Archive for the ‘Concursos’ Category

Dia das Bandeiras Verdes 2018 (Pombal)Depois de ter sido tornado público a atribuição de mais uma Bandeira Verde (Galardão Eco-Escolas) à Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), podemos então confirmar a nossa presença, mais uma vez, na cerimónia do Dia das Bandeiras Verdes 2018.

Desde o ano letivo passado que a atribuição do Galardão Eco-Escolas surge também na sequência daquela que tem sido a nossa participação no projeto Interreg Sudoe ClimACT e de todo o trabalho entretanto desenvolvido.

A “aventura” começou ano letivo de 2010/2011 e desde então nunca mais parou. Este ano conseguiu-se, pelo oitavo ano consecutivo, conquistar mais um galardão que uma comitiva representativa da comunidade académica da ESTeSL irá receber no Encontro Nacional “Dia das Bandeiras Verdes”, no dia 4 de outubro, em Pombal,

A atribuição deste oitavo galardão vem reconhecer o trabalho de mérito que temos vindo a desenvolver ao longo destes anos, em prol de uma educação para a sustentabilidade, de qualidade, e que este ano foi também, à semelhança dos anos anteriores, objeto da atribuição de vários prémios (ver  ESTeSL é premiada no desafio “Alimentação Saudável e Sustentável” e ESTeSL volta a vencer uma das atividades criativas da Geração Depositrão).

Parabéns a toda a comunidade académica da ESTeSL!…

O projeto Interreg Sudoe ClimACT é novamente finalista! Desta vez falamos do “Interreg Talks: 6 projects, 1 Slam“.

Para além dos três prémios que serão atribuídos no decurso da EURegionsWeek 2018, e onde o projeto ClimACT marcará presença em Bruxelas, de 8 a 10 de outubro para a sua apresentação pública, existe ainda um “Social Media Award”, onde o vencedor será o que angariar mais votos (likes) no respetivo vídeo.

Para votar, basta “gostar” no vídeo incorporado em baixo e dessa forma estaremos também a valorizar todo o trabalho que a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) tem vindo a fazer no âmbito do programa Eco-Escolas e do projeto ClimACT. O desafio é votar e partilhar…

In the framework of the #EURegionsWeek 2018, a specific session “Interreg Talks: 6 projects, 1 Slam”, will be organised by Interact and the European Commission (DG REGIO) as the new edition of the Project Slam.

The Slam is part of the capitalisation work implemented by Interact, where the ‘Interreg Talks’ are a series of events aimed at promoting innovative communication approaches related to capitalisation of Interreg results. Specific thematic ‘Talks’ have been organised in the fields identified for Interact capitalisation networks over the past years (Migration, Climate Change, etc.).

The ‘Interreg Talks’ also aim at demonstrating how Interreg works and how its cooperation model could be enlarged/transferred. The Interreg Talks are, by their nature, targeted at stakeholders and audiences other than Interreg practitioners.

For the 2018 edition, Interact has applied to the ‘European Week of Regions and Cities’ (#EURegionsWeek) in order to present a new experience of project slam, by making Interreg results more visible to the targets and audience of this major event. The 1,5-hour slot for this year’s Slam is scheduled during the EURegionsWeek 2018. The Project Slam session will present high impact Interreg projects (see pre-selection criteria detailed below) in an entertaining and easy way to the audience attending the EURegionsWeek.

For this Project Slam a nomination process is open to Interreg Programmes (including Interreg – IPA CBC and ENI Programmes) and its main goal is to identify good projects and results to be showcased by the voice of their protagonists. These projects need to have a high communication power and attractiveness for relevant stakeholders and the audience of the event. The language used must be English, and provided the message is clearly understandable, of course, regional/national accents – the DNA of our diversity – are most welcome.

O projeto ClimACT é finalista dos RegioStars Awards 2018... VOTA!O projeto Interreg Sudoe ClimACT, projeto que integra a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) enquanto escola-piloto e cuja metodologia a ESTeSL tem vindo a aplicar no decurso dos últimos anos, associado ao programa Eco-Escolas, é finalista dos RegioStars Awards 2018 e o vosso voto pode fazer a diferença (clicar na imagem para votar).

