A Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) foi na passada sexta-feira, dia 26 de janeiro de 2018, distinguida com o Diploma de Qualidade da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), secção portuguesa da Foundation for Environmental Education (FEE). O diploma atribuído reconhece ser de “Elevada Qualidade” o trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pela ESTeSL, desde o ano 2010/2011 no âmbito do Programa Eco-Escolas e cuja atribuição decorreu da Auditoria de Qualidade a que a escola foi sujeita no mês de maio de 2017 (ver Auditoria de Qualidade realizada na ESTeSL, no âmbito do Programa Eco-Escolas) e o qual se deve ao excelente trabalho que tem vindo a ser desenvolvido por toda a comunidade académica em prol de uma educação ambiental para a sustentabilidade.

A Eco-Escola ESTeSL no Seminário Nacional Eco-Escolas (2018)

A entrega do Diploma de Qualidade teve lugar em Guimarães, no Seminário Nacional Eco-Escolas, onde a ESTeSL se fez representar pelo professor Vítor Manteigas, coordenador do Programa Eco-Escolas e coordenador Baixo Carbono do projeto Interreg Sudoe ClimACT. No decurso do evento, a ESTeSL foi ainda distinguida pela atividade que dinamizou no âmbito dos Global Action Days (ver A ESTeSL, os Global Action Days e a European Week for Waste Reduction).

Foi na madrugada de dia 26 que a ESTeSL rumou a Guimarães, tendo como companhia alguns professores da Escola EB23 Mário de Sá Carneiro (Camarate), uma Eco-Escola também ela integrada no projeto Interreg Sudoe ClimACT. A viagem, em carpool, permitiu uma redução substancial das emissões de carbono associadas, estimadas em cerca de 114 Kg CO2eq e que irão ser, de alguma forma, compensadas.

A participação da ESTeSL no Seminário Nacional Eco-Escolas, para além do que já foi referido, passou ainda pela dinamização (em conjunto com a ABAE) do Fórum Eco-Escolas destinado exclusivamente às escola integradas no ClimACT e onde se partilharam as experiências e vivências do último ano e alguns dos desafios que entretanto se avizinham.

Ali, em Guimarães, onde “nasceu Portugal”, foram estabelecidos contactos com várias instituições de diferentes níveis de ensino, que se espera venham a resultar, num futuro próximo, em projetos e iniciativas conjuntas com benefícios comuns.

Irá realizar-se nos próximos dias 26, 27 e 28 de janeiro de 2018, no Centro Cultural Vila Flor em Guimarães, o Seminário Nacional Eco-Escolas 2018 e a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL) não irá faltar, garantindo a sua deslocação em carpool, contribuindo também dessa forma para a redução da sua pegada carbónica e continuando a trilhar o caminho rumo a uma economia de baixo carbono. Este ano a lotação já está esgotada e os lugares ocupados por colegas professores de Eco-Escolas e de escolas associadas ao projeto Interreg Sudoe ClimACT.
Carpool ESTeSL vai a Guimarães com Eco-Escolas ClimACT

Este evento, que se destina a professores coordenadores do Programa Eco-Escolas (e outros professores), técnicos de municípios envolvidos no Programa Eco-Escolas, assim como outros profissionais ligados à educação ambiental/para a sustentabilidade, tem como objetivos: (i) reunir os professores coordenadores do Programa Eco-Escolas e os técnicos dos municípios envolvidos na educação ambiental, por forma a incentivar a comunicação, possibilitar uma partilha de objetivos comuns e a troca de experiências; (ii) divulgar novos projetos e iniciativas relativas ao Eco-Escolas 2017/2018; (iii) fornecer informação específica relacionada com o tema do ano:  floresta; (iv) fornecer informação científica e pedagógica relativamente a outros temas de trabalho: água, resíduos, energia, alterações climáticas, biodiversidade, geodiversidade, agricultura biológica, alimentação saudável e sustentável etc; (v) debater estratégias referenciais e metodologias em EDS; (vi) proporcionar a participação em ateliers de caráter prático conducentes a um enriquecimento de estratégias em educação ambiental; (vii) debater a metodologia e as estratégias do Programa Eco-Escolas; e (viii) favorecer a troca de experiências através da participação em Fóruns de Debate.

