Archive for the ‘Energia’ Category

Estamos em plena época de avaliações e a poucos dias de terminar mais um ano de intenso de trabalho associado à implementação do Programa Eco-Escolas e do Projeto Interreg Sudoe ClimACT na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), mas ainda com muito para fazer.

Após a adoção da metodologia de trabalho subjacente à efetiva implementação do Programa/Projeto, que culmina com a elaboração do Eco-Código ou Código Climático, apresentamos-vos aquele que é o Eco-Código e o respetivo poster concebido este ano e cujo conteúdo vai de encontro àquilo que havia sido definido no Plano de Ação, aprovado no início do ano em reunião plenária do Conselho Eco-Escola/Comissão Baixo Carbono.

Eco-Código 2019 (ESTeSL)

Este é o último Eco-Código (ou Código Climático) apresentado ainda no âmbito também do projeto Interreg Sudoe ClimACT. Contudo, não lhe fazemos referência porquanto no decurso do próximo ano letivo, período no qual este “código de conduta” irá vigorar, o projeto já terá terminado.

Este ano o nosso Poster Eco-Código será submetido a concurso apenas na versão digital, sendo que em breve vos iremos mobilizar para a respetiva votação.

Os transportes e a mobilidade dão um contributo significativo para as emissões de gases de efeito de estufa, para o fenómeno das alterações climáticas e para a qualidade do ar, com especial relevância nas cidades. A mobilidade elétrica apresenta-se como a alternativa a considerar, apresentando ainda assim algumas desvantagens que tendem a esbater-se com o desenvolvimento tecnológico. Atualmente, há já cidades (e países!) que apostam nesta “outra mobilidade” de forma a trilhar o caminho rumo à sustentabilidade.

Hoje em dia, há cada vez mais a necessidade de garantir a nossa mobilidade, assim como o transporte de bens, o que fomenta a indispensabilidade de viaturas.

Dentro da poluição total mundial, cerca de 40% é proveniente do uso de veículos – como por exemplo, automóveis. Por esta razão, é inevitável procurar outras formas de energia.

Na Europa, o setor dos transportes é o único onde se tem verificado um aumento das emissões de CO2 desde 1990. Cerca de 25% da poluição total da Europa é devida aos transportes em geral, sendo os rodoviários os mais poluentes, com 19% do total de emissões (EDP).

Posto de abastecimento de viaturas elétricas.

A aposta nos veículos elétricos é caracterizada como sendo benéfica, na medida em que diminui os gases emitidos para atmosfera e, tende a fazer uso de energia de fontes renováveis (nomeadamente a proveniente do sol e do vento). Para além disso, o custo de cada quilómetro é mais baixo (gasóleo, 1.49€ vs elétrico, 0.20€), sendo também mais silenciosos, diminuindo a poluição sonora (Cooperativa Elétrica do Vale d’Este).

Por outro lado, é necessário ter a noção das atuais desvantagens no que diz respeito aos aspetos económicos, porquanto os custos diretos associados à aquisição de uma viatura elétrica são mais elevados do que os associados às viaturas convencionais. Adicionalmente, a distância que estes carros conseguem percorrer sem carregar as baterias é menor, comparando com os que usam combustíveis fósseis. Outra questão a considerar é o ainda diminuto número de postos de carregamento que estão, na sua generalidade, associados às grandes cidades.

Para tentar reduzir as emissões ao máximo, cidades como Madrid e Paris já anunciaram que, até 2025, vão impedir a entrada de veículos nos centros urbanos, assim como proíbem – até 2040 – a venda de novos veículos com motores de combustão.

Em Portugal, alguns distritos como Braga, Coimbra, Faro e Aveiro estão a promover o uso de autocarros elétricos como alternativa aos transportes tradicionais. Estes autocarros usam um carregador de 150 W – o primeiro em Portugal e mais cinco carregadores de 40 W, obtendo uma autonomia de 100 km, carregando em 7 minutos (Motor24).

Em outras cidades, nomeadamente Lisboa, começou-se a apostar nas trotinetes e nas bicicletas elétricas, promovendo também a prática de exercício físico. As várias empresas que operam na capital contribuem para as cerca de 500 a 700 trotinetes que circulam nas ruas de Lisboa (Repairstore).

Apesar de ainda haver alguns constrangimentos acerca deste tema, a Agência Internacional da Energia estima que em 2030 haja cerca de 56 milhões de veículos elétricos, um número pré-estabelecido tendo em conta a meta do acordo de Paris, de 2015. Assim, em 2050 prevê-se que se reduza cerca de 80% das emissões de gases com efeito de estufa (Agência Internacional de Energia).

