Archive for the ‘Conselho Eco-Escola’ Category

A Associação Bandeira Azul da Europa convida toda a comunidade Eco-Escolas a votar até ao próximo dia 15 de julho, naquele que for o seu Eco-Código preferido, onde serão premiados os 3 trabalhos com maior número de “gostos”. A nossa escola tem a concurso um poster com o seu Eco-Código e o vosso “voto” pode fazer a diferença.

Para poderem contribuir para o sucesso do Eco-Código ESTeSL basta terem um perfil registado no Facebook e, depois de acederem ao nosso poster Eco-Código (clicar AQUI), deixar o vosso “GOSTO”.

Em alternativa, tendo já feito o login no Facebook, poderão “GOSTAR” diretamente na imagem incorporada nesta publicação.

Contamos convosco!

Para a realização do Eco-Código e respectivo poster, envolveram-se diretamente todos os conselheiros e alguns estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental, a quem foi solicitado que propusessem frases, tendo em conta os temas obrigatórios (água, resíduos e energia) e os temas do ano (mar e floresta), indo de encontro também ao Plano de Ação previamente definido.
Foi pedido a cada um dos membros do Conselho Eco-Escolas que, com a colaboração dos colegas dos respetivos cursos de licenciatura (no caso dos estudantes), sugerissem frases tendo em conta os pressupostos anteriores, visando a criação ou alteração de atitudes e comportamentos conducentes à melhoria do ambiente tanto na escola como em casa.
As cores predominantes no poster são as cores características da ESTeSL (verde e bordeaux) para que haja esse elemento de ligação à instituição. A imagem (composição de imagens), representa aquilo que todos nós, individualmente ou na qualidade de docentes, não docentes ou estudantes dos diferentes cursos, podemos fazer para melhorar o desempenho ambiental da Escola mas também do planeta. Todas as etapas foram realizadas sob orientação do professor coordenador, sendo que a versão final foi sujeita à aprovação e propostas de melhoria  dos elementos do Conselho Eco-Escolas.

Grupo de Trabalho
Alexandra Matos, Ana Fernandes, Ana Monteiro, Ana Sabino, Andreia Coelho, António Belo, Bela Vilares, Carla Marques, Cătălin Marinescu, Catarina Anastácio, Cristiana Costa, Dalila Gonçalves, Daniel Parreira, Daniela Pasat, Elisabete Santos, Filomena de Sousa, Graça Andrade, Inês César, Inês Francisco, Joana Belo, Maria Gusmão, Mariami Gasviani, Mário Patrício, Mauro Batista, Miguel Gomes, Miguel Meneses, Pedro Rebelo, Rita Pereira, Sérgio Figueiredo, Sílvia Pereira, Simão Quintans, Suazilene Sacramento, Vítor Manteigas e Vladimir Silva.

Estamos em plena época de avaliações e a poucos dias de terminar mais um ano de intenso de trabalho associado à implementação do Programa Eco-Escolas e do Projeto Interreg Sudoe ClimACT na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), mas ainda com muito para fazer.

Após a adoção da metodologia de trabalho subjacente à efetiva implementação do Programa/Projeto, que culmina com a elaboração do Eco-Código ou Código Climático, apresentamos-vos aquele que é o Eco-Código e o respetivo poster concebido este ano e cujo conteúdo vai de encontro àquilo que havia sido definido no Plano de Ação, aprovado no início do ano em reunião plenária do Conselho Eco-Escola/Comissão Baixo Carbono.

Eco-Código 2019 (ESTeSL)

Este é o último Eco-Código (ou Código Climático) apresentado ainda no âmbito também do projeto Interreg Sudoe ClimACT. Contudo, não lhe fazemos referência porquanto no decurso do próximo ano letivo, período no qual este “código de conduta” irá vigorar, o projeto já terá terminado.

Este ano o nosso Poster Eco-Código será submetido a concurso apenas na versão digital, sendo que em breve vos iremos mobilizar para a respetiva votação.

Hoje, dia 22 de fevereiro de 2019, teve lugar mais uma reunião do Conselho Eco-Escolas. Desta vez, e ao contrário do que é hábito, a reunião teve lugar nas instalações do Polo Artur Ravara da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (ESEL). Na verdade tratou-se da primeira reunião do Conselho Eco-Escolas da ESEL que está a implementar a metodologia dos 7 passos subjacente ao Programa Eco-Escolas e a desenvolver trabalho para garantir a conquista daquela que será a sua primeira Bandeira Verde.

