Archive for the ‘Alterações Climáticas’ Category

Integrado no Interreg Sudoe ClimACT, projeto onde a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) tem vindo a participar na qualidade de escola-piloto, aplicando a metodologia de trabalho que lhe está subjacente, numa perspectiva de transição para uma economia de baixo carbono, teve lugar nos dias 9 e 10 de maio, o evento final que juntou todas as entidades parceiras, stakeholders e escolas de Portugal, Espanha, França e Gibraltar, com a presença de cerca de 150 participantes.

ESTeSL acolheu evento final do projeto Interreg Sudoe ClimACT

No primeiro dia do evento, que teve lugar da ESTeSL, houve comunicações asseguradas pelos elementos representantes das entidades beneficiárias e membros da equipa técnica, distribuídas pelas várias sessões (ferramentas para a gestão de energia nas escolas; boas práticas em escolas baixo carbono; educação para sustentabilidade; e soluções baixo carbono), assim como comunicações de várias entidades convidadas a partilhar a sua experiência, conhecimento e competência nas temáticas do projeto.

Paralelamente, os estudantes das escolas integrantes no projeto, tiveram a oportunidade de participar em workshops temáticos (dança, teatro, cenários e música), que serviram de base para a performance final deste primeiro dia de trabalhos, que contou ainda com Filipe Pinto, músico, compositor e intérprete que partilhou o palco com os cerca de 70 estudantes. No fim das sessões em auditório, houve ainda lugar para uma visita a algumas das zonas características do Parque das Nações e desconhecidas para a generalidade dos participantes estrangeiros.

O segundo dia foi passado no Parque Urbano de Santa Iria da Azóia, Loures, onde as escolas dos países participantes partilharam algumas das suas experiências dos três anos de projeto e onde tiveram ainda a oportunidade de participar em várias atividades temáticas.

Muito do sucesso que foi reconhecido ao evento final do projeto Interreg Sudoe ClimACT, deve-se também à nossa Presidência, que desde o primeiro momento se mostrou disponível para acolher na ESTeSL este evento. Igualmente importante foi todo o contributo dos estudantes da ESTeSL que se voluntariaram para trabalhar afincadamente para o sucesso desta iniciativa, nomeadamente: Catarina Anastácio, Diana Narciso, Eduarda Rodrigues, Fabiana Clérigo, Inês Andrade, Inês César, Irene Morais, João Anjos, Mariami Gasviani, Marta Amaral, Pedro Pena e Sandra Ferreira.

Para terminar, deixamos também um agradecimento sentido à Carla Marques, representante dos Serviços de Ação Social do Instituto Politécnico de Lisboa no Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono, que em muito contribuiu para a ementa vegetariana e ovolactovegetariana disponibilizada a todos os participantes.

Muito obrigado a tod@s!

 

A celebração da Hora do Planeta 2019 é já amanhã…

Hora do Planeta 2019

Hora do Planeta é a maior iniciativa à escala mundial de luta contra as alterações climáticas, que pretende envolver Cidadãos Comuns, Governos, Organizações e Empresas numa ação conjunta para sensibilizar os menos atentos para os efeitos do aquecimento global. Contudo, importa garantir que cada um de nós, individualmente, assume também um papel relevante e atue!

Hora do Planeta 2019, o momento em que as luzes se apagarão durante 60 minutos num ato simbólico de preocupação ambiental, que começa na Austrália e irá percorrer todo o planeta, terá lugar no dia 24 de março, entre as 20h30m e as 21h30m, e o desafio este ano vai para além da simples adesão institucional.

Este ano, no decurso da Hora do Planeta, irá ter lugar na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) o III São Gregório – Festival de Tunas Masculinas da ESTeSL, onde se celebra o vigésimo primeiro aniversário da EST’eS La Tuna Masculina, Tuna Masculina da ESTeSL e por razões óbvias, esperemos que os nossos tunantes não se apaguem!

III São Gregório – Festival de Tunas Masculinas da ESTeSL

Ficaremos à espera que a nossa EST’eS La Tuna Masculina dedique uma das suas música ao Planeta, tal como fizeram todas as tunas participantes em 2015 (ver  A nossa Hora do Planeta foi “cantada”ArquitecTuna; TUCATAPCE – UNL; e Tuna Médica de Lisboa)

Que este seja em evento de sucesso e que a Hora do Planeta “ilumine” todas as atuações. Vai tuna…

Segundo informação veiculada no Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos 2018, o ciclo hídrico mundial está a intensificar-se devido às alterações climáticas, com a tendência de regiões já húmidas ou secas apresentarem situações cada vez mais extremas. Atualmente, estima-se que 3,6 mil milhões de pessoas (quase metade da população mundial) vivem em áreas que apresentam uma potencial escassez de água por pelo menos um mês por ano, e essa população poderá aumentar para algo entre 4,8 mil milhões e 5,7 mil milhões até 2050.

Dia Mundial da Água
Hoje, na celebração do Dia Mundial da Água, deixamos a sugestão do filme “A Civel Action”, que alude às implicações da contaminação da água e que se baseia em factos verídicos.

Hoje, dia 22 de fevereiro de 2019, teve lugar mais uma reunião do Conselho Eco-Escolas. Desta vez, e ao contrário do que é hábito, a reunião teve lugar nas instalações do Polo Artur Ravara da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (ESEL). Na verdade tratou-se da primeira reunião do Conselho Eco-Escolas da ESEL que está a implementar a metodologia dos 7 passos subjacente ao Programa Eco-Escolas e a desenvolver trabalho para garantir a conquista daquela que será a sua primeira Bandeira Verde.