Outra mobilidade, em nome da sustentabilidade…” é um artigo da autoria das estudantes do primeiro ano do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), Beatriz Delgado, Ediane Silva e Joana Ramos, publicado na plataforma Jovens Repórteres para o Ambiente.

Tal como já havíamos referido em publicações anteriores, o projeto Interreg Sudoe ClimACT, que conta com a participação da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) enquanto escola-piloto, é um dos 12 finalistas dos prémios da Semana Europeia para a Energia Sustentável – EU Sustainable Energy Week (EUSEW), que decorre entre os dias 17 e 21 de Junho. Neste momento já está disponível o vídeo promocional que tivemos o privilégio de acompanhar e que retrata um pouco aquilo que é o projeto e que se tem materializado pelas quase 40 escolas de Portugal, Espanha, França e Gibraltar. continuamos a contar com o vosso voto (https://www.eusew.eu/awards-public-vote).

Acting for the transition to a low carbon economy in schools development of support tools. It is voting season: 12 projects are competing for the Citizens’ Award – you can help them win! Cast your vote here: https://www.eusew.eu/awards-public-vote.

O projeto Interreg Sudoe ClimACT, que conta com a participação da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) enquanto escola-piloto, é um dos 12 finalistas dos prémios da Semana Europeia para a Energia Sustentável – EU Sustainable Energy Week (EUSEW), que decorre entre os dias 17 e 21 de Junho.

Vote for ClimACT in the 2019 EU SUSTAINABLE ENERGY AWARDS!

Os EU Sustainable Energy Awards, são uma iniciativa da Comissão Europeia que, todos os anos, pretende distinguir os melhores projetos com impacto positivo no setor energético, e que competem em quatro categorias: envolvimento, liderança, inovação e juventude.

O “nosso” projeto concorre na categoria de juventude e o vosso voto é muito importante. Para votarem podem clicar na imagem (ou aqui!) e procurar a área de voto do projeto (primeiro projeto da última linha).

 

Integrado no Interreg Sudoe ClimACT, projeto onde a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) tem vindo a participar na qualidade de escola-piloto, aplicando a metodologia de trabalho que lhe está subjacente, numa perspectiva de transição para uma economia de baixo carbono, teve lugar nos dias 9 e 10 de maio, o evento final que juntou todas as entidades parceiras, stakeholders e escolas de Portugal, Espanha, França e Gibraltar, com a presença de cerca de 150 participantes.

ESTeSL acolheu evento final do projeto Interreg Sudoe ClimACT

No primeiro dia do evento, que teve lugar da ESTeSL, houve comunicações asseguradas pelos elementos representantes das entidades beneficiárias e membros da equipa técnica, distribuídas pelas várias sessões (ferramentas para a gestão de energia nas escolas; boas práticas em escolas baixo carbono; educação para sustentabilidade; e soluções baixo carbono), assim como comunicações de várias entidades convidadas a partilhar a sua experiência, conhecimento e competência nas temáticas do projeto.

Paralelamente, os estudantes das escolas integrantes no projeto, tiveram a oportunidade de participar em workshops temáticos (dança, teatro, cenários e música), que serviram de base para a performance final deste primeiro dia de trabalhos, que contou ainda com Filipe Pinto, músico, compositor e intérprete que partilhou o palco com os cerca de 70 estudantes. No fim das sessões em auditório, houve ainda lugar para uma visita a algumas das zonas características do Parque das Nações e desconhecidas para a generalidade dos participantes estrangeiros.

O segundo dia foi passado no Parque Urbano de Santa Iria da Azóia, Loures, onde as escolas dos países participantes partilharam algumas das suas experiências dos três anos de projeto e onde tiveram ainda a oportunidade de participar em várias atividades temáticas.

Muito do sucesso que foi reconhecido ao evento final do projeto Interreg Sudoe ClimACT, deve-se também à nossa Presidência, que desde o primeiro momento se mostrou disponível para acolher na ESTeSL este evento. Igualmente importante foi todo o contributo dos estudantes da ESTeSL que se voluntariaram para trabalhar afincadamente para o sucesso desta iniciativa, nomeadamente: Catarina Anastácio, Diana Narciso, Eduarda Rodrigues, Fabiana Clérigo, Inês Andrade, Inês César, Irene Morais, João Anjos, Mariami Gasviani, Marta Amaral, Pedro Pena e Sandra Ferreira.

