Archive for the ‘Desenvolvimento Sustentável’ Category

Em pleno Dia Mundial do Ambiente, evento que se celebra anualmente a 5 de junho e que tem como objetivo alertar as populações e os governos para a necessidade de garantir a proteção e a preservação do ambiente, divulgamos o nosso Eco-Código que é cumulativamente o Código Climático, dando assim cumprimento a uma das atividades previstas no projeto ClimACT (#InterregSudoeClimACT).

Poster Eco-Código e Código Climático da ESTeSL (2017)
Estamos a pouco dias de começar uma longa época de avaliações (último momento de avaliação e exames) e a semanas de terminar mais um ano de intenso trabalho associado à implementação do Programa Eco-Escolas e do projeto Interreg Sudoe ClimACT na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL). Após a adoção da metodologia de trabalho subjacente à sua efetiva implementação, que culmina com a elaboração e divulgação do Eco-Código | Código Climático (Conselho Eco-Escola/Comissão Baixo Carbono, Auditoria Ambiental, Plano de Ação, Monitorização, Trabalho Curricular, Informação e Envolvimento da Comunidade Local e, por último, Eco-Código/Código Climático), apresentamos-vos aquele que é o Poster Eco-Código e Código Climático concebido este ano e cujo conteúdo vai de encontro àquilo que havia sido definido no Plano de Ação.

Feliz Dia Mundial do Ambiente!…

Interreg Sudoe ClimACT (webpage)

O Interreg Sudoe ClimACT já tem disponível uma webpage dedicada especificamente ao projeto, a partir da qual poderão, de forma complementar à página do Facebook, seguir todas as atividades e ficar a saber um pouco mais acerca da “transição para uma economia de baixo carbono nas escolas” e onde a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) surge como uma das escolas piloto.

Relembramos que o ClimACT encontra-se alicerçado em quatro linhas de atuação, nomeadamente: (i) desenvolvimento de ferramentas de apoio à decisão que permitirão às escolas aumentar sua eficiência energética, através da gestão inteligente de recursos, energias renováveis e alteração de comportamentos; (ii) desenvolvimento de modelos de negócio e de novas estratégias de gestão energética para as escolas; (iii) desenvolvimento de ferramentas educacionais para a sensibilização em baixo carbono; e (iv) criação de uma rede temática/Living Lab na região SUDOE (Sudoeste Europeu) para promover a consciencialização e capacitação, tendo sido submetido ao programa Interreg SUDOE, que visa promover a cooperação transnacional para resolver problemas comuns às regiões do Sudoeste Europeu, estando entretanto aprovado e inserido no eixo prioritário “Economia de Baixo Teor de Carbono”.

Ontem, dia 7 de abril, na celebração do Dia Mundial da Saúde, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) saiu à rua numa iniciativa integrada no Programa Eco-Escolas e no projeto Interreg Sudoe ClimACT, que abordou questões associadas, naturalmente, à saúde e ao tema deste ano («Depressão. Vamos falar!»), assim como à mobilidade sustentável.

Rota Eco-Escolas... mexa-se, pela sua saúde e por uma mobilidade sustentável!

Na iniciativa “Let’s Talk and Walk“, para além do exercício físico decorrente da caminhada de 4 quilómetros na qual participaram docentes das áreas cientificas de Saúde Ambiental, Matemática e Física, assim como um número significativo de estudantes, que aproveitaram a ocasião para se conhecerem melhor e, por exemplo, identificarem interesses comuns,  identificaram-se também situações passíveis que criar constrangimentos a uma mobilidade sustentável. Para este efeito, as estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da ESTeSL Ana Roque e Patrícia Duarte, adaptaram uma lista de verificação que os participantes na caminhada usaram de forma a identificar eventuais constrangimentos a uma mobilidade sustentável.

A iniciativa “Rota Eco-Escolas“, coordenada pela ABAE | Programa Eco-Escolas, integra-se no tema mobilidade sustentável  e visa alertar a comunidade escolar para a importância de uma mobilidade mais segura, eficiente e inclusiva, através do envolvimento das crianças e jovens, professores, encarregados de educação, assistentes e auxiliares, na deteção de problemáticas na mobilidade em redor do edifício da escola e em todo o restante concelho. Pretende-se com a iniciativa que a população seja mais interventiva na comunidade local, e que seja estabelecido contacto mais direto com o município.

O desafio “Rota Eco-Escolas“, consiste em assinalar na plataforma SIG da Rota da Mobilidade as sugestões de melhoria ao nível da mobilidade do município.

Associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, do qual a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) faz parte, sendo uma das 35 escolas participantes, tem estado a decorrer, nesta semana, a avaliação da qualidade do ar interior. Em Portugal, e no distrito de Lisboa, esta é a terceira escola do projeto Interreg Sudoe ClimACT que é objeto deste tipo de avaliação, depois da escola EB1/JI do Prior Velho e da escola EB23 Maria Veleda.

Avaliações de Qualidade do Ar Interior na ESTeSL

A qualidade do ar interior (tal como os resíduos, a energia, a água, os transportes, os espaços verdes e o compromisso verde) é uma dimensão objeto de avaliação no âmbito do projeto, sendo que a metodologia associada a esta atividade pressupõe a determinação em contínuo, e durante toda a semana de aulas, em duas salas que sejam representativas das salas existentes na escola, de alguns parâmetros (por exemplo, temperatura, humidade relativa, matéria particulada, dióxido de carbono, compostos orgânicos voláteis, dentre outros).

