Hoje, último dia oficial dos três dias de luto pelas vítimas do incêndio que deflagrou no Município de Pedrógão Grande, decretado pelo Governo como forma de pesar de toda a população nacional pela perda dessas vidas (ver Decreto n.º 18-A/2017 de 19 de junho) e que nos tem feito manter a bandeira de Portugal e a Bandeira Verde (do Programa Eco-Escolas) a meia haste, damos a conhecer o comunicado da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) sobre Floresta, Incêndios e Educação, que subscrevemos.

Floresta, Incêndios e Educação e o luto nacional, com as bandeiras a meia haste...

Portugal precisa de mais Oxigénio!

É com profundo pesar que a Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) acompanha o flagelo dos incêndios que ocorrem no Centro do País. A ABAE apresenta as condolências aos familiares e amigos das vítimas, e sublinha o seu apoio aos bombeiros e a todas as pessoas que ajudam a combater os incêndios e a apoiar as suas vítimas.

A ABAE recomenda ainda a todas as entidades galardoadas no âmbito dos seus Programas (praias, marinas, embarcações, escolas, municípios, freguesias, estabelecimentos de alojamento e restauração) que coloquem as bandeiras a meia haste durante os três dias de luto nacional.

Além deste gesto simbólico de solidariedade às vítimas, a ABAE compromete-se ainda a desenvolver juntamente com entidades públicas e privadas que se queiram associar aos programas e projetos em questão, um conjunto de novas iniciativas de âmbito nacional sobre as florestas, visando amplificar o trabalho de educação ambiental para a sustentabilidade que já é realizado, pois consideramos que o melhor caminho é a prevenção!
E a prevenção passa pela Educação de todos: crianças, jovens, cidadãos adultos, autarcas e decisores.

No Programa Eco-Escolas, o tema “Floresta” passará a ser um tema obrigatório a tratar pelas Escolas que participam no Programa já no próximo ano letivo, além dos atuais Água, Resíduos e Energia (nota: uma especial palavra de conforto às 2 Eco-Escolas de Pedrogão Grande).
No Programa Bandeira Azul, que conta com várias praias fluviais que também foram afetadas, serão promovidas mais atividades de educação ambiental sobre as florestas junto dos utentes das praias, marinas e portos de recreio. E ainda, no Programa ECOXXI e projeto Eco-Freguesias XXI, dirigido às autarquias, serão reforçados os indicadores de avaliação na área “Florestas”.

A gestão do território é essencial para prevenir que catástrofes como esta voltem a acontecer. Com as alterações climáticas, Portugal tem de estar melhor preparado, através da educação e do trabalho a nível local, municipal e nacional. É urgente por em prática a limpeza atempada e adequada das áreas florestais, o controlo das espécies invasoras, a replantação das árvores autóctones, o cumprimento efetivo da legislação, assim como a construção e manutenção de aceiros e cortinas de segurança, entre outros aspetos, e com ênfase na educação ambiental de toda a sociedade. É tempo de mudar de atitude perante a nossa floresta.

Relembramos por último as recomendações do ICNF para que durante o “Período Crítico” (a ser alargado?) nos espaços florestais e agrícolas não é permitido:

  • fumar, fazer lume ou fogueiras;
  • fazer queimas ou queimadas;
  • lançar foguetes e balões de mecha acesa;
  • fumigar ou desinfestar apiários, salvo se os fumigadores estiverem equipados com dispositivos de retenção de fagulhas;
  • a circulação de tratores, máquinas e veículos de transporte pesados que não possuam extintor, sistema de retenção de fagulhas ou faíscas e tapa chamas nos tubos de escape ou chaminés.

Vamos todos ajudar a cuidar das Florestas!
Precisamos de mais Oxigénio!

José Archer
Presidente da Associação Bandeira Azul da Europa

Em pleno Dia Mundial do Ambiente, evento que se celebra anualmente a 5 de junho e que tem como objetivo alertar as populações e os governos para a necessidade de garantir a proteção e a preservação do ambiente, divulgamos o nosso Eco-Código que é cumulativamente o Código Climático, dando assim cumprimento a uma das atividades previstas no projeto ClimACT (#InterregSudoeClimACT).

Poster Eco-Código e Código Climático da ESTeSL (2017)
Estamos a pouco dias de começar uma longa época de avaliações (último momento de avaliação e exames) e a semanas de terminar mais um ano de intenso trabalho associado à implementação do Programa Eco-Escolas e do projeto Interreg Sudoe ClimACT na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL). Após a adoção da metodologia de trabalho subjacente à sua efetiva implementação, que culmina com a elaboração e divulgação do Eco-Código | Código Climático (Conselho Eco-Escola/Comissão Baixo Carbono, Auditoria Ambiental, Plano de Ação, Monitorização, Trabalho Curricular, Informação e Envolvimento da Comunidade Local e, por último, Eco-Código/Código Climático), apresentamos-vos aquele que é o Poster Eco-Código e Código Climático concebido este ano e cujo conteúdo vai de encontro àquilo que havia sido definido no Plano de Ação.