Eco-Escola ESEL

Considerando a partilha de espaços comuns entre a ESEL e a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), desde o ano letivo 2010/2011 que a ESEL se faz representar no Conselho Eco-Escolas da ESTeSL pela professora Filomena de Sousa. Este ano, e para efeitos de constituição do conselho Eco-Escolas da ESEL, a ESTeSL foi convidada a fazer-se representar, cabendo esse papel ao professor Vítor Manteigas.

Nesta primeira reunião, onde foi apresentada a metodologia do Programa, foram já abordadas algumas atividades a integrar no Plano de Ação, sendo que algumas delas poderão vir a ser desenvolvidas em conjunto pelas comunidades académicas das duas instituições.

A concretizar-se a efetiva implementação do Programa Eco-Escolas e o posterior reconhecimento do trabalho desenvolvido pela ESEL, com a atribuição da respetiva Bandeira Verde, estão criadas as condições para que num futuro próximo possamos falar do Eco-Campus “Parque das Nações”.

Desejamos muito sucesso aos nossos parceiros, nesta aventura que agora se inicia, rumo a um futuro comum que se quer mais sustentável.

Greve às aulas... pelo CLIMA!

Greta Tintin Eleonora Ernman Thunberg, ativista do clima conhecida por protestar às portas do parlamento sueco, como forma de divulgar as questões associadas às alterações climáticas e que ganhou projeção mundial após a sua intervenção na COP24 em Katowice (Polónia), decidiu fazer greve às aulas em nome do clima.

Inspirados em Greta Thunberg, os estudantes portugueses vão juntar-se ao que se espera serem milhares de estudantes de todo o mundo, e faltar às aulas no próximo dia 15 de março, como forma de protesto pela inação, assim como exigir aos respetivos governos que a resolução da crise climática seja claramente incorporada na agenda política e se torne uma prioridade.

Por agora, e segundo informação veiculada pela comunicação social portuguesa, Lisboa, Porto e Coimbra são as cidades onde, em Portugal, há já manifestações marcadas, respondendo ao apelo do movimento estudantil internacional #SchoolStrike4Climate e #FridaysForFuture.

Encontro Campus Sustentável 2018Irá ter lugar no dia 27 de novembro de 2018, na Universidade de Coimbra, um encontro de trabalho entre membros convidados de comunidades académicas de instituições de Ensino Superior (IES) portuguesas que tem em vista a criação de uma rede de cooperação para a sustentabilidade dos campi (Encontro Campus Sustentável 2018).

Este encontro realiza-se na sequência do primeiro Encontro Virtual Campus Sustentável – EVCS (ver Encontro Virtual Campus Sustentável) que teve lugar no dia 12 de junho de 2018, sendo que a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) foi um dos pontos focais de participação e onde a experiência da ESTeSL no âmbito do programa Eco-Escolas e do projeto Interreg Sudoe ClimACT foi evidenciada. O primeiro evento reuniu membros das comunidades de nove IES em torno do tema da gestão sustentável dos campi, nas suas múltiplas dimensões como, por exemplo, a eficiência no uso de recursos, a gestão de resíduos, a mobilidade, a formação, a investigação, a dinamização da comunidade, a interação com as comunidades envolventes e, naturalmente, a gestão da sustentabilidade. No final do EVCS os participantes decidiram unanimemente promover um encontro alargado na Universidade de Coimbra, que irá então ter lugar já na próxima semana e onde a ESTeSL se fará representar pelo professor Vítor Manteigas, coordenador Eco-Escolas e coordenador Baixo Carbono.

WINNERS at "Interreg Talks 6 Projects, 1 Slam", during European Week of Regions & Cities

No decurso desta semana, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) marcou presença na European Week of Regions and Cities (EURegionsWeek), que teve lugar em Bruxelas, na Bélgica, nos dias 8, 9 e 10 de outubro. Esta presença decorreu da participação da estudante Inês César (membro do Conselho Eco-Escolas e da Comissão Baixo Carbono), onde representou os estudantes portugueses associados ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, enquanto estudante do ensino superior.

O ClimACT estava nomeado para os RegioStars e para o “Interreg Talks: 6 projects, 1 slam”, tendo sido um dos vencedores no Project Slam do Interreg Talks, onde foram apresentados todos os projetos finalistas.

A apresentação do ClimACT ficou a cargo de um grupo de estudantes das escolas participantes (onde se inclui a ESTeSL), representantes de Portugal, França, Espanha e Gibraltar, e que foram acompanhados nesta missão por alguns professores e parceiros do projeto.

Esta vitória, decorre do trabalho de uma equipa maior, constituída por estudantes (e respetivas famílias), docentes e não docentes, toda a comunidade académica e comunidade envolvente das quase quarenta escolas ClimACT, assim como do trabalho exaustivo de todos os parceiros (universidades, autarquias, empresas, centros de investigação, organizações não governamentais e outras).

Este é o caminho que perspetiva fazer e que começa agora, nas escolas, rumo a uma economia de baixo carbono, que urge alcançar.

Muitos parabéns a TODOS!




Introduza o seu e-mail


Maio 2019
S T Q Q S S D
« Abr    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  
Categorias