Os equipamentos foram instalados na segunda-feira de madrugada, ainda antes do início das aulas, e serão retirados na sexta-feira, após o término de todas as aulas que decorrerão nesta semana e nas salas objeto de avaliação. Assim, se encontrarem equipamentos estranhos… não estranhem!

Teve lugar esta tarde, dia 23 de fevereiro, uma reunião permanente do Conselho Eco-Escolas e, cumulativamente, da Comissão Baixo Carbono da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL). Esta reunião, exclusivamente com conselheiros da comunidade académica, contou com a participação da professora Graça Andrade, Vice-Presidente da ESTeSL (conselheira representante da Presidência), para além dos coordenadores do Programa Eco-Escolas, professores Ana Monteiro e Vítor Manteigas (igualmente Coordenador Baixo Carbono), assim como de representantes dos estudantes dos diferentes cursos de licenciatura, representantes dos docentes e representantes dos funcionários não docentes. Tendo em conta a integração da ESTeSL no projeto ClimACT, foram convidados a participar na reunião, os elementos da Brigada Baixo Carbono. No decurso da reunião, foi apresentada a metodologia do Programa Eco-Escolas, assim como o projeto ClimACT, tendo sido enfatizado o paralelismo entre ambos e o facto de que nos próximos anos o trabalho desenvolvido no âmbito do Programa Eco-Escolas estar associado ao projeto ClimACT. Foi feita também uma apresentação sumária dos resultados do questionário comportamental aplicado a toda a comunidade académica e que, em conjunto com a auditoria ambiental e energética a realizar em breve, irá contribuir para a definição do Plano de Ação.

Reunião da Comissão Baixo Carbono da ESTeSL (Projeto ClimACT)

Tendo em conta a relevância do projeto ClimACT, enquanto promotor da transição para uma economia de baixo carbono na ESTeSL, que implicará o envolvimento de todos (sem exceção!), é expectável ter-se em breve (em data ainda a determinar), uma sessão aberta a toda a comunidade académica e onde se espera poder contar com a presença dos conselheiros externos, para uma apresentação pública do ClimACT.

I Encontro Nacional de Bibliotecas Públicas para o Desenvolvimento SustentávelA International Federation of Library Associations and Institutions (IFLA) divulgou no decurso do ano passado, a 28 de Junho de 2016, um documento orientador para as bibliotecas do mundo  – Access and Opportunity for All: How Libraries contribute to the United Nations 2030 Agenda – veiculando a importância que estes equipamentos culturais e construtores de conhecimento têm no cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A declaração Statement on Libraries and Sustainable Development já introduzira em 2002 o acesso à informação como fator preponderante para a promoção do desenvolvimento sustentável e o Libraries and implementation of the UN 2030 Agenda – toolkit (2015) enquadra as bibliotecas como motor para o desenvolvimento local e regional.

I Encontro Nacional de Bibliotecas Públicas para o Desenvolvimento Sustentável proposto agora pela Rede de Bibliotecas Municipais de Loures, pretende criar um espaço de debate e discussão no seio das bibliotecas publicas portuguesas reunindo representantes da DGLAB e da BAD bem como entidades externas locais que se possam constituir como futuros parceiros na implementação de projetos que consubstanciem os ODS da Agenda 2030.

Este encontro que se realizará no dia 10 de Fevereiro na Biblioteca Municipal José Saramago (Loures) irá reunir alguns projetos de bibliotecas públicas nacionais para os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (painel da manhã) e uma mesa redonda que irá juntar bibliotecários e representantes de entidades públicas ligadas à saúde, emprego e missão social (tarde).

Para mais informações, sugerimos que consultem o programa.

Associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, teve lugar nos passados dias 26 e 27 de janeiro, na Escuela Técnica Superior de Ingeniería de Sevilla, da Universidade de Sevilha, o segundo encontro de parceiros que contou com representantes do Instituto Superior Técnico (IST), do Instituto de Soldadura e Qualidade, da Edigreen, da Associação Bandeira Azul da Europa (Portugal), do Centro de Investigaciones Energéticas, Medioambientales y Tecnológicas, da Universidad de Sevilla (Espanha), da Université de la Rochelle, da Ville de la Rochelle (França) e da University of Gibraltar (Gibraltar).

Eco-Escola ESTeSL participa em reunião internacional do projeto Interreg Sudoe ClimACT

A equipa portuguesa, que saiu de Lisboa em carpool, integrou também elementos da comunidade académica da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), nomeadamente o professor Vítor Manteigas, Coordenador Eco-Escolas/Coordenador Baixo Carbono da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), que está a desenvolver o seu projeto de doutoramento no IST, associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, assim como o estudante de Saúde Ambiental Carlos Pina que, no decurso do seu estágio em Saúde Ambiental do primeiro semestre (que teve lugar do Campus Tecnológico e Nuclear do IST), desenvolveu trabalho associado à metodologia a utilizar nas auditorias energéticas e ambientais às escolas piloto do projeto, para as dimensões “transportes”, “compras verdes” e “espaços verdes”, fazendo com que a Eco-Escola ESTeSL acabasse por estar representada no encontro.

Para mais informações, ver também ESTeSL na “luta” pela transição para uma economia de baixo carbono (ClimACT)Equipa portuguesa do projeto Interreg Sudoe ClimACT de visita à ESTeSL e A ESTeSL, o projeto ClimACT e as Eco-Escolas.




Introduza o seu e-mail


Junho 2017
S T Q Q S S D
« Mai    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
Categorias
Parceiros