Eco-Escola ESEL

Considerando a partilha de espaços comuns entre a ESEL e a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), desde o ano letivo 2010/2011 que a ESEL se faz representar no Conselho Eco-Escolas da ESTeSL pela professora Filomena de Sousa. Este ano, e para efeitos de constituição do conselho Eco-Escolas da ESEL, a ESTeSL foi convidada a fazer-se representar, cabendo esse papel ao professor Vítor Manteigas.

Nesta primeira reunião, onde foi apresentada a metodologia do Programa, foram já abordadas algumas atividades a integrar no Plano de Ação, sendo que algumas delas poderão vir a ser desenvolvidas em conjunto pelas comunidades académicas das duas instituições.

A concretizar-se a efetiva implementação do Programa Eco-Escolas e o posterior reconhecimento do trabalho desenvolvido pela ESEL, com a atribuição da respetiva Bandeira Verde, estão criadas as condições para que num futuro próximo possamos falar do Eco-Campus “Parque das Nações”.

Desejamos muito sucesso aos nossos parceiros, nesta aventura que agora se inicia, rumo a um futuro comum que se quer mais sustentável.

Aconteceu… na passada terça-feira, dia 18 de dezembro, aquela que foi a primeira reunião de trabalho do Conselho Eco-Escolas e Comissão Baixo Carbono da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSl-IPL), precedida pelo hastear da Bandeira Verde, o galardão Eco-Escolas, relativo ao trabalho desenvolvido no decurso do ano letivo 2017/2018.

Hastear da Bandeira Verde 2017-2018 e Reunião do Concelho Eco-Escolas

Depois de a 4 de outubro de 2018 uma comitiva da ESTeSL ter participado no Dia das Bandeiras Verdes (ver Fomos receber mais uma Bandeira Verde…), chegou o momento de garantir o hastear do galardão, cuja responsabilidade foi atribuída à conselheira Ana Sabino, dos Serviços de Logística, Ambiente e Segurança da Divisão de Gestão de Infra-Estruturas, Instalações e Equipamentos da ESTeSL, em representação dos funcionários não-docentes e que desde 2010/2011 tem vindo a trabalhar em prol da sustentabilidade na Escola.

Posteriormente, teve então lugar a reunião plenária do Conselho Eco-Escolas e Comissão Baixo Carbono que, para além de estudantes, docentes e não-docentes da ESTeSL, contou ainda com a participação de elementos da comunidade, dos quais destacamos as conselheiras Maria Gusmão, representante da Câmara Municipal de Lisboa, Filomena de Sousa, representante da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, e Carla Marques, representante dos Serviços de Ação Social do IPL. Cumulativamente, foram ainda convidados a participar na reunião alguns estudantes que estarão envolvidos diretamente em projetos/atividades a integrar no Plano de Ação (projeto Novo GreenESTeSL, projetos de investigação e outros), assim como elementos da equipa técnica do projeto Interreg Sudoe ClimACT, nomeadamente Margarida Gomes da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) e Joana Lage do Instituto Superior Técnico (IST)

Na ordem de trabalhos da reunião foi dado destaque à constituição do Conselho e à metodologia subjacente à implementação do programa Eco-Escolas e do projeto Interreg Sudoe ClimACT. Os elementos da equipa técnica do ClimACT tiveram oportunidade de apresentar alguns resultados da auditoria ambiental e energética realizada à ESTeSL (enfatizando a necessidade da sua replicação no decurso deste ano), assim como algumas das ferramentas educacionais e desafios disponibilizadas às escolas participantes.

Associado ao último ponto da ordem de trabalhos (outros assuntos), os conselheiros foram informados de uma série de atividade e diligências já asseguradas, assim como de outras que decorrerão até ao fim do ano letivo 2018/2019, com enfoque para a necessidade de aplicação do questionário comportamental (parte integrante da auditoria ambiental), assim como a realização do evento final do ClimACT que terá lugar em início de maio, na ESTeSL, e que envolverá diretamente a comunidade académica da Escola.

