Archive for the ‘Conselho Eco-Escola’ Category

Conselho Eco-Escola têm um papel relevante a desempenhar, devendo ser entendido como a força motriz do Programa Eco-Escolas em cada uma das escolas participantes, e deve assegurar a execução dos outros seis passos subjacentes à metodologia própria do Programa, nomeadamente: (i) Auditoria Ambiental; (ii) Plano de Ação; (iii) Monitorização; (iv) Trabalho Curricular; (v) Informação e Envolvimento da Comunidade Local; e (vi) Eco-Código.

As competências do Conselho Eco-Escola passam por: (i) implementar a auditoria ambiental; (ii) discutir o plano de acção; (iii) monitorizar e avaliar as atividades; (iv) e coordenar as formas de divulgação do Programa na escola e comunidade. Cunulativamente, desde que a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) passou a integrar o projeto Interreg Sudoe ClimACT, o Conselho Eco-Escola é, cumulativamente, a Comissão Baixo Carbono.

Comissão Baixo Carbono, tal como o Conselho Eco-Escola, é uma estrutura interna permanente, composta por estudantes (dos nove cursos de licenciatura), docentes, não docentes e outras entidades consideradas relevantes. Deve ser encarado como um fórum para ideias, discussão, propostas, planeamento, monitorização e avaliação e que tem como tarefas: (i) decidir as melhores estratégias para envolver a escola e implementar, monitorizar e avaliar as ações; (ii) definir responsabilidades; e (iii) monitorizar, avaliar e relatar a evolução das condições, comportamentos, conhecimento e competências adquiridas para a economia de baixo carbono na escola.

Hoje tornamos público a constituição do Conselho Eco-Escola e da Comissão Baixo Carbono da ESTeSL para o ano letivo em curso que é, mais uma vez, representativo da comunidade académica (de acordo com o regime de funcionamento) e que integra também elementos da Câmara Municipal de Lisboa, da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, do Jornal “Notícias do Parque”, da Junta de Freguesia do Parque das Nações, da Presidência do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) e dos Serviços de Ação Social do IPL. Esta informação estará também disponível no sítio institucional da nossa escola, na área dedicada à Política Ambiental (divulgada pela Circular Informativa n.º 27, de 3 de junho de 2011).

Agora, finalizada que está a constituição do Conselho Eco-Escola e da Comissão Baixo Carbono, importa dar continuidade aos trabalhos que, nesta primeira fase, e tal como tem ocorrido nos últimos dois anos (associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT), passa pela aplicação de um questionário comportamental à comunidade académica, sendo este um passo de especial relevância para a elaboração do Plano de Ação. É nesse sentido que contamos com a colaboração de toda a comunidade académica (estudantes, docentes e não docentes), no preenchimento do questionário cuja divulgação será garantida muito em breve.

Política Ambiental da ESTeSL

Conselho Eco-Escolas | Comissão Baixo Carbono

  • Alexandra Matos, ESTeSL (Estudante de Farmácia)
  • Ana Fernandes, ESTeSL (Estudante de Ciências Biomédicas Laboratoriais)
  • Ana Monteiro, ESTeSL (Docente)
  • Ana Sabino, ESTeSL (Não-docente)
  • Andreia Coelho, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • António Belo, IPL (Vice-Presidente do IPL)
  • Bela Vilares, ESTeSL (Não-docente)
  • Carla Marques, SAS/IPL (representante dos Serviços de Ação Social do IPL)
  • Cătălin Marinescu, ESTeSL (AEESTeSL)
  • Catarina Anastácio, ESTeSL (Estudante de Fisioterapia)
  • Daniel Parreira, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Daniela Pasat, ESTeSL (Estudante de Imagem Médica e Radioterapia)
  • Filomena de Sousa, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (Docente)
  • Graça Andrade, ESTeSL (Vice-Presidente da ESTeSL)
  • Inês César, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Inês Francisco, ESTeSL (Estudante de Ortóptica e Ciências da Visão)
  • Joana Belo, ESTeSL (Docente)
  • Maria Gusmão, Câmara Municipal de Lisboa (DGPF Monsanto e de Sensibilização Ambiental)
  • Mariami Gasviani, ESTeSL (Estudante de Fisiologia Clínica)
  • Mário Patrício, Junta de Freguesia do Parque das Nações (Presidente da Junta de Freguesia)
  • Mauro Batista, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Miguel Gomes, ESTeSL (Estudante de Farmácia)
  • Miguel Meneses, Jornal “Notícias do Parque” (Diretor)
  • Pedro Rebelo, ESTeSL (Docente)
  • Rita Pereira, ESTeSL (Estudante de Dietética e Nutrição)
  • Sérgio Figueiredo, ESTeSL (Docente)
  • Sílvia Pereira, ESTeSL (Estudante de Ortoprotesia)
  • Simão Quintans, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Vítor Manteigas, ESTeSL (Docente)
  • Vladimir Silva, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)

