A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) contribuiu de forma significativa para as mais de 133 toneladas de resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE) e pilhas em fim de vida, recolhidos em todo o país no âmbito do projeto Geração Depositrão, integrado no Programa Eco-Escolas.

Num contexto nacional, o distrito de Lisboa ocupa o 1.º lugar no ranking do peso recolhido, com mais de 24000 kg de resíduos, com especial destaque para a ESTeSL que recolheu e encaminhou para destino adequado mais de 8,5 toneladas. Desde a adesão da ESTeSL ao Programa Eco-Escolas e ao projeto Geração Depositrão, já foram encaminhados mais de 16500 kg deste tipo de resíduos.

ESTeSL lidera ranking nacional da Geração Depositrão

Na sequência desta conquista, teve lugar uma sessão “Geração Depositrão” que decorreu no passado dia 8 de abril na ESTeSL e que contou com a presença de Filipa Moita (ERP Portugal) e de Eva Freitas (LG Portugal), para a entrega de alguns prémios.

No comunicado à imprensa, o Professor Vítor Manteigas, Coordenador do Programa Eco-Escolas na ESTeSL, defende que “a participação das escolas na Geração Depositrão se reveste de particular importância porquanto acaba por ser promotor de boas práticas ambientais nas instituições de ensino e que tendem a ser replicadas pelos estudantes no seu dia-a-dia, concorrendo para uma economia circular. Para além das campanhas de recolha e encaminhamento para destino adequado deste fluxo de resíduos, as atividades criativas da Geração Depositrão, são igualmente uma oportunidade para que os estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa desenvolvam competências relevantes para o seu futuro exercício profissional”.

Filipa Moita, responsável de comunicação da ERP Portugal, sublinhou que “as escolas continuam empenhadas nesta recolha de pilhas e equipamentos elétricos e eletrónicos em fim de vida, garantindo o seu tratamento e reciclagem. A Geração Depositrão continuará no terreno a mobilizar comportamentos e alertar a população para a necessidade e importância de deposição seletiva destes resíduos”.

Para Hugo Jorge, responsável de marketing da LG “A importância da consciencialização para a reciclagem é cada vez mais relevante, sendo um papel não só dos atores diretos como a ERP – que aproveito para felicitar por esta ação continuada há mais de 10 anos – mas também de todas as empresas que, direta ou indiretamente, fazem parte deste ecossistema. A LG tem apoiado esta iniciativa – em parceria com a ERP – no âmbito do seu programa “Choose Smart for a Better Tomorrow” onde diversas ações a decorrer este ano servirão para reforçar esta tomada de consciencialização para o lixo eletrónico – E-Waste.”

A campanha de recolha e encaminhamento de REEE continuará a funcionar até ao final do ano letivo e desafiamos toda a comunidade académica da ESTeSL a fazer uso do Depositrão que se encontra no piso -1, junto à saída do elevador.

O desafio “Planet or Plastic“, associando à Campanha Planet or Plastic” da National Geographic, pretende dar expressão à modalidade “campanha”, propondo a apresentação de uma fotografia  que apele à redução, substituição e correta manipulação dos plásticos, por forma a evitar a crescente contaminação dos oceanos.

Foi nessa perspetiva que as estudantes do curso de Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), Cristiana Costa, Dalila Gonçalves, Elisabete Santos, Suazilene Sacramento, realizaram as fotografias abaixo apresentadas e entretanto publicadas no portal dos Jovens Repórteres para o Ambiente (ver Os rios: a porta de entrada das toneladas de plástico que todos os anos chegam aos oceanos! e A refeição diária da nossa fauna marinha…).

A refeição diária na nossa fauna marinhaAquilo que encontramos na margem do rio corresponde a uma ínfima parte daquilo que se encontra no seu interior…

No final a opção será entre o “Planeta e o Plástico”, mas a escolha parece-nos óbvia!

A celebração da Hora do Planeta 2019 é já amanhã…

Hora do Planeta 2019

Hora do Planeta é a maior iniciativa à escala mundial de luta contra as alterações climáticas, que pretende envolver Cidadãos Comuns, Governos, Organizações e Empresas numa ação conjunta para sensibilizar os menos atentos para os efeitos do aquecimento global. Contudo, importa garantir que cada um de nós, individualmente, assume também um papel relevante e atue!

Hora do Planeta 2019, o momento em que as luzes se apagarão durante 60 minutos num ato simbólico de preocupação ambiental, que começa na Austrália e irá percorrer todo o planeta, terá lugar no dia 24 de março, entre as 20h30m e as 21h30m, e o desafio este ano vai para além da simples adesão institucional.

Este ano, no decurso da Hora do Planeta, irá ter lugar na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) o III São Gregório – Festival de Tunas Masculinas da ESTeSL, onde se celebra o vigésimo primeiro aniversário da EST’eS La Tuna Masculina, Tuna Masculina da ESTeSL e por razões óbvias, esperemos que os nossos tunantes não se apaguem!