Os prémios RegioStars identificam boas práticas no desenvolvimento regional e destacam projetos originais e inovadores que são interessantes e inspiradores para outras regiões.

Das cerca de 102 candidaturas apresentadas ao RegioStars Awards 2018, um júri especializado está a trabalhar na determinação do melhor projeto por categoria, com base no mérito referente à inovação, impacto, sustentabilidade e parcerias, mas o projeto que receber mais votos irá receber o Public Choice Award!

O desafio que agora vos lançamos é que votem no “nosso” projeto. A votação para o projeto ClimACT, na categoria “alcançar a sustentabilidade através de baixas emissões de carbono”, decorre até à meia-noite do dia 7 de outubro e podem votar várias vezes (ao dia!).  Contamos convosco… VOTEM!

O vídeo da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) “Porque a água importa!…” garantiu o primeiro lugar (exaequo) no Jovens Repórteres para o Ambiente deste ano, na categoria “Vídeo Campanha”.

Este foi um trabalho das estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da ESTeSL, Catarina Ricardo, Felícia Silva, Inês César e Joana Ferreira, adaptado do trabalho com o qual já haviam participado e sido finalistas do concurso “I LIVE GREEN”, da Agência Europeia do Ambiente, na categoria de Clean Water  (ver  A ESTeSL é finalista do “I LIVE GREEN” e o vosso voto importa!).

Seja consciente… não polua, cuide, poupe ÁGUA! 

Depois de no último ano, uma grande parte do território português ter atravessado um largo período de seca severa, é imperioso ter-se consciência da necessidade de não poluir, de cuidar e de poupar água, um recurso cada vez mais escasso em algumas zonas do território.

Este ano, na sequência do desafio lançado a todas as Eco-Escolas, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) participou pela primeira vez no projeto “Alimentação Saudável e Sustentável”.

O projeto “Alimentação Saudável e Sustentável” concretizou-se através de um conjunto de desafios, que pretendia motivar as crianças, jovens, professores e família para um maior conhecimento acerca das questões que se relacionam com a alimentação saudável e sustentável por forma a que estes se tornem recetivos à introdução de mudanças de hábitos no dia-a-dia. O enfoque deste ano letivo foi, para além da Alimentação Saudável e Sustentável, o combate ao Desperdício Alimentar.

ESTeSL é premiada no desafio Alimentação Saudável e Sustentável

As estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental, Catarina Ricardo, Felícia Silva, Inês César e Joana Ferreira participaram no projeto, idealizando uma “eco-ementa” completa para quatro pessoas, com alimentos da época de Primavera/ Verão e que lhes valeu o terceiro lugar no concurso nacional. Parabéns!

Os alimentos foram adquiridos localmente, tendo-se optado por produtos frescos biológicos, na sua maioria não embalados e não processados, assim como por alimentos rios em fibras, pobres em hidratos de carbono e açucares artificiais. Pela proximidade aos locais de produção, foram comprados sem recurso a uso de transportes, tendo sido confecionados nas instalações da ESTeSL e consumidos pelas estudantes, numa das refeições principais.

A ementa foi pensada pelas estudantes, após um trabalho de pesquisa acerca das frutas e vegetais da época e da região, calculando-se também o valor energético total da ementa, tendo por base a tabela de composição nutricional do Instituto Dr. Ricardo Jorge, assim como a informação inclusa nos rótulos de alguns alimentos. Para a concretização deste trabalho contou-se com a colaboração da Mariana Pereira, recém licenciada em Dietética e Nutrição pela ESTeSL, a quem agradecemos. Deixamos também um agradecimento ao curso de Dietética e Nutrição pela cedência do laboratório onde se procedeu à preparação e confeção da refeição.

A Associação Bandeira Azul da Europa convida toda a comunidade Eco-Escolas a votar no(s) poster(es) Eco-Código que mais forem do vosso agrado para que, em cada escalão, os que vierem a ter mais mais “LIKES” sejam premiados com o Prémio Comunidade Virtual.