Nos dias 26 e 27 terão lugar os painéis temáticos, assim como os fóruns de discussão interpares (escolas com escolas e autarquias com autarquias) e ateliers práticos do tipo workshops. Este ano haverá um fórum especificamente dedicado às escolas-piloto do projeto Interreg Sudoe ClimACT e que contará com a presença do professor Vítor Manteigas, coordenador Eco-Escolas e coordenador Baixo Carbono na ESTeSL. Estão ainda previstos alguns momentos particularmente interessantes, como é o caso do painel “Construir uma sociedade baixo carbono” que contará com a participação de Marta Almeida, coordenadora do projeto Interreg Sudoe ClimACT, assim como o painel “Estratégias e Referenciais em Educação Ambiental para a Sustentabilidade” que será moderado por Luísa Schmidt e terá como palestrantes, representantes da Agência Portuguesa do Ambiente, da Secretaria de Estado da Educação e da Direção Geral de Educação.

Durante o evento serão ainda apresentados a generalidade dos projetos e desafios desenvolvidos pela Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE) para a rede Eco-Escolas, e onde a ESTeSL tem vindo a participar de forma relevante. No último dia do  Seminário Nacional Eco-Escolas 2018, dia 28 de janeiro, está agendada a visita a diferentes espaços de interesse na cidade de Guimarães.

Associado ao Programa Eco-Escolas e ao projeto Interreg Sudoe ClimACT, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) vivenciou alguns dias particularmente intensos no decurso da semana passada.

A Eco-Escola ESTeSL, entre Madrid e Lisboa…

Foi no dia 9 de janeiro que o professor Vítor Manteigas (Coordenador Eco-Escolas e Coordenador Baixo Carbono) rumou até Madrid, em carpool, com colaboradores do Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ), membros da equipa técnica do projeto ClimACT, para participar no 4th Meeting of the Steering Commitee daquele projeto.

O encontro, que teve lugar no Centro de Investigaciones Energéticas, Medioambientales y Tecnológicas (CIEMAT), nos dias 10 e 11 de janeiro, contou com a participação de todas as entidades europeias que integram o consórcio, nomeadamente: o Instituto Superior Técnico, o ISQ, a Edigreen, a Associação Bandeira Azul da Europa, o CIEMAT, a Universidad de Sevilla, a Université de la Rochelle, a Ville de la Rochelle e a University of Gibraltar. Participaram ainda, tal como a ESTeSL, algumas escolas-piloto de Espanha, França e Gibraltar.

Já em Portugal, no dia 12 de janeiro, as atividades começaram bem cedo com a preparação, em colaboração com os engenheiros Filipe Silva e Ricardo Leandro do ISQ, daquela que foi a reunião permanente do Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono, que teve lugar ao início da tarde. A reunião, sendo permanente, contou com a participação exclusiva de representantes da comunidade académica, dentre os quais destacamos os estudantes de Farmácia, Fisioterapia, Imagem Médica e Radioterapia e Saúde Ambiental.

Logo após a reunião, e integrado na celebração dos 37 anos da ESTeSL, foi hasteada a Bandeira Verde, galardão Eco-Escolas atribuído como reconhecimento do trabalho de mérito desenvolvido pela ESTeSL no ano letivo 2016/2017 em prol de uma educação ambiental para a sustentabilidade. Este momento simbólico, mas solene, ficou a cargo dos estudantes Luísa Rios e Pedro Martins, membros do Conselho Eco-Escolas/Comissão Baixo Carbono.

Por esta ocasião, e com a presença de muitos membros da comunidade académica (estudantes, docentes e não docentes), foi reconhecido o apoio que tem vindo a ser dado pela Presidência da ESTeSL, assim como a relevância de todos para o sucesso das várias iniciativas/atividades que já se concretizaram e daquelas que se avizinham.

Foi no passado dia 10 de novembro que a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) promoveu a atividade “Hábitos Tabágicos: saúde e ambiente requerem uma ação urgente!”, associada ao Global Action Days (GAD), que contou com a parceria da Associação de Estudantes da ESTeSL, da Junta de Freguesia do Parque das Nações, da Associação Bandeira Azul da Europa (ABAE), do Portugal Sem Beatas e dos Green Smokers Alliance e que, para todos os efeitos, damos por termina hoje, já integrada na European Week for Waste Reduction (que decorre de 18 a 26 de novembro) com a avaliação final da ação.