Feliz Dia Mundial do Ambiente!…

Foi na passada sexta-feira, dia 2 de junho, que uma comitiva da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) participou na Missão Litter Less Ericeira, tal como já havíamos anunciado (ver Estudantes da ESTeSL participam na limpeza de praias da Ericeira).

ESTeSL na Missão Litter Less (Ericeira, Portugal)

O convite para a ESTeSL participar nesta missão decorreu do reconhecimento da qualidade do trabalho desenvolvido pelos estudantes do curso de licenciatura em Saúde Ambiental, Beatriz Luz, Hugo Silva e Sofia Coelho, no âmbito da Litter Less Campaign, e que foi entretanto escolhido para representar Portugal no concurso internacional (ver ESTeSL representa Portugal no concurso internacional Litter Less Campaign). Em substituição daqueles estudantes que, por motivos académicos, não puderam marcar presença na Ericeira, participaram as estudantes Cristiana Costa, Jéssica Moreira e Laura Fernandes que foram acompanhadas pelo professor Vítor Manteigas, coordenador Eco-Escolas e coordenador Baixo Carbono.

A missão teve início logo pelas 9 horas, com o ponto de encontro marcado para o Parque da Campismo da Ericeira (onde haviam pernoitado alguns dos participantes). A partir daí seguiu-se a pé até à praia dos Pescadores onde teve lugar uma sessão sobre lixo marinho e microplásticos com a Dra. Paula Sobral da Associação Portuguesa de Lixo Marinho, seguida da limpeza da praia e da visita ao Centro de Interpretação da Reserva Mundial de Surf. Depois do almoço, e já na praia do Algodio, teve lugar uma sessão (entrevista) com elementos do Ericeira Surf Club que culminou com uma aula de iniciação ao surf na praia do Matadouro.

O fim da missão aconteceu já perto das 17 horas, com o regresso a Lisboa e à ESTeSL, em carpool, na companhia do Rúben de Matos, vencedor do Me and YRE (YRE Short Video Competition).

Irá ter lugar amanhã, dia 2 de junho de 2017, uma ação organizada pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) e pelo município de Mafra que tem como objetivo formar, informar e agir no âmbito dos resíduos marinhos. Nesta ação, que terá a participação de mais de seis dezenas de pessoas, a maioria jovens provenientes de escolas integradas nas redes Eco-Escolas e Jovens Repórteres para o Ambiente, irão participar três estudantes e um docente da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL).

Ericeira, Reserva Mundial de Surf (© Ericeira Surf Clube)

Para além da limpeza das praias dos Pescadores e Algodio, os estudantes terão ainda a oportunidade de participar numa sessão dinamizada pela Associação Portuguesa de Lixo Marinho (APLM), assim como ficar a saber as razões que levaram à classificação da Ericeira como reserva mundial de surf, bem como o impacto e responsabilidade decorrentes desta distinção.

Os estudantes que irão participar nesta ação terão como missão a posterior realização de peças jornalísticas sobre os temas do dia, integrando-se esta atividade no projeto Litter Less Campaign desenvolvido por um conjunto de escolas que trabalham os Jovens Repórteres para o Ambiente e onde a ESTeSL se insere.

Estarão presentes, entre outros, os premiados no concurso nacional de reportagens Litter Less Campaign (ver ESTeSL representa Portugal no concurso internacional Litter Less Campaign).

A realização da atividade conta com o apoio do Ericeira Camping e da Casa Amarela – empreendimento recentemente galardoado com a “Green Key”. Este galardão, semelhante à Bandeira Verde Eco-Escolas, é um galardão internacional que promove o Turismo Sustentável em Portugal através do reconhecimento de estabelecimentos turísticos, alojamento local, parques de campismo e restaurantes que implementam boas práticas ambientais e sociais, que valorizam a gestão ambiental nos seus estabelecimentos e que promovem a Educação Ambiental para a Sustentabilidade.

Pontualmente, durante o dia de amanhã, iremos transmitir alguns momentos em video streaming na nossa página do Facebook.

Hoje foi um dia particularmente intenso!
Durante toda a tarde, a empresa Renascimento, operador licenciado para os Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE) que trabalha com a entidade gestora daquele fluxo de resíduos, a ERP Portugal, esteve connosco a garantir a recolha e encaminhamento adequado das toneladas (admitimos serem toneladas!) que fomos acumulando ao longo de todo o ano.

Geração Depositrão (recolha de REEE por operador licenciado)

Para além da participação na atividade de recolha da Geração Depositrão, garantimos também a participação numa das atividades criativas propostas (reportagem fotográfica sobre o Depositrão e/ou reciclagem de REEE e pilhas na comunidade) destinada ao ensino secundário/profissional e superior.