Aproveitamos esta ocasião para agradecer a todos aqueles que têm feito deste nosso percurso um caso de sucesso reconhecido, e desejar-vos Boas Festas e que o ano de 2019 seja repleto de sucessos. Em breve voltaremos com mais novidades!…

Conselho Eco-Escola têm um papel relevante a desempenhar, devendo ser entendido como a força motriz do Programa Eco-Escolas em cada uma das escolas participantes, e deve assegurar a execução dos outros seis passos subjacentes à metodologia própria do Programa, nomeadamente: (i) Auditoria Ambiental; (ii) Plano de Ação; (iii) Monitorização; (iv) Trabalho Curricular; (v) Informação e Envolvimento da Comunidade Local; e (vi) Eco-Código.

As competências do Conselho Eco-Escola passam por: (i) implementar a auditoria ambiental; (ii) discutir o plano de acção; (iii) monitorizar e avaliar as atividades; (iv) e coordenar as formas de divulgação do Programa na escola e comunidade. Cunulativamente, desde que a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) passou a integrar o projeto Interreg Sudoe ClimACT, o Conselho Eco-Escola é, cumulativamente, a Comissão Baixo Carbono.

Comissão Baixo Carbono, tal como o Conselho Eco-Escola, é uma estrutura interna permanente, composta por estudantes (dos nove cursos de licenciatura), docentes, não docentes e outras entidades consideradas relevantes. Deve ser encarado como um fórum para ideias, discussão, propostas, planeamento, monitorização e avaliação e que tem como tarefas: (i) decidir as melhores estratégias para envolver a escola e implementar, monitorizar e avaliar as ações; (ii) definir responsabilidades; e (iii) monitorizar, avaliar e relatar a evolução das condições, comportamentos, conhecimento e competências adquiridas para a economia de baixo carbono na escola.

Hoje tornamos público a constituição do Conselho Eco-Escola e da Comissão Baixo Carbono da ESTeSL para o ano letivo em curso que é, mais uma vez, representativo da comunidade académica (de acordo com o regime de funcionamento) e que integra também elementos da Câmara Municipal de Lisboa, da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, do Jornal “Notícias do Parque”, da Junta de Freguesia do Parque das Nações, da Presidência do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) e dos Serviços de Ação Social do IPL. Esta informação estará também disponível no sítio institucional da nossa escola, na área dedicada à Política Ambiental (divulgada pela Circular Informativa n.º 27, de 3 de junho de 2011).

Agora, finalizada que está a constituição do Conselho Eco-Escola e da Comissão Baixo Carbono, importa dar continuidade aos trabalhos que, nesta primeira fase, e tal como tem ocorrido nos últimos dois anos (associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT), passa pela aplicação de um questionário comportamental à comunidade académica, sendo este um passo de especial relevância para a elaboração do Plano de Ação. É nesse sentido que contamos com a colaboração de toda a comunidade académica (estudantes, docentes e não docentes), no preenchimento do questionário cuja divulgação será garantida muito em breve.

Política Ambiental da ESTeSL

Conselho Eco-Escolas | Comissão Baixo Carbono

  • Alexandra Matos, ESTeSL (Estudante de Farmácia)
  • Ana Fernandes, ESTeSL (Estudante de Ciências Biomédicas Laboratoriais)
  • Ana Monteiro, ESTeSL (Docente)
  • Ana Sabino, ESTeSL (Não-docente)
  • Andreia Coelho, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • António Belo, IPL (Vice-Presidente do IPL)
  • Bela Vilares, ESTeSL (Não-docente)
  • Carla Marques, SAS/IPL (representante dos Serviços de Ação Social do IPL)
  • Cătălin Marinescu, ESTeSL (AEESTeSL)
  • Catarina Anastácio, ESTeSL (Estudante de Fisioterapia)
  • Daniel Parreira, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Daniela Pasat, ESTeSL (Estudante de Imagem Médica e Radioterapia)
  • Filomena de Sousa, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (Docente)
  • Graça Andrade, ESTeSL (Vice-Presidente da ESTeSL)
  • Inês César, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Inês Francisco, ESTeSL (Estudante de Ortóptica e Ciências da Visão)
  • Joana Belo, ESTeSL (Docente)
  • Maria Gusmão, Câmara Municipal de Lisboa (DGPF Monsanto e de Sensibilização Ambiental)
  • Mariami Gasviani, ESTeSL (Estudante de Fisiologia Clínica)
  • Mário Patrício, Junta de Freguesia do Parque das Nações (Presidente da Junta de Freguesia)
  • Mauro Batista, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Miguel Gomes, ESTeSL (Estudante de Farmácia)
  • Miguel Meneses, Jornal “Notícias do Parque” (Diretor)
  • Pedro Rebelo, ESTeSL (Docente)
  • Rita Pereira, ESTeSL (Estudante de Dietética e Nutrição)
  • Sérgio Figueiredo, ESTeSL (Docente)
  • Sílvia Pereira, ESTeSL (Estudante de Ortoprotesia)
  • Simão Quintans, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Vítor Manteigas, ESTeSL (Docente)
  • Vladimir Silva, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)