A Associação Bandeira Azul da Europa convida toda a comunidade Eco-Escolas a votar no(s) poster(es) Eco-Código que mais forem do vosso agrado para que, em cada escalão, os que vierem a ter mais mais “LIKES” sejam premiados com o Prémio Comunidade Virtual.

A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), sendo escola-piloto do projeto Interreg Sudoe ClimACT, tem a concurso um poster com o seu Código Climático e o vosso “voto” pode fazer a diferença.

Para poderem contribuir para o sucesso do Código Climático da ESTeSL neste desafio na comunidade virtual, basta terem um perfil registado no Facebook e, depois de acederem ao nosso poster Eco-Código e Código Climático (clicar AQUI), deixar o vosso “LIKE”. Em alternativa poderão “GOSTAR” fazendo uso da imagem incorporada nesta publicação.

Contamos convosco!

Para a realização do projeto submetido ao Concurso Nacional Poster Eco-Código / Código Climático 2018, foi proposto a um grupo específico de estudantes que, no âmbito do Programa Eco-Escolas e unidade curricular de Estágio em Saúde Ambiental I e, em conjunto com o professor responsável, a elaboração de um póster Código Climático em que estivessem contemplados os temas-base no âmbito do projeto Interreg Sudoe ClimACT (água, resíduos, energia, espaços verdes/floresta, mobilidade e compromisso verde) e pelo menos um dos temas facultativos (alimentação saudável e sustentável), indo de encontro também ao Plano de Ação previamente definido.

Foi pedido a cada um dos membros da Comissão Baixo Carbono que, com a colaboração dos colegas dos respetivos cursos de licenciatura (no caso dos estudantes), sugerissem frases tendo em conta os pressupostos anteriores, visando a criação ou alteração de atitudes e comportamentos conducentes à melhoria do ambiente tanto na escola como em casa. As inúmeras frases propostas foram sujeitas a votação e seriação, das quais resultaram as apresentadas no poster.

Este ano, e de forma a garantir uma vinculação efetiva ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, optou-se por fazer-se uso da imagem do projeto, depois da devida autorização por parte de equipa coordenadora. Ambas as etapas foram realizadas sob orientação do professor responsável pelo grupo de trabalho e coordenador Eco-Escolas/Baixo Carbono, e sendo igualmente sujeita à “ratificação” dos elementos do Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono.

Teve lugar na passada sexta-feira, dia 23 de fevereiro, mais uma reunião de trabalho do Conselho Eco-Escolas e Comissão Baixo Carbono. Depois de em janeiro ter havido uma reunião permanente (ver A Eco-Escola ESTeSL, entre Madrid e Lisboa…), só com membros da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), esta última reunião, sendo plenária, contou com a participação de alguns elementos da comunidade, dos quais destacamos os representantes da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, dos Serviços da Presidência do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) e dos Serviços de Ação Social do IPL. Cumulativamente, foram ainda convidados a participar na reunião, os membros da Brigada Baixo Carbono.