A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), sendo escola-piloto do projeto Interreg Sudoe ClimACT, tem a concurso um poster com o seu Código Climático e o vosso “voto” pode fazer a diferença.

Para poderem contribuir para o sucesso do Código Climático da ESTeSL neste desafio na comunidade virtual, basta terem um perfil registado no Facebook e, depois de acederem ao nosso poster Eco-Código e Código Climático (clicar AQUI), deixar o vosso “LIKE”. Em alternativa poderão “GOSTAR” fazendo uso da imagem incorporada nesta publicação.

Contamos convosco!

Para a realização do projeto submetido ao Concurso Nacional Poster Eco-Código / Código Climático 2018, foi proposto a um grupo específico de estudantes que, no âmbito do Programa Eco-Escolas e unidade curricular de Estágio em Saúde Ambiental I e, em conjunto com o professor responsável, a elaboração de um póster Código Climático em que estivessem contemplados os temas-base no âmbito do projeto Interreg Sudoe ClimACT (água, resíduos, energia, espaços verdes/floresta, mobilidade e compromisso verde) e pelo menos um dos temas facultativos (alimentação saudável e sustentável), indo de encontro também ao Plano de Ação previamente definido.

Foi pedido a cada um dos membros da Comissão Baixo Carbono que, com a colaboração dos colegas dos respetivos cursos de licenciatura (no caso dos estudantes), sugerissem frases tendo em conta os pressupostos anteriores, visando a criação ou alteração de atitudes e comportamentos conducentes à melhoria do ambiente tanto na escola como em casa. As inúmeras frases propostas foram sujeitas a votação e seriação, das quais resultaram as apresentadas no poster.

Este ano, e de forma a garantir uma vinculação efetiva ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, optou-se por fazer-se uso da imagem do projeto, depois da devida autorização por parte de equipa coordenadora. Ambas as etapas foram realizadas sob orientação do professor responsável pelo grupo de trabalho e coordenador Eco-Escolas/Baixo Carbono, e sendo igualmente sujeita à “ratificação” dos elementos do Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono.

A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) volta a vencer uma das atividades criativas da Geração Depositrão!!

A ESTeSL candidatou-se com a submissão de um vídeo de animação sobre “A Carga Máxima protege a Floresta”. Para a realização do vídeo de animação, foi lançado o desafio aos estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental para que, no âmbito da unidade curricular de Gestão de Resíduos, realizassem um trabalho que cumprisse os requisitos definidos para o desafio “A Carga Máxima protege a Floresta”. A turma foi dividida em grupos de trabalho que, após a abordagem ao fluxo específico de resíduos de pilhas e acumuladores portáteis, prepararam guiões para os vídeos que se propuseram fazer. No total, foram envolvidos 34 estudantes e o professor responsável da unidade curricular que, após a concretização de todos os vídeos (cinco), selecionou aquele que iria representar a Escola no concurso da Geração Depositrão.

O vídeo apresentado a concurso foi pensado, discutido e elaborado pelas estudantes Ana Margarida Correia, Jéssica Moreira, Susana Camala e Suazilene Sacramento, tendo por base os critérios definidos para a atividade criativa, associando as pilhas, enquanto resíduo, à floresta e aos riscos decorrentes do seu abandono.

Com uma linguagem simples e de compreensão acessível, tendo em conta o público alvo, vão-se dando algumas indicações que ajudam a interpretar a mensagem que se quer associar à animação e que segue o percurso da “floresta ao prato”, deixando claro os riscos de se deixar as pilhas sem encaminhamento e tratamento adequados. As substâncias nocivas são representadas pelos metais pesados que têm um efeito cumulativo na cadeia alimentar, fazendo o percurso desde a floresta até ao prato, passando pelos rios, oceanos, algas e peixes.

A mensagem a reter é… Pilhas na floresta… NÃO!




Introduza o seu e-mail


Setembro 2018
S T Q Q S S D
« Ago    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
Categorias
Parceiros