A ESTeSL, os Global Action Days e a European Week for Waste Reduction

Na atividade Global Action Days da ESTeSL participaram cerca de 165 membros da comunidade académica, nomeadamente 2 docentes de Saúde Ambiental (coordenadores Eco-Escolas) e 2 de Cardiopneumologia, assim como 161 estudantes de Ciências Biomédicas Laboratoriais, Fisiologia Clínica, Fisioterapia, Imagem Médica e Radioterapia e de Saúde Ambiental, e contou ainda com a presença de Mário Patrício, Presidente da Junta de Freguesia do Parque das Nações, de um fiscal municipal da área da gestão urbana, assim como do fotógrafo da junta de freguesia.

Tal como havia sido inicialmente previsto, a atividade decorreu na Av. D. João II e na Alameda dos Oceanos, com início na Praça da Saúde e fim junto ao Pavilhão de Portugal. Os estudantes e docentes foram divididos em dois grupos que asseguraram a recolha de resíduos e a avaliação do monóxido exalado aos fumadores num percurso de aproximadamente 1000 metros.

Os estudantes de Fisiologia Clínica, acompanhados pelas docentes Anália Clérigo e Joana Belo, abordaram e mediram o monóxido de carbono a cerca de 27 fumadores (dos quais 5 de nacionalidade não portuguesa). A todos os fumadores foi feita uma breve abordagem sobre as vantagens em não fumar e referida a importância de procurar ajuda para a cessação tabágica.

No percurso realizado, foram vários os transeuntes que felicitaram a ESTeSL pela iniciativa, havendo inclusive alguns, maioritariamente não portugueses, que fizeram questão de participar, tendo acompanhado a atividade durante parte do percurso, recolhendo, também eles, alguns resíduos.

Os resíduos recolhidos, cerca de 15 quilogramas (aproximadamente 30000 unidades), serão entregues à associação Portugal Sem Beatas e aos Green Smokers Alliance, para que sejam objeto de reciclagem.

Esta ação, que teve também o propósito de contribuir para a integração dos novos estudantes, foi divulgada na plataforma EXARP (movimento que pretende valorizar as práticas positivas de integração de estudantes no ensino superior e afirmar as suas instituições como farol do conhecimento na sociedade e nos locais onde se inserem) sob a designação Global Action Days 2017  e mereceu destaque na comunicação social, tendo sido publicadas notícias na News Pharma e no Jornal Económico, assim como a divulgação na página da Associação Bandeira Azul da Europa.

Finda que está a atividade e integrando-a na European Week for Waste Reduction, deixamos aqui um agradecimento nominal a todos aqueles que participaram ativamente.

