Greve às aulas... pelo CLIMA!

Greta Tintin Eleonora Ernman Thunberg, ativista do clima conhecida por protestar às portas do parlamento sueco, como forma de divulgar as questões associadas às alterações climáticas e que ganhou projeção mundial após a sua intervenção na COP24 em Katowice (Polónia), decidiu fazer greve às aulas em nome do clima.

Inspirados em Greta Thunberg, os estudantes portugueses vão juntar-se ao que se espera serem milhares de estudantes de todo o mundo, e faltar às aulas no próximo dia 15 de março, como forma de protesto pela inação, assim como exigir aos respetivos governos que a resolução da crise climática seja claramente incorporada na agenda política e se torne uma prioridade.

Por agora, e segundo informação veiculada pela comunicação social portuguesa, Lisboa, Porto e Coimbra são as cidades onde, em Portugal, há já manifestações marcadas, respondendo ao apelo do movimento estudantil internacional #SchoolStrike4Climate e #FridaysForFuture.

Hoje, dia 25 de janeiro de 2019, e após um pedido formal à ERP Portugal, teve lugar na Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) mais uma recolha de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE) no âmbito das atividades de recolha da Geração Depositrão, garantindo-se assim o encaminhamento adequado de resíduos desta natureza, de diferentes categorias.

Recolha de REEE pela AmbiGroup

Em função do volume de resíduos acumulados, onde se incluem aqueles que a comunidade académica foi colocando no Depositrão da ESTeSL, ainda não se conseguiu garantir a recolha na sua totalidade, havendo ainda muito para encaminhar. Ficaremos à espera da próxima visita da empresa do grupo Ambigroup, que esperemos consiga concluir a recolha daquilo que ainda falta… e que é muito!

Obrigado a todos aqueles que colaboraram para esta campanha, relembrando que o nosso Depositrão continua à espera dos vossos resíduos.

Irá realizar-se nos próximos dias 18, 19 e 20 de janeiro de 2019, no Centro de Congressos do Arade em Lagoa (Algarve), o Seminário Nacional Eco-Escolas 2019 e a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) irá, mais uma vez, fazer-se representar, garantindo a sua deslocação em carpool, contribuindo também dessa forma para a redução da sua pegada carbónica e continuando a trilhar o caminho rumo a uma economia de baixo carbono. Tal como em anos anteriores, este ano a lotação já está esgotada e os lugares ocupados por colegas professores de escolas associadas ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, nomeadamente da Escola EB23 Mário de Sá Carneiro, em Camarate.

Carpool ESTeSL vai até Lagoa com Eco-Escolas ClimACT

Este evento, que se destina a professores coordenadores do Programa Eco-Escolas (e outros professores), técnicos de municípios envolvidos no Programa Eco-Escolas, assim como outros profissionais ligados à educação ambiental/para a sustentabilidade, tem como objetivos: (i) reunir os professores coordenadores do Programa Eco-Escolas e os técnicos dos municípios envolvidos na educação ambiental, por forma a incentivar a comunicação, possibilitar uma partilha de objetivos comuns e a troca de experiências; (ii) divulgar novos projetos e iniciativas relativas ao Eco-Escolas 2018/2019; (iii) fornecer informação específica relacionada com o tema do ano:  floresta e mar; (iv) fornecer informação científica e pedagógica relativamente a outros temas de trabalho: água, resíduos, energia, alterações climáticas, biodiversidade, geodiversidade, agricultura biológica, alimentação saudável e sustentável etc; (v) debater estratégias referenciais e metodologias em Educação para o Desenvolvimento Sustentável; (vi) proporcionar a participação em ateliers de caráter prático conducentes a um enriquecimento de estratégias em educação ambiental; e (vii) debater a metodologia e as estratégias do Programa Eco-Escolas.

