Archive for the ‘Interreg Sudoe ClimACT’ Category

Ontem, dia 7 de abril, na celebração do Dia Mundial da Saúde, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) saiu à rua numa iniciativa integrada no Programa Eco-Escolas e no projeto Interreg Sudoe ClimACT, que abordou questões associadas, naturalmente, à saúde e ao tema deste ano («Depressão. Vamos falar!»), assim como à mobilidade sustentável.

Rota Eco-Escolas... mexa-se, pela sua saúde e por uma mobilidade sustentável!

Na iniciativa “Let’s Talk and Walk“, para além do exercício físico decorrente da caminhada de 4 quilómetros na qual participaram docentes das áreas cientificas de Saúde Ambiental, Matemática e Física, assim como um número significativo de estudantes, que aproveitaram a ocasião para se conhecerem melhor e, por exemplo, identificarem interesses comuns,  identificaram-se também situações passíveis que criar constrangimentos a uma mobilidade sustentável. Para este efeito, as estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da ESTeSL Ana Roque e Patrícia Duarte, adaptaram uma lista de verificação que os participantes na caminhada usaram de forma a identificar eventuais constrangimentos a uma mobilidade sustentável.

A iniciativa “Rota Eco-Escolas“, coordenada pela ABAE | Programa Eco-Escolas, integra-se no tema mobilidade sustentável  e visa alertar a comunidade escolar para a importância de uma mobilidade mais segura, eficiente e inclusiva, através do envolvimento das crianças e jovens, professores, encarregados de educação, assistentes e auxiliares, na deteção de problemáticas na mobilidade em redor do edifício da escola e em todo o restante concelho. Pretende-se com a iniciativa que a população seja mais interventiva na comunidade local, e que seja estabelecido contacto mais direto com o município.

O desafio “Rota Eco-Escolas“, consiste em assinalar na plataforma SIG da Rota da Mobilidade as sugestões de melhoria ao nível da mobilidade do município.

Associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, do qual a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) faz parte, sendo uma das 35 escolas participantes, tem estado a decorrer, nesta semana, a avaliação da qualidade do ar interior. Em Portugal, e no distrito de Lisboa, esta é a terceira escola do projeto Interreg Sudoe ClimACT que é objeto deste tipo de avaliação, depois da escola EB1/JI do Prior Velho e da escola EB23 Maria Veleda.

Avaliações de Qualidade do Ar Interior na ESTeSL

A qualidade do ar interior (tal como os resíduos, a energia, a água, os transportes, os espaços verdes e o compromisso verde) é uma dimensão objeto de avaliação no âmbito do projeto, sendo que a metodologia associada a esta atividade pressupõe a determinação em contínuo, e durante toda a semana de aulas, em duas salas que sejam representativas das salas existentes na escola, de alguns parâmetros (por exemplo, temperatura, humidade relativa, matéria particulada, dióxido de carbono, compostos orgânicos voláteis, dentre outros).

Os equipamentos foram instalados na segunda-feira de madrugada, ainda antes do início das aulas, e serão retirados na sexta-feira, após o término de todas as aulas que decorrerão nesta semana e nas salas objeto de avaliação. Assim, se encontrarem equipamentos estranhos… não estranhem!

Teve lugar esta tarde, dia 23 de fevereiro, uma reunião permanente do Conselho Eco-Escolas e, cumulativamente, da Comissão Baixo Carbono da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL). Esta reunião, exclusivamente com conselheiros da comunidade académica, contou com a participação da professora Graça Andrade, Vice-Presidente da ESTeSL (conselheira representante da Presidência), para além dos coordenadores do Programa Eco-Escolas, professores Ana Monteiro e Vítor Manteigas (igualmente Coordenador Baixo Carbono), assim como de representantes dos estudantes dos diferentes cursos de licenciatura, representantes dos docentes e representantes dos funcionários não docentes. Tendo em conta a integração da ESTeSL no projeto ClimACT, foram convidados a participar na reunião, os elementos da Brigada Baixo Carbono. No decurso da reunião, foi apresentada a metodologia do Programa Eco-Escolas, assim como o projeto ClimACT, tendo sido enfatizado o paralelismo entre ambos e o facto de que nos próximos anos o trabalho desenvolvido no âmbito do Programa Eco-Escolas estar associado ao projeto ClimACT. Foi feita também uma apresentação sumária dos resultados do questionário comportamental aplicado a toda a comunidade académica e que, em conjunto com a auditoria ambiental e energética a realizar em breve, irá contribuir para a definição do Plano de Ação.

Reunião da Comissão Baixo Carbono da ESTeSL (Projeto ClimACT)

Tendo em conta a relevância do projeto ClimACT, enquanto promotor da transição para uma economia de baixo carbono na ESTeSL, que implicará o envolvimento de todos (sem exceção!), é expectável ter-se em breve (em data ainda a determinar), uma sessão aberta a toda a comunidade académica e onde se espera poder contar com a presença dos conselheiros externos, para uma apresentação pública do ClimACT.

Associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, teve lugar nos passados dias 26 e 27 de janeiro, na Escuela Técnica Superior de Ingeniería de Sevilla, da Universidade de Sevilha, o segundo encontro de parceiros que contou com representantes do Instituto Superior Técnico (IST), do Instituto de Soldadura e Qualidade, da Edigreen, da Associação Bandeira Azul da Europa (Portugal), do Centro de Investigaciones Energéticas, Medioambientales y Tecnológicas, da Universidad de Sevilla (Espanha), da Université de la Rochelle, da Ville de la Rochelle (França) e da University of Gibraltar (Gibraltar).

Eco-Escola ESTeSL participa em reunião internacional do projeto Interreg Sudoe ClimACT

A equipa portuguesa, que saiu de Lisboa em carpool, integrou também elementos da comunidade académica da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), nomeadamente o professor Vítor Manteigas, Coordenador Eco-Escolas/Coordenador Baixo Carbono da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), que está a desenvolver o seu projeto de doutoramento no IST, associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, assim como o estudante de Saúde Ambiental Carlos Pina que, no decurso do seu estágio em Saúde Ambiental do primeiro semestre (que teve lugar do Campus Tecnológico e Nuclear do IST), desenvolveu trabalho associado à metodologia a utilizar nas auditorias energéticas e ambientais às escolas piloto do projeto, para as dimensões “transportes”, “compras verdes” e “espaços verdes”, fazendo com que a Eco-Escola ESTeSL acabasse por estar representada no encontro.

Para mais informações, ver também ESTeSL na “luta” pela transição para uma economia de baixo carbono (ClimACT)Equipa portuguesa do projeto Interreg Sudoe ClimACT de visita à ESTeSL e A ESTeSL, o projeto ClimACT e as Eco-Escolas.

Foi nos passados dias 20, 21 e 22 de janeiro de 2017, no  Centro Cultural de Ílhavo, que teve lugar o Seminário Nacional Eco-Escolas 2017. Na edição deste ano a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) fez-se representar pelo professor Vítor Manteigas, Coordenador Baixo Carbono (no âmbito do projeto Interreg Sudoe ClimACT), coordenador do Programa Eco-Escolas na ESTeSL e docente da área científica de Saúde Ambiental, que se deslocou a Ílhavo em carpool, partilhando carro com colegas professoras da EB23 Mário de Sá Carneiro e da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

O Seminário decorreu da melhor forma e de acordo com o previsto no programa. Dos trabalhos constaram workshops, fóruns Eco-Escolas e painéis temáticos, sendo que em simultâneo teve lugar uma Eco-Mostra.

A ESTeSL e o projeto Interreg Sudoe ClimACT no Seminário Nacional Eco-Escolas 2017

Da participação da ESTeSL, destacamos a realização de uma reunião de trabalho no âmbito do projeto Interreg Sudoe ClimACT, que contou com a presença de alguns dos parceiros, nomeadamente a Associação Bandeira Azul da Europa, a Edigreen, o Instituto Superior Técnico e alguns dos municípios das escolas participantes, assim como dos Coordenadores Baixo Carbono de cinco das escolas portuguesas, uma das quais a ESTeSL. Para além disso, o professor Vítor Manteigas coordenou também um dos fóruns Eco-Escolas, com participantes de todos os níveis de ensino, onde se debateu a metodologia de implementação do Programa Eco-Escolas e, em grupo, se elaboraram Planos de Ação associados aos temas “Energia” e “Espaços Exteriores”.

E assim se resume (e muito!) aquela que foi a participação da ESTeSL no Seminário Nacional Eco-Escolas 2017. Para o próximo ano lá estaremos (seja onde for!) para contribuir da melhor forma que soubermos para o sucesso das Eco-Escolas portuguesas, em Portugal e no mundo.

No dia 30 de setembro de 2016, em Aveiro, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) recebeu a sua Bandeira Verde (ver A ESTeSL no dia das Bandeiras Verdes 2016), fruto do trabalho desenvolvido ao longo do ano letivo 2015/2016.

Entretanto, aquela que foi o sexto Galardão Eco-Escolas conquistado pela ESTeSL, foi ontem hasteado na Praça da Saúde.