Muito obrigado…

Adriana Almeida, Adriana Porto, Afonso Correia, Alexandre Mergulhão, Ana Catarina Ferreira, Ana Catarina Tendeiro, Ana Cláudia Salsinha, Ana Isabel Jorge, Ana Margarida Alves, Ana , Margarida Correia, Ana Margarida Fraga, Ana Medeiros, Ana Monteiro, Ana Raquel Rita, Ana Roque, Ana Sena, Ana Sofia Padinha, Anália Clérigo, Andreia Cristovão, Andreia Machado, Bárbara Almeida, Beatriz Bernardo, Beatriz Bom, Beatriz Cordeiro da Silva, Beatriz Leão, Beatriz Luz, Beatriz Marques, Beatriz Rodrigues, Beatriz Teixeira, Bernardo Silva, Bruna Gouveia, Carina Nunes, Carina Silva, Carolina Fernandes, Carolina Fernandes, Carolina Morais, Carolina Rodrigues, Catarina Alemão, Catarina Anastácio, Catarina Gomes, Catarina Henriques, Catarina Horta, Catarina Lopes, Catarina Nunes, Catarina Soares, Catarina Teixeira, Cátia Feliz, Cláudia Rodrigues, Cristiana Costa, Cristina Freitas, Dalila Gonçalves, Daniel Costa, Daniel Parreira, Daniela Godinho, Daniela Lourenço, Daniela Mestre, David Chaves, Débora Cruz, Diogo Alexandre, Diogo Araújo, Diogo Lázaro, Eduardo Ermida, Elisabete Silvestre Santos, Fábio Costa, Felícia Silva, Francisco Mascarenhas, Gonçalo Ferreira, Gonçalo Henriques, Gonçalo Jordão, Gonçalo Ramos, Gonçalo Terenas, Gustavo Marques, Hugo Silva, Inês Carapeta, Inês César, Inês Fernandes, Inês Nunes, Inês Pinheiro, Inês Silva, Inês Soares, Irene Morais, Isabel Teixeira, Jéssica Cardoso, Jéssica Carina Moreira, Jéssica Sodré, Joana Azevedo, Joana Belo, Joana Brito, Joana Castanheira, Joana Gonçalves, Joana Leão Selorinda, Joana Morais, Joana Sales, Joana Teodoro, João Branco, João Carreiras, João Gomes, João Guilherme Silva, João Pinto, José Cardoso, Jucátia Mota, Leonor Amaro, Liliana Natividade, Luís Araújo, Luís Sobral, Madalena Barata, Manuel Gonçalves, Márcia Pimenta, Margarida Duarte, Margarida Gaisita, Margarida Lopes, Margarida Rafael, Margarida Silva, Margarida Vasques, Maria Correia, Maria Flor Silva, Maria Magalhães, Maria Margarida Sousa, Mariami Gasviani, Mariana Ferreira, Mariana Matos, Mariana Pereira, Mariana Rosa, Mariana Simão, Marlene Guerreiro, Matilde Sardinheiro, Maura Couteiro, Mauro Batista, Miguel Carmo, Mónica Duarte, Mónica Figueira, Nuno Alexandre Pires, Nuno Carvalho, Patrícia Beco, Patrícia Duarte, Patrícia Fernandes, Patrícia Monteiro, Paulo Dias, Pedro Carvalho, Pedro Figueiredo, Pedro Francisco, Pedro Pena, Pedro Sousa, Rafael Antunes, Raquel Bacalhau, Ricardo Lopes, Ricardo Pé-Leve, Rita Cordeiro, Rita Evangelho, Rita Ramos, Rita Santos, Samuel Neves, Sara Santos, Sara Viegas, Sofia Pombas Caetano, Sofia Santos, Suazilene Sacramento, Susana Camala, Teresa Lourenço, Tiago Lourenço, Vanessa Major, Vítor Manteigas, Vitória Francisca, Vladimir Silva e Whitney Aprel.

Foi nos passados dias 10 e 11 de novembro, que teve lugar em Mafra a edição deste ano do Seminário Nacional Jovens Repórteres para o Ambiente e onde, naturalmente, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) marcou presença.

A saída de Lisboa teve lugar ao fim da manhã, depois de garantida a atividade do Global Action Days, com a partilha de viatura entre os docentes e estudantes participantes (professores Ana Monteiro e Vítor Manteigas e estudantes Beatriz Luz, Filipe Vinhais e Hugo Silva).

Esta participação, que aconteceu já pela quinta vez consecutiva, surgiu na sequência do trabalho desenvolvido no Programa Jovens Repórteres para o Ambiente | Young Reporters for the Environment, e que veio a culminar com a atribuição do primeiro lugar na modalidade de vídeo campanha e de uma menção honrosa na categoria de fotografia, no concurso Litter Less Campaign (ver “Beatas no chão… NÃO!” e a participação da ESTeSL na Litter Less Campaign e ESTeSL representa Portugal no concurso internacional Litter Less Campaign), trabalhos dos estudantes Beatriz Luz, Hugo Silva e Sofia Coelho. Garantiu-se ainda a atribuição de uma menção honrosa na modalidade de foto-reportagem no concurso nacional Jovens Repórteres para o Ambiente, com o trabalho “Dejetos na via pública: um problema de saúde pública“, das estudantes Jéssica Moreira, Laura Fernandes e Suazilene Sacramento.

A ESTeSL no Seminário Nacional Jovens Repórteres para o Ambiente 2017

Na edição deste ano do Seminário Nacional Jovens Repórteres para o Ambiente, os estudantes e professores participantes integraram grupos de trabalho distintos que culminaram na preparação de artigos de índole jornalístico, de foto-reportagens e de vídeo-reportagens, associados às saídas de campo que tiveram lugar na tarde de sexta-feira. As saídas de campo em que a comitiva da ESTeSL participou, realizadas em simultâneo, foram: (i) Vale do Lizandro; (ii) Tratolixo; (iii) Reserva Mundial de Surf; e (iv) Mosteiro de Mafra e Jardim do Cerco. Decorreu ainda uma visita ao Centro de Recuperação do Lobo Ibérico mas na qual não houve a participação de nenhum elemento da escola.