III São Gregório – Festival de Tunas Masculinas da ESTeSL

Ficaremos à espera que a nossa EST’eS La Tuna Masculina dedique uma das suas música ao Planeta, tal como fizeram todas as tunas participantes em 2015 (ver  A nossa Hora do Planeta foi “cantada”ArquitecTuna; TUCATAPCE – UNL; e Tuna Médica de Lisboa)

Que este seja em evento de sucesso e que a Hora do Planeta “ilumine” todas as atuações. Vai tuna…

Segundo informação veiculada no Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos 2018, o ciclo hídrico mundial está a intensificar-se devido às alterações climáticas, com a tendência de regiões já húmidas ou secas apresentarem situações cada vez mais extremas. Atualmente, estima-se que 3,6 mil milhões de pessoas (quase metade da população mundial) vivem em áreas que apresentam uma potencial escassez de água por pelo menos um mês por ano, e essa população poderá aumentar para algo entre 4,8 mil milhões e 5,7 mil milhões até 2050.

Dia Mundial da Água
Hoje, na celebração do Dia Mundial da Água, deixamos a sugestão do filme “A Civel Action”, que alude às implicações da contaminação da água e que se baseia em factos verídicos.

Hoje, dia 21 de março, na celebração do Dia Mundial da Árvore e do Dia Internacional das Florestas, apresentamos-vos aquelas que são “as árvores da minha escola”, uma atividade integrada no projeto “Brigada da Floresta”, que tem como principal objetivo conhecer e agir pela proteção dos ecossistemas existentes na escola e no território envolvente, dando particular importância à floresta.

Este é um trabalho realizado pelas estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), Cristiana Costa, Dalila Gonçalves, Elisabete Santos e Suazilene Sacramento.
Para a realização da inventariação das árvores e arbustos, foi usado como documento base a tela final do projeto de arquitetura paisagística da ESTeSL, com todas as árvores e arbustos inicialmente previstos e plantados. Usando esse guia, realizou-se o trabalho de campo, identificando os arbustos e árvores e fotografando estas últimas (fotografias de silhueta e detalhe). Tendo em conta que ainda não se está na época de floração da maior parte das árvores, algumas das árvores fotografadas não apresentavam folhas (ou estavam secas) nem flores.

Hoje, dia 22 de fevereiro de 2019, teve lugar mais uma reunião do Conselho Eco-Escolas. Desta vez, e ao contrário do que é hábito, a reunião teve lugar nas instalações do Polo Artur Ravara da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (ESEL). Na verdade tratou-se da primeira reunião do Conselho Eco-Escolas da ESEL que está a implementar a metodologia dos 7 passos subjacente ao Programa Eco-Escolas e a desenvolver trabalho para garantir a conquista daquela que será a sua primeira Bandeira Verde.

Eco-Escola ESEL

Considerando a partilha de espaços comuns entre a ESEL e a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL), desde o ano letivo 2010/2011 que a ESEL se faz representar no Conselho Eco-Escolas da ESTeSL pela professora Filomena de Sousa. Este ano, e para efeitos de constituição do conselho Eco-Escolas da ESEL, a ESTeSL foi convidada a fazer-se representar, cabendo esse papel ao professor Vítor Manteigas.

Nesta primeira reunião, onde foi apresentada a metodologia do Programa, foram já abordadas algumas atividades a integrar no Plano de Ação, sendo que algumas delas poderão vir a ser desenvolvidas em conjunto pelas comunidades académicas das duas instituições.

A concretizar-se a efetiva implementação do Programa Eco-Escolas e o posterior reconhecimento do trabalho desenvolvido pela ESEL, com a atribuição da respetiva Bandeira Verde, estão criadas as condições para que num futuro próximo possamos falar do Eco-Campus “Parque das Nações”.

Desejamos muito sucesso aos nossos parceiros, nesta aventura que agora se inicia, rumo a um futuro comum que se quer mais sustentável.

Greve às aulas... pelo CLIMA!

Greta Tintin Eleonora Ernman Thunberg, ativista do clima conhecida por protestar às portas do parlamento sueco, como forma de divulgar as questões associadas às alterações climáticas e que ganhou projeção mundial após a sua intervenção na COP24 em Katowice (Polónia), decidiu fazer greve às aulas em nome do clima.

Inspirados em Greta Thunberg, os estudantes portugueses vão juntar-se ao que se espera serem milhares de estudantes de todo o mundo, e faltar às aulas no próximo dia 15 de março, como forma de protesto pela inação, assim como exigir aos respetivos governos que a resolução da crise climática seja claramente incorporada na agenda política e se torne uma prioridade.

Por agora, e segundo informação veiculada pela comunicação social portuguesa, Lisboa, Porto e Coimbra são as cidades onde, em Portugal, há já manifestações marcadas, respondendo ao apelo do movimento estudantil internacional #SchoolStrike4Climate e #FridaysForFuture.




Introduza o seu e-mail


Abril 2019
S T Q Q S S D
« Mar    
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  
Categorias