Nos dias 26 e 27 terão lugar os painéis temáticos, assim como os fóruns de discussão interpares (escolas com escolas e autarquias com autarquias) e ateliers práticos do tipo workshops. Este ano voltaremos a participar no fórum especificamente dedicado às instituições de ensino superior  e que contará com a presença do professor Vítor Manteigas, coordenador Eco-Escolas e coordenador Baixo Carbono na ESTeSL. Estão ainda previstos alguns momentos particularmente interessantes, como é o caso dos painéis dedicados aos temas do ano (mar e florestas), às alterações climáticas e aos desafios e oportunidades colocados às Eco-Escolas.

Durante o evento serão ainda apresentados a generalidade dos projetos e desafios desenvolvidos pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) para a rede Eco-Escolas, e onde a ESTeSL tem vindo a participar de forma relevante. No último dia do  Seminário Nacional Eco-Escolas 2019, dia 20 de janeiro, está agendada a visita a diferentes espaços de interesse no município da Lagoa.

Aconteceu… na passada terça-feira, dia 18 de dezembro, aquela que foi a primeira reunião de trabalho do Conselho Eco-Escolas e Comissão Baixo Carbono da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSl-IPL), precedida pelo hastear da Bandeira Verde, o galardão Eco-Escolas, relativo ao trabalho desenvolvido no decurso do ano letivo 2017/2018.

Hastear da Bandeira Verde 2017-2018 e Reunião do Concelho Eco-Escolas

Depois de a 4 de outubro de 2018 uma comitiva da ESTeSL ter participado no Dia das Bandeiras Verdes (ver Fomos receber mais uma Bandeira Verde…), chegou o momento de garantir o hastear do galardão, cuja responsabilidade foi atribuída à conselheira Ana Sabino, dos Serviços de Logística, Ambiente e Segurança da Divisão de Gestão de Infra-Estruturas, Instalações e Equipamentos da ESTeSL, em representação dos funcionários não-docentes e que desde 2010/2011 tem vindo a trabalhar em prol da sustentabilidade na Escola.

Posteriormente, teve então lugar a reunião plenária do Conselho Eco-Escolas e Comissão Baixo Carbono que, para além de estudantes, docentes e não-docentes da ESTeSL, contou ainda com a participação de elementos da comunidade, dos quais destacamos as conselheiras Maria Gusmão, representante da Câmara Municipal de Lisboa, Filomena de Sousa, representante da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, e Carla Marques, representante dos Serviços de Ação Social do IPL. Cumulativamente, foram ainda convidados a participar na reunião alguns estudantes que estarão envolvidos diretamente em projetos/atividades a integrar no Plano de Ação (projeto Novo GreenESTeSL, projetos de investigação e outros), assim como elementos da equipa técnica do projeto Interreg Sudoe ClimACT, nomeadamente Margarida Gomes da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) e Joana Lage do Instituto Superior Técnico (IST)

Na ordem de trabalhos da reunião foi dado destaque à constituição do Conselho e à metodologia subjacente à implementação do programa Eco-Escolas e do projeto Interreg Sudoe ClimACT. Os elementos da equipa técnica do ClimACT tiveram oportunidade de apresentar alguns resultados da auditoria ambiental e energética realizada à ESTeSL (enfatizando a necessidade da sua replicação no decurso deste ano), assim como algumas das ferramentas educacionais e desafios disponibilizadas às escolas participantes.

Associado ao último ponto da ordem de trabalhos (outros assuntos), os conselheiros foram informados de uma série de atividade e diligências já asseguradas, assim como de outras que decorrerão até ao fim do ano letivo 2018/2019, com enfoque para a necessidade de aplicação do questionário comportamental (parte integrante da auditoria ambiental), assim como a realização do evento final do ClimACT que terá lugar em início de maio, na ESTeSL, e que envolverá diretamente a comunidade académica da Escola.

Aproveitamos esta ocasião para agradecer a todos aqueles que têm feito deste nosso percurso um caso de sucesso reconhecido, e desejar-vos Boas Festas e que o ano de 2019 seja repleto de sucessos. Em breve voltaremos com mais novidades!…

Conselho Eco-Escola têm um papel relevante a desempenhar, devendo ser entendido como a força motriz do Programa Eco-Escolas em cada uma das escolas participantes, e deve assegurar a execução dos outros seis passos subjacentes à metodologia própria do Programa, nomeadamente: (i) Auditoria Ambiental; (ii) Plano de Ação; (iii) Monitorização; (iv) Trabalho Curricular; (v) Informação e Envolvimento da Comunidade Local; e (vi) Eco-Código.