Este foi um fim-de-semana intenso, de muito trabalho, com os estudantes da ESTeSL a terem um papel relevante nos grupos de trabalho em que participaram, mas também com muita diversão, muitas novas amizades e excelentes ideias para os desafios que se aproximam, tendo como mote a Saúde e o Ambiente e que em breve anunciaremos. Este ano haverão Missões Jovens Repórteres muito interessantes, como sempre!

Para finalizar, deixamos uma nota de destaque à organização (parabéns a toda a equipa da Associação Bandeira Azul da Europa) e um cumprimento especial à comitiva da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra (ESTeSC) com a qual temos vindo a criar sinergias (e boas energias) para a concretização de alguns trabalhos conjuntos.

Conselho Eco-Escola têm um papel relevante a desempenhar, devendo ser entendido como a força motriz do Programa Eco-Escolas em cada uma das escolas participantes, e deve assegurar a execução dos outros seis passos subjacentes à metodologia própria do Programa, nomeadamente: (i) Auditoria Ambiental; (ii) Plano de Ação; (iii) Monitorização; (iv) Trabalho Curricular; (v) Informação e Envolvimento da Comunidade Local; e (vi) Eco-Código.

As competências do Conselho Eco-Escola passam por: (i) implementar a auditoria ambiental; (ii) discutir o plano de acção; (iii) monitorizar e avaliar as atividades; (iv) e coordenar as formas de divulgação do Programa na escola e comunidade. Cunulativamente, desde que a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL) passou a integrar o projeto Interreg Sudoe ClimACT, o Conselho Eco-Escola é, cumulativamente, a Comissão Baixo Carbono.

A Comissão Baixo Carbono, tal como o Conselho Eco-Escola, é uma estrutura interna permanente, composta por estudantes (dos nove cursos de licenciatura), docentes, não docentes e outras entidades consideradas relevantes. Deve ser encarado como um fórum para ideias, discussão, propostas, planeamento, monitorização e avaliação e que tem como tarefas: (i) decidir as melhores estratégias para envolver a escola e implementar, monitorizar e avaliar as ações; (ii) definir responsabilidades; e (iii) monitorizar, avaliar e relatar a evolução das condições, comportamentos, conhecimento e competências adquiridas para a economia de baixo carbono na escola.

Hoje tornamos público a constituição do Conselho Eco-Escola e da Comissão Baixo Carbono da ESTeSL para o ano letivo em curso que é, mais uma vez, representativo da comunidade académica (de acordo com o regime de funcionamento) e que integra também elementos da Câmara Municipal de Lisboa, da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa, do Jornal “Notícias do Parque”, da Junta de Freguesia do Parque das Nações, da Presidência do Instituto Politécnico de Lisboa (IPL) e dos Serviços de Ação Social do IPL. Esta informação, assim como a constituição da Brigada Baixo Carbono, estará também disponível no sítio institucional da nossa escola, na área dedicada à Política Ambiental (divulgada pela Circular Informativa n.º 27, de 3 de junho de 2011).