Reunião plenária do Conselho Eco-Escolas e Comissão Baixo Carbono

Na ordem de trabalhos da reunião foi dado destaque ao Plano de Ação e às propostas sugeridas pelos conselheiros, tendo sido, seguramente, uma tarde altamente produtiva, que se espera venha a culminar num ano altamente profícuo.

Para já, o passo seguinte será submeter na plataforma do Programa Eco-Escolas, a ficha de acompanhamento que inclui informação relativa a: (i) Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono (constituição, atas de reuniões, registo de presenças e frequência das reuniões); (ii) Auditoria Ambiental (realizada pela equipa técnica do projeto ClimACT e complementada pelo questionário comportamental); (iii) Brigada da Monitorização (declaração de intenção em monitorizar os consumos de água, eletricidade ou gás); (iv) Plano de Ação (discutido na reunião); e Outras Observações (por exemplo a eventual participação no Seminário Nacional Eco-Escolas).

Associado ao Programa Eco-Escolas e ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) vivenciou alguns dias particularmente intensos no decurso da semana passada.

A Eco-Escola ESTeSL, entre Madrid e Lisboa…

Foi no dia 9 de janeiro que o professor Vítor Manteigas (Coordenador Eco-Escolas e Coordenador Baixo Carbono) rumou até Madrid, em carpool, com colaboradores do Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), membros da equipa técnica do projeto ClimACT, para participar no 4th Meeting of the Steering Commitee daquele projeto.

O encontro, que teve lugar no Centro de Investigaciones Energéticas, Medioambientales y Tecnológicas (CIEMAT), nos dias 10 e 11 de janeiro, contou com a participação de todas as entidades europeias que integram o consórcio, nomeadamente: o Instituto Superior Técnico, o ISQ, a Edigreen, a Associação Bandeira Azul da Europa, o CIEMAT, a Universidad de Sevilla, a Université de la Rochelle, a Ville de la Rochelle e a University of Gibraltar. Participaram ainda, tal como a ESTeSL, algumas escolas-piloto de Espanha, França e Gibraltar.

Já em Portugal, no dia 12 de janeiro, as atividades começaram bem cedo com a preparação, em colaboração com os engenheiros Filipe Silva e Ricardo Leandro do ISQ, daquela que foi a reunião permanente do Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono, que teve lugar ao início da tarde. A reunião, sendo permanente, contou com a participação exclusiva de representantes da comunidade académica, dentre os quais destacamos os estudantes de Farmácia, Fisioterapia, Imagem Médica e Radioterapia e Saúde Ambiental.

Logo após a reunião, e integrado na celebração dos 37 anos da ESTeSL, foi hasteada a Bandeira Verde, galardão Eco-Escolas atribuído como reconhecimento do trabalho de mérito desenvolvido pela ESTeSL no ano letivo 2016/2017 em prol de uma educação ambiental para a sustentabilidade. Este momento simbólico, mas solene, ficou a cargo dos estudantes Luísa Rios e Pedro Martins, membros do Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono.

Por esta ocasião, e com a presença de muitos membros da comunidade académica (estudantes, docentes e não docentes), foi reconhecido o apoio que tem vindo a ser dado pela Presidência da ESTeSL, assim como a relevância de todos para o sucesso das várias iniciativas/atividades que já se concretizaram e daquelas que se avizinham.

Conselho Eco-Escola têm um papel relevante a desempenhar, devendo ser entendido como a força motriz do Programa Eco-Escolas em cada uma das escolas participantes, e deve assegurar a execução dos outros seis passos subjacentes à metodologia própria do Programa, nomeadamente: (i) Auditoria Ambiental; (ii) Plano de Ação; (iii) Monitorização; (iv) Trabalho Curricular; (v) Informação e Envolvimento da Comunidade Local; e (vi) Eco-Código.

As competências do Conselho Eco-Escola passam por: (i) implementar a auditoria ambiental; (ii) discutir o plano de acção; (iii) monitorizar e avaliar as atividades; (iv) e coordenar as formas de divulgação do Programa na escola e comunidade. Cunulativamente, desde que a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) passou a integrar o projeto Interreg Sudoe ClimACT, o Conselho Eco-Escola é, cumulativamente, a Comissão Baixo Carbono.