As competências do Conselho Eco-Escola passam por: (i) implementar a auditoria ambiental; (ii) discutir o plano de acção; (iii) monitorizar e avaliar as atividades; (iv) e coordenar as formas de divulgação do Programa na escola e comunidade. Cunulativamente, desde que a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) passou a integrar o projeto Interreg Sudoe ClimACT, o Conselho Eco-Escola é, cumulativamente, a Comissão Baixo Carbono.

Comissão Baixo Carbono, tal como o Conselho Eco-Escola, é uma estrutura interna permanente, composta por estudantes (dos nove cursos de licenciatura), docentes, não docentes e outras entidades consideradas relevantes. Deve ser encarado como um fórum para ideias, discussão, propostas, planeamento, monitorização e avaliação e que tem como tarefas: (i) decidir as melhores estratégias para envolver a escola e implementar, monitorizar e avaliar as ações; (ii) definir responsabilidades; e (iii) monitorizar, avaliar e relatar a evolução das condições, comportamentos, conhecimento e competências adquiridas para a economia de baixo carbono na escola.

Hoje tornamos público a constituição do Conselho Eco-Escola e da Comissão Baixo Carbono da ESTeSL para o ano letivo em curso que é, mais uma vez, representativo da comunidade académica (de acordo com o regime de funcionamento) e que integra também elementos da Câmara Municipal de Lisboa, da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, do Jornal “Notícias do Parque”, da Junta de Freguesia do Parque das Nações, da Presidência do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) e dos Serviços de Ação Social do IPL. Esta informação estará também disponível no sítio institucional da nossa escola, na área dedicada à Política Ambiental (divulgada pela Circular Informativa n.º 27, de 3 de junho de 2011).

Agora, finalizada que está a constituição do Conselho Eco-Escola e da Comissão Baixo Carbono, importa dar continuidade aos trabalhos que, nesta primeira fase, e tal como tem ocorrido nos últimos dois anos (associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT), passa pela aplicação de um questionário comportamental à comunidade académica, sendo este um passo de especial relevância para a elaboração do Plano de Ação. É nesse sentido que contamos com a colaboração de toda a comunidade académica (estudantes, docentes e não docentes), no preenchimento do questionário cuja divulgação será garantida muito em breve.

Política Ambiental da ESTeSL

Conselho Eco-Escolas | Comissão Baixo Carbono

  • Alexandra Matos, ESTeSL (Estudante de Farmácia)
  • Ana Fernandes, ESTeSL (Estudante de Ciências Biomédicas Laboratoriais)
  • Ana Monteiro, ESTeSL (Docente)
  • Ana Sabino, ESTeSL (Não-docente)
  • Andreia Coelho, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • António Belo, IPL (Vice-Presidente do IPL)
  • Bela Vilares, ESTeSL (Não-docente)
  • Carla Marques, SAS/IPL (representante dos Serviços de Ação Social do IPL)
  • Cătălin Marinescu, ESTeSL (AEESTeSL)
  • Catarina Anastácio, ESTeSL (Estudante de Fisioterapia)
  • Daniel Parreira, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Daniela Pasat, ESTeSL (Estudante de Imagem Médica e Radioterapia)
  • Filomena de Sousa, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (Docente)
  • Graça Andrade, ESTeSL (Vice-Presidente da ESTeSL)
  • Inês César, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Inês Francisco, ESTeSL (Estudante de Ortóptica e Ciências da Visão)
  • Joana Belo, ESTeSL (Docente)
  • Maria Gusmão, Câmara Municipal de Lisboa (DGPF Monsanto e de Sensibilização Ambiental)
  • Mariami Gasviani, ESTeSL (Estudante de Fisiologia Clínica)
  • Mário Patrício, Junta de Freguesia do Parque das Nações (Presidente da Junta de Freguesia)
  • Mauro Batista, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Miguel Gomes, ESTeSL (Estudante de Farmácia)
  • Miguel Meneses, Jornal “Notícias do Parque” (Diretor)
  • Pedro Rebelo, ESTeSL (Docente)
  • Rita Pereira, ESTeSL (Estudante de Dietética e Nutrição)
  • Sérgio Figueiredo, ESTeSL (Docente)
  • Sílvia Pereira, ESTeSL (Estudante de Ortoprotesia)
  • Simão Quintans, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)
  • Vítor Manteigas, ESTeSL (Docente)
  • Vladimir Silva, ESTeSL (Estudante de Saúde Ambiental)