A Associação Bandeira Azul da Europa convida toda a comunidade Eco-Escolas a votar no(s) poster(es) Eco-Código que mais forem do vosso agrado para que, em cada escalão, os que vierem a ter mais mais “LIKES” sejam premiados com o Prémio Comunidade Virtual.

A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), sendo escola-piloto do projeto Interreg Sudoe ClimACT, tem a concurso um poster com o seu Código Climático e o vosso “voto” pode fazer a diferença.

Para poderem contribuir para o sucesso do Código Climático da ESTeSL neste desafio na comunidade virtual, basta terem um perfil registado no Facebook e, depois de acederem ao nosso poster Eco-Código e Código Climático (clicar AQUI), deixar o vosso “LIKE”. Em alternativa poderão “GOSTAR” fazendo uso da imagem incorporada nesta publicação.

Contamos convosco!

Para a realização do projeto submetido ao Concurso Nacional Poster Eco-Código / Código Climático 2018, foi proposto a um grupo específico de estudantes que, no âmbito do Programa Eco-Escolas e unidade curricular de Estágio em Saúde Ambiental I e, em conjunto com o professor responsável, a elaboração de um póster Código Climático em que estivessem contemplados os temas-base no âmbito do projeto Interreg Sudoe ClimACT (água, resíduos, energia, espaços verdes/floresta, mobilidade e compromisso verde) e pelo menos um dos temas facultativos (alimentação saudável e sustentável), indo de encontro também ao Plano de Ação previamente definido.

Foi pedido a cada um dos membros da Comissão Baixo Carbono que, com a colaboração dos colegas dos respetivos cursos de licenciatura (no caso dos estudantes), sugerissem frases tendo em conta os pressupostos anteriores, visando a criação ou alteração de atitudes e comportamentos conducentes à melhoria do ambiente tanto na escola como em casa. As inúmeras frases propostas foram sujeitas a votação e seriação, das quais resultaram as apresentadas no poster.

Este ano, e de forma a garantir uma vinculação efetiva ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, optou-se por fazer-se uso da imagem do projeto, depois da devida autorização por parte de equipa coordenadora. Ambas as etapas foram realizadas sob orientação do professor responsável pelo grupo de trabalho e coordenador Eco-Escolas/Baixo Carbono, e sendo igualmente sujeita à “ratificação” dos elementos do Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono.

Teve lugar na passada sexta-feira, dia 23 de fevereiro, mais uma reunião de trabalho do Conselho Eco-Escolas e Comissão Baixo Carbono. Depois de em janeiro ter havido uma reunião permanente (ver A Eco-Escola ESTeSL, entre Madrid e Lisboa…), só com membros da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), esta última reunião, sendo plenária, contou com a participação de alguns elementos da comunidade, dos quais destacamos os representantes da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, dos Serviços da Presidência do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) e dos Serviços de Ação Social do IPL. Cumulativamente, foram ainda convidados a participar na reunião, os membros da Brigada Baixo Carbono.

Reunião plenária do Conselho Eco-Escolas e Comissão Baixo Carbono

Na ordem de trabalhos da reunião foi dado destaque ao Plano de Ação e às propostas sugeridas pelos conselheiros, tendo sido, seguramente, uma tarde altamente produtiva, que se espera venha a culminar num ano altamente profícuo.

Para já, o passo seguinte será submeter na plataforma do Programa Eco-Escolas, a ficha de acompanhamento que inclui informação relativa a: (i) Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono (constituição, atas de reuniões, registo de presenças e frequência das reuniões); (ii) Auditoria Ambiental (realizada pela equipa técnica do projeto ClimACT e complementada pelo questionário comportamental); (iii) Brigada da Monitorização (declaração de intenção em monitorizar os consumos de água, eletricidade ou gás); (iv) Plano de Ação (discutido na reunião); e Outras Observações (por exemplo a eventual participação no Seminário Nacional Eco-Escolas).




Introduza o seu e-mail


Dezembro 2019
S T Q Q S S D
« Jul    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
Categorias