D
« Jul    
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  
Categorias