Teve lugar no passado dia 12 de novembro de 2018, no Auditório da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) uma sessão relativa ao Novo Verde Packaging Universities Award’18, promovido pela Novo Verde – Sociedade Gestora de Resíduos de Embalagens, e que contou com mais de cinquenta participantes, estudantes, docentes e não docentes da ESTeSL e representantes de alguns municípios do distrito de Lisboa.

Sessão Novo Verde Packaging Universities Award'18

O primeiro painel, que teve a moderação da vice-presidente da ESTeSL e conselheira Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono, professora Graça Andrade, contou com a presença de: (i)  Vítor Manteigas, coordenador do Programa Eco-Escolas e da Comissão Baixo Carbono na ESTeSL; (ii) Judite Leal, responsável de Comunicação e Sensibilização da Valorsul; (iii) Mafalda Mota, chefe da Divisão de Fluxos Específicos e Mercados de Resíduos da Agência Portuguesa do Ambiente; e (iv) Carla Pinto, Diretora de Serviços da Sustentabilidade Empresarial da Direção-Geral das Atividade Económicas.

Depois de uma breve interrupção, onde se criaram condições para novas parcerias entre as entidades  presentes, os trabalhos continuaram com Filipa Moita, responsável de Comunicação e Sensibilização da Novo Verde e da ERP Portugal e com Margarida Gomes, Coordenadora Técnico-Pedagógica da Associação Bandeira Azul da Europa/Programa Eco-Escolas.

Este foi um evento de particular relevância, onde a Economia Circular e o papel dos plásticos associados a este conceito deram o mote aos trabalhos. O evento terminou com uma sessão de perguntas e respostas e onde, naturalmente, a candidatura da ESTeSL ao concurso Novo Verde Packaging Universities Award’18 acabou por ser abordado.

Encontro Campus Sustentável 2018Irá ter lugar no dia 27 de novembro de 2018, na Universidade de Coimbra, um encontro de trabalho entre membros convidados de comunidades académicas de instituições de Ensino Superior (IES) portuguesas que tem em vista a criação de uma rede de cooperação para a sustentabilidade dos campi (Encontro Campus Sustentável 2018).

Este encontro realiza-se na sequência do primeiro Encontro Virtual Campus Sustentável – EVCS (ver Encontro Virtual Campus Sustentável) que teve lugar no dia 12 de junho de 2018, sendo que a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) foi um dos pontos focais de participação e onde a experiência da ESTeSL no âmbito do programa Eco-Escolas e do projeto Interreg Sudoe ClimACT foi evidenciada. O primeiro evento reuniu membros das comunidades de nove IES em torno do tema da gestão sustentável dos campi, nas suas múltiplas dimensões como, por exemplo, a eficiência no uso de recursos, a gestão de resíduos, a mobilidade, a formação, a investigação, a dinamização da comunidade, a interação com as comunidades envolventes e, naturalmente, a gestão da sustentabilidade. No final do EVCS os participantes decidiram unanimemente promover um encontro alargado na Universidade de Coimbra, que irá então ter lugar já na próxima semana e onde a ESTeSL se fará representar pelo professor Vítor Manteigas, coordenador Eco-Escolas e coordenador Baixo Carbono.




Introduza o seu e-mail


Fevereiro 2019
S T Q Q S S D
« Jan    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728  
Categorias