Para terminar, deixamos também um agradecimento sentido à Carla Marques, representante dos Serviços de Ação Social do Instituto Politécnico de Lisboa no Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono, que em muito contribuiu para a ementa vegetariana e ovolactovegetariana disponibilizada a todos os participantes.

Muito obrigado a tod@s!

 

A celebração da Hora do Planeta 2019 é já amanhã…

Hora do Planeta 2019

Hora do Planeta é a maior iniciativa à escala mundial de luta contra as alterações climáticas, que pretende envolver Cidadãos Comuns, Governos, Organizações e Empresas numa ação conjunta para sensibilizar os menos atentos para os efeitos do aquecimento global. Contudo, importa garantir que cada um de nós, individualmente, assume também um papel relevante e atue!

Hora do Planeta 2019, o momento em que as luzes se apagarão durante 60 minutos num ato simbólico de preocupação ambiental, que começa na Austrália e irá percorrer todo o planeta, terá lugar no dia 24 de março, entre as 20h30m e as 21h30m, e o desafio este ano vai para além da simples adesão institucional.

Este ano, no decurso da Hora do Planeta, irá ter lugar na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) o III São Gregório – Festival de Tunas Masculinas da ESTeSL, onde se celebra o vigésimo primeiro aniversário da EST’eS La Tuna Masculina, Tuna Masculina da ESTeSL e por razões óbvias, esperemos que os nossos tunantes não se apaguem!

III São Gregório – Festival de Tunas Masculinas da ESTeSL

Ficaremos à espera que a nossa EST’eS La Tuna Masculina dedique uma das suas música ao Planeta, tal como fizeram todas as tunas participantes em 2015 (ver  A nossa Hora do Planeta foi “cantada”ArquitecTuna; TUCATAPCE – UNL; e Tuna Médica de Lisboa)

Que este seja em evento de sucesso e que a Hora do Planeta “ilumine” todas as atuações. Vai tuna…

O projeto Interreg Sudoe ClimACT é novamente finalista! Desta vez falamos do “Interreg Talks: 6 projects, 1 Slam“.

Para além dos três prémios que serão atribuídos no decurso da EURegionsWeek 2018, e onde o projeto ClimACT marcará presença em Bruxelas, de 8 a 10 de outubro para a sua apresentação pública, existe ainda um “Social Media Award”, onde o vencedor será o que angariar mais votos (likes) no respetivo vídeo.

Para votar, basta “gostar” no vídeo incorporado em baixo e dessa forma estaremos também a valorizar todo o trabalho que a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) tem vindo a fazer no âmbito do programa Eco-Escolas e do projeto ClimACT. O desafio é votar e partilhar…

In the framework of the #EURegionsWeek 2018, a specific session “Interreg Talks: 6 projects, 1 Slam”, will be organised by Interact and the European Commission (DG REGIO) as the new edition of the Project Slam.

The Slam is part of the capitalisation work implemented by Interact, where the ‘Interreg Talks’ are a series of events aimed at promoting innovative communication approaches related to capitalisation of Interreg results. Specific thematic ‘Talks’ have been organised in the fields identified for Interact capitalisation networks over the past years (Migration, Climate Change, etc.).

The ‘Interreg Talks’ also aim at demonstrating how Interreg works and how its cooperation model could be enlarged/transferred. The Interreg Talks are, by their nature, targeted at stakeholders and audiences other than Interreg practitioners.

For the 2018 edition, Interact has applied to the ‘European Week of Regions and Cities’ (#EURegionsWeek) in order to present a new experience of project slam, by making Interreg results more visible to the targets and audience of this major event. The 1,5-hour slot for this year’s Slam is scheduled during the EURegionsWeek 2018. The Project Slam session will present high impact Interreg projects (see pre-selection criteria detailed below) in an entertaining and easy way to the audience attending the EURegionsWeek.

For this Project Slam a nomination process is open to Interreg Programmes (including Interreg – IPA CBC and ENI Programmes) and its main goal is to identify good projects and results to be showcased by the voice of their protagonists. These projects need to have a high communication power and attractiveness for relevant stakeholders and the audience of the event. The language used must be English, and provided the message is clearly understandable, of course, regional/national accents – the DNA of our diversity – are most welcome.




Introduza o seu e-mail


Setembro 2019
S T Q Q S S D
« Jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
30  
Categorias