Política Ambiental da ESTeSL

Conselho Eco-Escolas | Comissão Baixo Carbono

  • Ana Monteiro, ESTeSL (docente)
  • Ana Sabino, ESTeSL (não docente)
  • António Belo, IPL (Vice-Presidente do IPL)
  • Bela Vilares, ESTeSL (não docente)
  • Catarina Azevedo, ESTeSL (estudante de Saúde Ambiental)
  • Catarina Pereira, ESTeSL (estudante de Ortóptica)
  • Daniel Parreira, ESTeSL (estudante de Saúde Ambiental)
  • Daniela Pasat, ESTeSL (estudante de Imagem Médica e Radioterapia)
  • Emília Batista, Câmara Municipal de Lisboa (Divisão de Sensibilização e Educação Ambiental)
  • Graça Andrade, ESTeSL (Vice-Presidente da ESTeSL)
  • Inês César, ESTeSL (estudante de Saúde Ambiental)
  • Inês Fernandes, ESTeSL (estudante de Saúde Ambiental)
  • Inês Ferreira, ESTeSL (estudante de Ortoprotesia)
  • Joana Belo, ESTeSL (docente)
  • Luísa Rios, ESTeSL (estudante de Fisioterapia)
  • Maria Filomena Abreu de Sousa, Escola Superior de Enfermagem de Lisboa (docente)
  • Mariana Custódio, ESTeSL (estudante de Fisiologia Clínica)
  • Mário Patrício, Junta de Freguesia do Parque das Nações (Presidente da Junta de Freguesia)
  • Miguel Meneses, Notícias do Parque (Diretor)
  • Pedro Martins, ESTeSL (estudante de Farmácia)
  • Pedro Rebelo, ESTeSL (docente)
  • Renata Santos, ESTeSL (estudante de Ortóptica)
  • Rita Pereira, ESTeSL (estudante de Dietética e Nutrição)
  • Rui Serrinha, ESTeSL (Associação de Estudantes da ESTeSL – AEESTeSL)
  • Sara Carmezim, ESTeSL (estudante de Ciências Biomédicas Laboratoriais)
  • Sérgio Figueiredo, ESTeSL (docente)
  • Teresa Torres Martins, SAS/IPL (Administradora dos Serviços de Ação Social do IPL)
  • Vítor Manteigas, ESTeSL (docente)
  • Vladimir Silva, ESTeSL (estudante de Saúde Ambiental)

Agora, finalizada que está a constituição do Conselho Eco-Escola e da Comissão Baixo Carbono, importa dar continuidade aos trabalhos que, nesta primeira fase, e tal como havia ocorrido no último ano (primeiro ano associado ao projeto Interreg Sudoe ClimACT), passa pela aplicação de um questionário comportamental à comunidade académica, sendo este um passo de especial relevância para a elaboração do Plano de Ação. É nesse sentido que contamos com a colaboração de toda a comunidade académica (estudantes, docentes e não docentes), no preenchimento do questionário cuja divulgação será garantida muito em breve.

Ontem, dia 26 de outubro, no Grande Auditório da Culturgest, teve lugar a apresentação do filme “An Inconveniente Sequel: Truth of Power” de Al Gore, Nobel da Paz, e a Eco-Escola ESTeSL esteve lá!

Para quem já viu “Uma Verdade Inconveniente“, esta é uma sequela a não perder e que certamente, muito em breve, teremos oportunidade de mostrar, numa sessão aberta para toda a comunidade académica da Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa (ESTeSL-IPL).

Se é verdade que o filme é muito centrado na figura de Al Gore e do pretenso papel que este terá tido para o desfecho da COP21 em Paris (ver COP21 ou a Conferência das Nações Unidas para as Alterações Climáticas e I DO BELIEVE!… #COP21), uma coisa é inegável: nesta sequela vêm-se confirmados alguns dos cenários já previstos há dez anos atrás e o reconhecimento de que estamos, de facto, a vivenciar o fenómeno das alterações climáticas. Este é, aliás, um fenómeno que urge combater…

Seja inconveniente e convença a sua universidade a mudar para energia 100% renovável

Apesar de haver ainda quem não reconheça a mais-valia do Programa Eco-Escolas porque, aparentemente, não representa proveitos diretos para as organizações (entenda-se escolas), a verdade é que os benefícios indiretos tendem a ser relevantes, porquanto, e a título meramente ilustrativo, são as escolas (desde o ensino básico ao ensino superior) que estão a formar os futuros “Al Gores”, os futuros “Donalds Trumpes”, os futuros “Justines Trudeaux” e os futuros “Joões Fernandes” (deduzimos saberem a quem nos referimos), razão pela qual, só por si, justifica estarmos a implementar o Programa Eco-Escolas e o projeto Interreg Sudoe ClimACT.

No fim desta “verdade inconveniente”, Al Gore deixa-nos o desafio para sermos inconvenientes e atribui-nos a tarefa de convencermos a nossa escola, a nossa universidade, a nossa empresa e a nossa cidade a mudarem para energias 100% renováveis, apostando claramente na mitigação e garantindo, dessa forma, uma redução substancial da emissão de gases com efeito de estufa.




Introduza o seu e-mail


Fevereiro 2018
S T Q Q S S D
« Jan    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
262728  
Categorias
Parceiros