A Comissão Baixo Carbono, tal como o Conselho Eco-Escola, é uma estrutura interna permanente, composta por estudantes (dos nove cursos de licenciatura), docentes, não docentes e outras entidades consideradas relevantes. Deve ser encarado como um fórum para ideias, discussão, propostas, planeamento, monitorização e avaliação e que tem como tarefas: (i) decidir as melhores estratégias para envolver a escola e implementar, monitorizar e avaliar as ações; (ii) definir responsabilidades; e (iii) monitorizar, avaliar e relatar a evolução das condições, comportamentos, conhecimento e competências adquiridas para a economia de baixo carbono na escola.

Hoje tornamos público a constituição do Conselho Eco-Escola e da Comissão Baixo Carbono da ESTeSL para o ano letivo em curso que é, mais uma vez, representativo da comunidade académica (de acordo com o regime de funcionamento) e que integra também elementos da Câmara Municipal de Lisboa, da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, do Jornal “Notícias do Parque”, da Junta de Freguesia do Parque das Nações, da Presidência do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) e dos Serviços de Ação Social do IPL. Esta informação, assim como a constituição da Brigada Baixo Carbono, estará também disponível no sítio institucional da nossa escola, na área dedicada à Política Ambiental (divulgada pela Circular Informativa n.º 27, de 3 de junho de 2011).

Política Ambiental da ESTeSL

Conselho Eco-Escolas | Comissão Baixo Carbono

  • Ana Monteiro, ESTeSL (docente)
  • Ana Sabino, ESTeSL (não docente)
  • António Belo, IPL (Vice-Presidente do IPL)
  • Bela Vilares, ESTeSL (não docente)
  • Catarina Azevedo, ESTeSL (estudante de Saúde Ambiental)
  • Catarina Pereira, ESTeSL (estudante de Ortóptica)
  • Daniel Parreira, ESTeSL (estudante de Saúde Ambiental)
  • Daniela Pasat, ESTeSL (estudante de Imagem Médica e Radioterapia)
  • Emília Batista, Câmara Municipal de Lisboa (Divisão de Sensibilização e Educação Ambiental)
  • Graça Andrade, ESTeSL (Vice-Presidente da ESTeSL)
  • Inês César, ESTeSL (estudante de Saúde Ambiental)
  • Inês Fernandes, ESTeSL (estudante de Saúde Ambiental)
  • Inês Ferreira, ESTeSL (estudante de Ortoprotesia)
  • Joana Belo, ESTeSL (docente)
  • Luísa Rios, ESTeSL (estudante de Fisioterapia)
  • Maria Filomena Abreu de Sousa, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (docente)
  • Mariana Custódio, ESTeSL (estudante de Fisiologia Clínica)
  • Mário Patrício, Junta de Freguesia do Parque das Nações (Presidente da Junta de Freguesia)
  • Miguel Meneses, Notícias do Parque (Diretor)
  • Pedro Martins, ESTeSL (estudante de Farmácia)
  • Pedro Rebelo, ESTeSL (docente)
  • Renata Santos, ESTeSL (estudante de Ortóptica)
  • Rita Pereira, ESTeSL (estudante de Dietética e Nutrição)
  • Rui Serrinha, ESTeSL (Associação de Estudantes da ESTeSL – AEESTeSL)
  • Sara Carmezim, ESTeSL (estudante de Ciências Biomédicas Laboratoriais)
  • Sérgio Figueiredo, ESTeSL (docente)
  • Teresa Torres Martins, SAS/IPL (Administradora dos Serviços de Ação Social do IPL)
  • Vítor Manteigas, ESTeSL (docente)
  • Vladimir Silva, ESTeSL (estudante de Saúde Ambiental)

Agora, finalizada que está a constituição do Conselho Eco-Escola e da Comissão Baixo Carbono, importa dar continuidade aos trabalhos que, nesta primeira fase, e tal como havia ocorrido no último ano (primeiro ano associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT), passa pela aplicação de um questionário comportamental à comunidade académica, sendo este um passo de especial relevância para a elaboração do Plano de Ação. É nesse sentido que contamos com a colaboração de toda a comunidade académica (estudantes, docentes e não docentes), no preenchimento do questionário cuja divulgação será garantida muito em breve.