A fotorreportagem, realizada no âmbito da unidade curricular de Gestão de Resíduos do curso de licenciatura em Saúde Ambiental da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) foi enquadrada pela abordagem teórica dos fluxos específicos de resíduos, nomeadamente os resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos (REEE) e o segmento de pilhas e acumuladores portáteis.
A recolha de imagens pretende retratar aquela que é a gestão assumida pela ESTeSL para o tipo de resíduos pelos quais a ERP Portugal é uma das entidades gestoras.
Quando os equipamentos elétricos e eletrónicos usados na escola são considerados resíduos (em particular os equipamentos informáticos), procede-se à sua desmontagem pelos funcionários da empresa prestadora de serviços responsável pela instalação e manutenção do parque informático, para que alguns componentes ainda em funcionamento possam vir a ser reutilizados (fotografia 1).
Posteriormente, todos os REEE são acondicionados em local específico até à posterior recolha por operador licenciado e encaminhamento para tratamento adequado, nomeadamente a reciclagem (fotografia 2).
Para além dos resíduos produzidos diretamente pela ESTeSL, toda a comunidade académica (funcionários docentes, não docentes e estudantes), são desafiados a fazer uso do Depositrão para a deposição dos seus próprios REEE (fotografia 3).
Posteriormente, e após formalização do processo junto da entidade gestora (ERP Portugal), os REEE são recolhidos pela empresa Renascimento, operador licenciado para este tipo de resíduos, e encaminhados para reciclagem (fotografia 4).
Atendendo à parceria estabelecida com a Operação Nariz Vermelho, considerou-se relevante enfatizar aquela que é a sua missão, simbolizada pelo vermelho do Depositrão e pelo “Nariz Vermelho” que marca presença nas restantes fotografias da fotorreportagem.

Após sete anos de implementação do Programa Eco-Escolas na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL), teve lugar ontem, dia 25 de maio de 2017, a Auditoria de  Qualidade realizada por uma comissão de avaliação externa composta por elementos da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), Dr.as Margarida Gomes e Renata Gonçalves, e da Agência Portuguesa do Ambiente (APA), Dr. Jorge Neves, acompanhados por Gianmarco Conte, estagiário na ABAE que se encontra em Portugal no âmbito de um programa de mobilidade internacional.

ESTeSL foi sujeita a Auditoria de Qualidade no âmbito do Programa Eco-Escolas

Esta Auditoria de Qualidade, comum na grande parte dos países onde decorre o Programa Eco-Escolas, segue uma metodologia onde são tidos em consideração um conjunto de indicadores de qualidade verificados in loco.

Depois de uma primeira reunião da comissão de avaliação externa com a professora Graça Andrade, vice-presidente da ESTeSL, e com a Dra. Ana Sabino, responsável pelo Serviço de Instalações, Infra-estruturas e Equipamentos, teve lugar a reunião com os coordenadores do Programa Eco-Escolas na ESTeSL, professores Ana Monteiro e Vítor Manteigas. Para além das reuniões, houve ainda lugar a uma visita à ESTeSL, no decurso da qual os “auditores” abordaram diferentes membros da comunidade académica para atestar do conhecimento e participação no Programa, com enfoque nos estudantes.

Importa ainda realçar que a ESTeSL foi a primeira instituição de ensino superior em Portugal a ser sujeita a este procedimento, sendo que o resultado só será conhecido posteriormente.

Realiza-se no próximo dia 29 de Maio de 2017, no Auditório do Instituto de Soldadura e qualidade (ISQ), no Taguspark, em Oeiras, o Seminário “Descarbonização da Economia – Novos Desafios para os Edifícios“.

Descarbonização da Economia - Novos Desafios para os Edifícios

Este evento tem como objetivo apresentar dois projetos de investigação europeus, o MOEEBIUS e o ClimACT, e ao mesmo tempo divulgar os mais recentes desenvolvimentos no enquadramento, implementação e financiamento da eficiência energética em edifícios.

PROJETO CLIMACT | ClimACT – “Acting for the transition to a low carbon economy in schools – development of support tools” visa promover a transição para uma economia de baixo carbono no sector da educação, criando uma rede temática na região SUDOE e utilizando uma metodologia de Living Lab para apoiar o desenvolvimento de ferramentas inovadoras e modelos de negócios específicos para escolas. As soluções desenvolvidas serão validadas em 35 escolas demonstradoras localizadas em Portugal, Espanha, França e Gibraltar.

PROJETO MOEEBIUS | MOEEBIUS – “Modelling Optimization of Energy Efficiency in Buildings for Urban Sustainability” introduz uma metodologia holística de otimização da eficiência energética, com o objetivo de melhorar as estratégias atuais de modelação e disponibilizar ferramentas de simulação inovadoras capazes de descrever a operação dos edifícios em contexto real. As soluções desenvolvidas serão validadas em diversos tipos de edifícios localizados em Portugal, no Reino Unido e na Sérvia.

A inscrição é gratuita mas obrigatória.




Introduza o seu e-mail


Junho 2017
S T Q Q S S D
« Mai    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  
Categorias
Parceiros