Hastear da Bandeira Verde 2015-2016

Ontem, dia 12 de janeiro de 2017, durante o período da tarde, celebraram-se os 36 anos daquele que foi o primeiro dia de aulas da ESTeSL e, tal como vem sendo hábito, os diplomados do ano anterior receberam o seu Diploma de Curso. Contudo, os eventos marcantes começaram logo pela manhã com a tomada de posse, nas instalações dos Serviços da Presidência do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL), em Benfica, da Presidente do Conselho de Representantes da ESTeSL, professora Helena Soares e da Presidente da Escola, professora Anabela Graça. Posteriormente, pelas 12 horas, teve lugar o hastear da Bandeira Verde (2015/2016) que, num ato simbólico de “passagem de testemunho”, foi hasteada pela Presidente da ESTeSL em funções, professora Anabela Graça, e pelo Presidente da ESTeSL cessante, professor João Lobato. A cerimónia foi assistida pela Presidente do Conselho de Representantes, professora Helena Soares, a Vice-Presidente da ESTeSL, professora Beatriz Fernandes, a Presidente do Conselho Pedagógico, professora Ana Almeida, o Diretor de Serviços, Dr. João Pedro Silva, o Presidente da Associação de Estudantes da ESTeSL, e alguns elementos da comunidade académica (estudantes, funcionários docentes e não docentes), incluindo elementos do Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono, dos quais destacamos a professora Ana Cristina Perdigão, Vice-Presidente do IPL, e a Dra. Ana Pires em representação da Dra. Teresa Torres Martins, Administradora dos Serviços de Ação Social do IPL.

Esta foi uma cerimónia simbólica que representa mais do que o simples culminar de um ano de trabalho. O hastear da Bandeira Verde representa o renovar do compromisso de continuarmos a trilhar o caminho rumo à excelência das boas práticas ambientais, conscientes que a cada passo dado, outro se deverá seguir!

Este ano, os professores Vítor Manteigas e Ana Monteiro (coordenadores do Programa Eco-Escolas na ESTeSL) aludiram à relevância do trabalho já desenvolvido e do trabalho a desenvolver e que no decurso dos próximos anos estará associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT (ver ESTeSL na “luta” pela transição para uma economia de baixo carbono e Equipa portuguesa do projeto Interreg Sudoe ClimACT de visita à ESTeSL).

Irá realizar-se nos próximos dias 20, 21 e 22 de janeiro de 2017, no Centro Cultural de Ílhavo, o Seminário Nacional Eco-Escolas 2017, com inscrições a preço reduzido até dia 12 de janeiro.

Seminário Nacional Eco-Escolas 2017Este evento, que se destina a professores coordenadores do Programa Eco-Escolas (e outros professores), técnicos de municípios envolvidos no Programa Eco-Escolas, assim como outros profissionais ligados à educação ambiental/para a sustentabilidade, tem como objetivos: (i) reunir os professores coordenadores do Programa Eco-Escolas e os técnicos dos municípios envolvidos na educação ambiental, por forma a incentivar a comunicação, possibilitar uma partilha de objetivos comuns e a troca de experiências; (ii) divulgar novos projetos e iniciativas relativas ao Eco-Escolas 2016/2017; (iii) fornecer informação específica relacionada com os temas do ano: alimentação saudável e sustentável, espaços exteriores, geodiversidade e floresta; (iv) fornecer informação científica e pedagógica relativamente aos temas de trabalho; (v) proporcionar a participação em ateliers de caráter prático conducentes a um enriquecimento de estratégias em educação ambiental; (vi) debater a metodologia e as estratégias do Programa Eco-Escolas; e (vii) favorecer a troca de experiências através da participação em Fóruns de Debate.

Nos dias 20 e 21 terão lugar os painéis temáticos, assim como os fóruns de discussão interpares (escolas com escolas e autarquias com autarquias) e ateliers práticos do tipo workshops. Este ano, um dos fóruns, momento onde será abordada a metodologia do Programa Eco-Escolas, será coordenado pelo professor Vítor Manteigas, coordenador Eco-Escolas na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL). Um dos ateliers será dedicado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT e contará com a participação de todos os Coordenadores Baixo Carbono, incluindo também o professor Vítor Manteigas (ver ESTeSL na “luta” pela transição para uma economia de baixo carbono (ClimACT) e Equipa portuguesa do projeto Interreg Sudoe ClimACT de visita à ESTeSL).

Estão ainda previstos alguns momentos de particular relevância, tais como a apresentação da Estratégia Nacional para a Educação Ambiental (ENEA 2020), da responsabilidade de João Pedro Fernandes, Ministro do Ambiente, assim como um debate que terá como mote a Educação Ambiental em Portugal –  Que Futuro?, com a presença garantida de Francisco Ferreira e Nuno Gomes Oliveira e que precede a apresentação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, por Carlos Alves.

Durante o evento serão apresentados a generalidade dos projetos e desafios desenvolvidos pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) para a rede Eco-Escolas, e onde a ESTeSL tem vindo a participar de forma relevante, nomeadamente no Eco-Repórter da Energia, no Concurso Eco-Código, na Geração Depositrão, no Jovens Repórteres para o Ambiente, BioDiversity4All, Global Action Days, entre muitos outros. No último dia do evento, dia 22 de janeiro, está agendada a visita a diferentes espaços de interesse na cidade de Ílhavo.




Introduza o seu e-mail


Abril 2017
S T Q Q S S D
« Mar    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
Categorias
Parceiros