Teve lugar ontem, dia 10 de outubro, no Palácio Marqueses da Praia e Monforte, no Parque Adão Barata em Loures, uma reunião do Interreg Sudoe ClimACT, com o objetivo de esclarecer dúvidas e apresentar o desenvolvimento do projeto a todas as escolas piloto da região de Lisboa.

ESTeSL participa em reunião do projeto Interreg Sudoe ClimACT

A reunião contou com a presença de elementos da equipa do projeto Interreg Sudoe ClimACT, nomeadamente do Instituto Superior Técnico (que coordena) e da Associação Bandeira Azul da Europa, assim como da Câmara Municipal de Loures na qualidade de membro do Conselho Consultivo, sendo, para todos os efeitos, o concelho ao qual pertencem a maioria das escolas portuguesas participantes no projeto.

Tendo em conta o objetivo da reunião, a presença das escolas era um imperativo. Para além da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) que se fez representar pelo professor Vítor Manteigas, coordenador Eco-Escolas e coordenador Baixo Carbono, participaram ainda a EB1 do Prior Velho, que se fez acompanhar pela Escola Secundária de Sacavém na qualidade de sede de agrupamento, a EB23 Maria Veleda, a EB23 General Humberto Delgado e a Escola Secundária José Cardoso Pires, faltando apenas a EB23 Mário de Sá Carneiro.

Para além de se ter feito um ponto de situação, relativamente às atividades entretanto desenvolvidas, tanto pela equipa do projeto como pelas escolas ClimACT (dando-se ênfase às boas práticas), foram elencados os momentos e respetivas ações a considerar para o ano letivo em curso, cujo cumprimento irá garantir, para além de outros inúmeros benefícios para as escolas, a continuidade da atribuição do Galardão Eco-Escolas.

Posto isto, novas atividades e novos desafios se avizinham para os elementos da Comissão Baixo Carbono/Conselho Eco-Escolas, para a Brigada Baixo Carbono e, naturalmente, para toda a comunidade académica da ESTeSL-IPL.

Foi ontem, dia 29 de junho de 2017, que teve lugar a última reunião da Comissão Baixo Carbono (e Conselho Eco-Escolas) do ano letivo em curso e onde se fez um balanço final das atividades desenvolvidas na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL). A reunião, que contou com a presença de conselheiros estudantes, docente e não docentes teve ainda a participação de António Belo, em substituição de Ana Cristina Perdigão (da Presidência do Instituto Politécnico de Lisboa) e de Filomena Novo, em representação de Teresa Martins (dos Serviços de Ação Social do Instituto Politécnico de Lisboa), assim como de Sérgio Figueiredo, docente da área científica de Medicina Nuclear, que demonstrou particular interesse em colaborar no âmbito da temática da mobilidade sustentável.

Reunião do Conselho Eco-Escolas e da Comissão Baixo Carbono da ESTeSL

Para além do balanço final, que culminou com o reconhecimento de estarem reunidas as condições para a candidatura da ESTeSL à Bandeira Verde (Galardão Eco-Escolas), foram ainda abordados outros assuntos de extrema relevância, nomeadamente: (i) estratégias de comunicação; (ii) gestão de projetos e atividades; e (iii) envolvimento da comunidade, de onde se destaca a importância de articulação com a Junta de Freguesia do Parque das Nações, tendo em conta o reconhecimento do seu trabalho no âmbito do Programa Eco-Freguesias XXI.




Introduza o seu e-mail


Dezembro 2018
S T Q Q S S D
« Nov    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  
Categorias